JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

O CÍRCULO DE GIZ CAUCASIANO


Autoria:

Soraia Conceição Dos Santos Nascimento E Laiane Santos De Almeida


Estudantes do 10º período do curso de Direito da AGES - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

envie um e-mail para este autor

Texto enviado ao JurisWay em 05/04/2011.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

O CÍRCULO DE GIZ CAUCASIANO

Laiane Santos de Almeida*

Osvaldina Karine Santana Borges*

Soraia C. dos Santos Nascimento *

           

             Bertolt Brecht foi um dramaturgo, poeta e encenador alemão destacado do século XX. Seus trabalhos influenciaram o teatro contemporâneo de maneira profunda, o que o tornou mundialmente conhecido, principalmente a partir das apresentações de sua companhia o Berliner Ensemble em Paris nos anos de 1954 e 1955.

            A obra traz uma discussão a respeito do direito à terra, entre duas comunidades caucasianas, após a guerra travada contra a Alemanha de Hitler. Essas comunidades se reúnem em meio as ruínas de uma aldeia bombardeada no Cáucaso, juntamente com um Perito da Comissão de Estado para Construção que tenta mediar a discussão, para discutir sobre quem tem o direito, os donos que abandonaram as terras durante a batalha, ou os que cuidaram dela tornando-a mais fértil.

            Durante a reunião, uma camponesa anuncia que será apresentada uma peça de teatro que tem relação com o problema que estão enfrentando.

            A peça trata da história de um bebê que foi abandonado por sua mãe biológica, mais preocupada em se salvar, enquanto fugia. O bebê era filho do governador Georgi Abaschvíli, que foi deposto e morto em razão de uma revolta política. Uma empregada chamada Grucha encontra o bebê Miguel no pátio do palácio e o leva consigo a fim de salvá-lo, tornando-se a sua mãe de criação. Após restabelecida a ordem social a mãe biológica reivindica o filho, uma vez que este era o único herdeiro do governador morto.

            Encontrada a criança, o caso é levado a Azdak, juiz corrupto empossado pelo próprio povo em momento de caos. Ocorre que a mãe biológica e a de criação disputam a criança, devendo o juiz decidir de quem é a “propriedade”. Azdak proferia decisões dotadas de profundo bom senso, porém, sem nenhuma base legal. No caso de Miguel decidiu da seguinte forma: fez um círculo de giz no chão, colocou a criança ao centro e mandou que as mulheres o puxassem para fora e para seu lado. Grucha não o puxou com toda força para não machucá-lo e acabou perdendo. Contudo, o juiz entende que Grucha é quem deve ficar com Miguel, pois é essa quem realmente tem o amor maternal.

            A peça de Brecht foi inspirada por uma lenda chinesa, que trata da mesma história bíblica do juízo do Rei Salomão. A peça se mostra como uma metáfora sobre a posse e a propriedade na disputa pela terra. Contudo, o autor chama atenção para o fato de que O Círculo de Giz Caucasiano não se trata de uma parábola, que o prólogo pode induzir a erro, mas a história, na verdade, é uma narrativa autônoma e demonstra apenas uma espécie de sabedoria, que pode servir de modelo para uma disputa atual.

            Ao longo da narração, a obra se apresenta de maneiras diversas, às vezes cômica, às vezes delicada, mas sempre profunda.

           

REFERÊNCIA

BRECHT, Bertolt. O círculo de giz caucasiano. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

                       

             

 



* Estudantes do curso de Direito da Faculdade AGES

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Soraia Conceição Dos Santos Nascimento E Laiane Santos De Almeida) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados