JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Webinário online e gratuito. Inscreva-se!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Técnicas de Negociação para Advogados


Autoria:

Osvaldina Karine Santana Borges

Resumo:

Resumo da obra "Técnicas de Negociação para Advogados", de Alessandra Gomes do Nascimento Silva.

Texto enviado ao JurisWay em 29/04/2011.

Última edição/atualização em 03/05/2011.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

SILVA, Alessandra Gomes do Nascimento. Técnicas de Negociação para Advogados. São Paulo: Saraiva, 2007. 2ª edição. 2ª tiragem.

 

*Osvaldina Karine Santana Borges

 

O livro em análise trata-se de uma obra que procura analisar os métodos de negociação que podem ser utilizados por advogados na tentativa de resolverem os conflitos sem chegar na via judicial. Apresenta a teoria oriunda do projeto de negociação desenvolvido na Faculdade de Direito da Universidade de Harvard - EUA . Os métodos de negociação mais conhecidos são a conciliação, muito utilizada no direito do trabalho, porém o seu uso se faz dentro do próprio processo, não se afastando do apresso do Poder Judiciário; a arbitragem, na qual, é designada uma terceira pessoa para decidir o conflito sem necessitar entrar com o processo, mas a decisão que é proferida pelo árbitro pode ser homologada pelo Judiciário; e a mediação, que é uma técnica na qual uma terceira pessoa, suprapartes, o mediador, tem a função e ouvir as partes e formular propostas. Levando essa noção de negociador para o âmbito do advogado, se faz um grande avanço na celeridade da solução das lides. O causídico já começa a negociação com seu cliente ao decidir o modo em que serão pagos os honorários advocatícios, posteriormente ele começa a saber qual a pretensão que a pessoa tem, o que espera em troca dos seus serviços como advogado, a partir daí a maioria dos profissionais iniciam com o processo que se arrasta muitas das vezes durante vários anos quando ao fim, o que recebe em troca, acaba não tendo o valor que tinha no início da demanda. Por isso, Alessandra Gomes do Nascimento Silva, juntamente com muitos outros juristas e doutrinadores, sustentam o enorme benefício que teriam as pessoas se antes de impetrar com a ação se reunissem as partes juntamente com seus advogados e apresentarem as suas propostas até chegarem a um denominador comum, em que ambos abram mão, mas também saiam ganhando. A maioria dos Cursos de Direto que existem no nosso país não dão muita importância para prepararem os seus estudantes para serem advogados negociadores, mas sim para muni-los de conhecimento jurídico a fim de que possam travar uma verdadeira luta em juízo e saírem vitoriosos, quando na maioria das vezes uma breve conversa apontando os prós e os contras de ingressar com o processo resolveriam a questão sem muito desgaste financeiro ou emocional. Por essa deficiência nos causídicos é que a já salientada instituição tem feito pesquisas nessa área e para ajudar a colocar em prática tal desiderato é que a obra em análise traz sete elementos: o interesse que esta sendo discutido; opções de resolução trazidas pelos interessados; a legitimidade do que está sendo pedido; a comunicação entre as partes; o relacionamento entre as partes; as alternativas que podem ser adotadas e o compromisso depois de firmada a decisão. O advogado tem papel crucial em todo o desenrolar da negociação por ter conhecimentos jurídicos, mas principalmente na ultima parte, pois pode munir de mecanismos legais o que for acertado pelas partes para que todo o trabalho que tiverem não seja em vão e tenha que depois de tudo acionar o Judiciário para decidir a demanda, mostra-se um método muito valioso para desafogar os Tribunais.  

 

Palavras-chave: Negociação; Conflito; Advogado; Partes; Poder Judiciário.

 

____________________

Estudantes do Curso de Direito da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais – AGES.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Osvaldina Karine Santana Borges) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2020. JurisWay - Todos os direitos reservados