JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

SERÁ QUE TEMOS OS CRIMINOSOS QUE MERECEMOS?


Autoria:

Alessandro De Azevedo Moreira


Tenho formação em Filosofia - FAFIC, Psicanálise Clínica no CMPC, e sou acadêmico de Direito na FACDO. Especialização em Psicopedagogia, Psicologia da Religião e atualmente sou Mestrando em Teologia.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Um olhar inquisito sobre a criminalidade.

Texto enviado ao JurisWay em 22/02/2013.

Última edição/atualização em 23/02/2013.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

É fato notório o crescimento da criminalidade hodiernamente em nossa sociedade. Qual ou quais seriam os vetores que conduzem a mecânica dos delitos em sua totalidade? Através de quais instrumentos poder-se-ia fazer um combate mais efetivo da criminalidade com o escopo de sua erradicação?

O crime é acima de tudo um conjunto complexo de fenômenos sociais que refletem as profundas desigualdades sociais entre classes antagônicas; não se pode com isto afirmar que somente a desigualdade é responsável pelos elevados índices de criminalidade, mas que este viés é um dos seus aspectos mais evidentes.

O conceito de sociedade não erradica os comportamentos individuais. A sociedade é criminógena produzindo seus crimes e violências; é no seio social que são formados os criminosos. O homem nasce amoral e é dentro de seu processo de homogênese que aprende os conceitos que permitem a vida grupal, como pré-requisito essencial para que e possa sair da barbárie.

Uma investigação mais completa sobre os fatores determinantes das causas da criminalidade humana não pode se albergar apenas de causas gerais, mas também em causas periféricas que fundamentam a criminogênese em um todo complexo; os componentes pessoais da criminalidade estão assentados em fatores como vulnerabilidade pessoal de origem endógena que por sua vez se ligam a questões como insuficiências, instabilidade e ausência de ideais albergados a fatores exógenos como má educação e uma vivência repleta de experiências traumáticas familiares.

A anomia é um tipo de comportamento desviante das condutas sociais que provocam desequilíbrio na sociedade; tem-se que diferenciar causa de crime com o fator de crime uma vez que esta é a situação sine qua non do delito e aquela, não seja a sua causa, concorre diretamente ou indiretamente para o seu aparecimento; a título de exemplo temos a pobreza o conflito de religiões, o uso de drogas, ambição, racismo e o analfabetismo.

O sociólogo Robert K Merton escreveu uma teoria que diz:

em toda sociedade existem metas (sucesso na vida) a serem alcançadas; para se atingir tais metas existem os meios que não são suficientes e nem tampouco estão à disposição de todos; acarretando um desequilíbrio entre meios e metas; isto seria a causa da anomia. O instrumento ideal, preciso para se entender, combater e prevenir a criminalidade é a ciência da criminologia. Ela é um cabedal de conhecimentos que se conectam ao crime como fenômeno social.

Inclui o processo de fazer leis, infringi-las e reagir à transgressão das mesmas. A terminologia foi utilizada pela primeira vez em 1883. Ela se instala na dialética do processo criminal que teria pelo em tese, uma situação de causa e efeito. É a ciência que junta o fenômeno criminal, a vítima e a conduta do delinquente e os meios labores-terapêuticos ou pedagógicos de reintegrá-lo ao agrupamento social, na tentativa de albergar todas as possibilidades do fato criminoso em si.

A criminologia traz em seu bojo a conexão com outras disciplinas como a: antropologia, psicologia, psicanálise, psiquiatria, sociologia, biologia, direito penal etc; destarte consegue ir mais longe do que as outras dentro da seara do crime, objetivando entender de fato a dinâmica do crime que pode ter um viés endógeno ou exógeno ou ainda os dois devido à complexidade humana. Não se pode aceitar que os fatores criminológicos individuais nem tampouco as condições ambientais e econômicas na sociedade sirvam de justificação de qualquer ação individual. O objetivo de estudo da criminologia são: delito, delinquente, vítima e controle social.

Vivemos em uma sociedade que fomenta valores individuais em detrimento dos valores que mantém a própria sociedade em seu movimento dinâmico existencial. A mídia cria valores e necessidades que estão vinculadas ao comércio, imprimindo em nossas mentes pseudoverdades que por falta de reflexão de nossa parte, nos lança ao caminho do puro hedonismo transformando-nos em entes que buscam a satisfação a qualquer custo.

 

SAPERE AUDE!

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Alessandro De Azevedo Moreira) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados