JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Sala dos Doutrinadores - Estudos & Pesquisas
Autoria:

Samya Nara Mendes


Advogada e professora graduada em Direito pela INITRI-MG; graduanda em Pedagogia - UNIUBE; MBA em Comunicação Empresarial e Marketing, especialista Direito Ambiental; especialista Direito Tributario, especialistaMetodologia Filosofia e Sociologia

envie um e-mail para este autor
Estudos & Pesquisas Filosofia

PROJETO AVALIAÇÃO MORAL EM BUSCA DA FELICIDADE

Projeto Avaliaçao Moral a Busca busca desmitificar que o estereotipo de que o aluno do Ensino Publico e de periferia sempre será um fracasso alem de desenvolver uma reflexão de uma cultura que apenas analisa a visão imposta por uma mídia e sociedade

Texto enviado ao JurisWay em 04/09/2010.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?
 PROJETO AVALIAÇÃO MORAL EM BUSCA DA FELICIDADE– 1ª ETAPA/2009- MATERIAIS INTERCULTURAIS/ TRANSDISCIPLINARES- FILME “A PROCURA DA FELICIDADE”
 
Samya Nara Rocha Mendes
Professora de Sociologia e Filosofia da Rede Publica Estadual de Minas Gerais
 
PALAVRA CHAVE: educação, sociedade, moral
 
Projeto Avaliação Moral em Busca da Felicidade, utiliza como material de referência o filme À Procura da Felicidade (The Pursuit of Happiness), Estados Unidos, 2006, 117 min., drama, direção de Gabriele Muccino, roteiro de Steve Conrad, Elenco: Will Smith, Jaden Smith entre outros.O projeto é desenvolvido com alunos dos anos iniciais do Ensino Médio, visto que estão em transição e se adaptando com a novos conteúdos, novos conceitos, novos valores, ampliando sua visão de mundo, onde há a necessitade da interferência dos educadores na formação de novos comportamentos  preparando os educandos para sucesso no meio social e educacional, com a formação de cidadãos mais críticos, reflexivo e ainda objetiva a possibilidade de mudar o quadro em que os alunos se mostram estarem perdidos, desinteressados, descompromissados, sem limites, indisciplinados. Considerando que a educação tem um papel fundamental na formação do sujeito moral, crítico e autônomo, dando novos e transformadores rumos ao movimento dialético entre o indivíduo e a coletividade, assim a mesma deve receber o educando não para julgá-los, mas para despertar neles a consciência de sua própria realidade, de sua própria história criando condições para que eles, aos poucos, possam assumir-se como autores de sua própria identidade, constituindo-se como sujeito moralmente autônomo e capaz de tomar nas próprias mãos o seu destino no interior da comunidade. Portanto esse projeto Avaliação Moral em Busca da Felicidade pretende desenvolver uma reflexão dentro de uma perspectiva de análise dos estereótipos que ainda são fossilizados dentro de uma cultura que apenas analisa a visão imposta por uma mídia e sociedade consumista, visa também aguçar o pensamento sobre ética e cidadania dos educandos, a reflexão e debates sobre os valores encontrados na família, escola e comunidade, o trabalho com a tolerancia e sabedoria diante das divergencias diárias, desenvolvimento do sentimento de competência e fortalecimento da auto-estima atraves de um sistema de aprendizagem que deve ter como eixo as relações que a pessoa estabelece consigo e com o mundo, possibilidando uma formação significativa. Assim o educando ao se reconhecer fortalecido em sua individualidade e perceber que, pela construção e realização do seu sonho, poderá simultaneamente protagonizar ações para o desenvolvimento da comunidade ao qual o educando pertence.
 
 
 
ESBOÇO DA PRIMEIRA ETAPA DO PROJETO AVALIAÇÃO MORAL EM BUSCA DA FELICIDADE
____________________________________________________________
 
É preciso que se dê tanta liberdade
à criança quanto às circunstâncias exigem.
 Ela deve ter a possibilidade de se manifestar
abertamente e de estudar a sua própria individualidade.
O principal consiste em não permitir que criem maus hábitos.
Herbart
__________________________
 
MATERIAIS INTERCULTURAIS/ TRANSDISCIPLINARES
 
MATERIAL: FILME “A PROCURA DA FELICIDADE”
 
FONTE
 
À Procura da Felicidade
(The Pursuit of Happiness)
País/Ano de produção: Estados Unidos, 2006
Duração/Gênero: 117 min., Drama
Direção de Gabriele Muccino
Roteiro de Steve Conrad
Elenco: Will Smith, Jaden Smith, Thandie Newton, Brian Howe, James Karen, Dan Castellaneta, Kurt Fuller, Takayo Fischer, Domenic Bove, Scott Klace.
 
Sinopse
Em À PROCURA DA FELICIDADE, (The Pursuit of Happyness), Chris Gardner (Will Smith) é um homem de família lutando para sobreviver. Apesar de todas as tentativas para manter a família unida, a mãe (Thandie Newton) de seu filho de cinco anos Christopher (Jaden Christopher Syre Smith) está constantemente sobre uma forte pressão financeira. Sem condições de suportar a situação, ela relutantemente decide partir.
Chris, agora um pai solteiro, continua a perseguir desesperadamente um emprego com melhor remuneração, usando toda sua habilidade de vendedor. Ele ingressa como estagiário numa grande importante corretora de ações, e apesar de não haver salário, ele aceita, na esperança de no final do programa conseguir um emprego e um futuro promissor. Sem apoio financeiro, Chris e seu filho são despejados de seu apartamento e logo são forçados a dormir em abrigos, estações de ônibus, banheiros e onde quer que possam achar refúgio durante a noite.
Apesar dos problemas, Chris continua a honrar seu compromisso como um pai amoroso e afetuoso, usando a afeição e a confiança que seu filho depositou nele para superar os obstáculos que encontra.
 
PÚBLICO ALVO: ALUNOS DE SOCIOLOGIA E FILOSOFIA
 
NIVEL: ENSINO MÉDIO (1º COLEGIAL)
 
JUSTIFICATIVA:
São alunos dos anos iniciais do Ensino Médio, que estão em transição e se adaptando com as novas matérias, com os novos conceitos, com novos valores e ampliando sua visão de mundo, podendo os educadores com maior flexibilidade transformar os novos comportamentos, preparando-os para sucesso no meio social.
Possibilidade de trabalho interdisciplinar;
Possibilidade de ser trabalhar especificamente com as dificuldades encontradas;
Possibilidade de sucesso nas provas do Estado ou faculdades;
Possibilidade de formação de cidadãos mais críticos, reflexivos, uma vez que o modelo do novo ENEM exige educando com capacidade critica e reflexiva.
Possibilidade de mudar o quadro onde os alunos mostram estarem perdidos, desinteressados, descompromissados, sem limites, indisciplinados.
Considerando que a educação tem um papel fundamental na formação do sujeito moral, crítico e autônomo, dando novos e transformadores rumos ao movimento dialético entre o indivíduo e a coletividade. A escola deve receber o educando não para julgá-los, mas para despertar neles a consciência de sua própria realidade, de sua própria história e, assim, criar condições para que eles, aos poucos, possam assumir-se como autores de sua própria identidade, constituindo-se como sujeito moralmente autônomo e capaz de tomar nas próprias mãos o seu destino no interior da comunidade
 
OBJETIVOS:
- Desenvolver uma reflexão dentro de uma perspectiva de análise dos estereótipos que ainda são fossilizados dentro de uma cultura que apenas analisa a visão imposta por uma mídia e sociedade consumista.
- Aguçar o pensamento sobre etica e cidadania dos educandos.
- Reflexão e debates sobre os valores encontrados na família, escola e comunidade.
- Incitar a persistencia e determinaçao dos educandos e educadores para alcançar os objetivos.
- Trabalhar com a tolerancia e sabedoria diante das divergencias diárias.
- Desenvolvimento do sentimento de competencia e fortalecimento da auto-estima dos educandos, atraves de um sistema de aprendizagem que deve ter como eixo as relações que a pessoa estabelece consigo e com o mundo, possibilidando uma formação significativa. Ao se reconhecer fortalecido em sua individualidade e perceber que, pela construçao e realização do seu sonho, poderá simultaneamente protagonizar ações para o desenvolvimento da comunidade ao qual o educando pertence.
- Constuituir um educando como ser autônomo capaz de cooperar e lidar com sua força criadora.
 
AQUECIMENTO
Realizar em um primeiro momento uma conversa a respeito das visões, preceitos e perspectivas de mundo que vem a diferenciar a cultura, ideologia, mídia, educação, valores, deiversidades, lançando estratégia de coleta de dados para analisar aquilo que o educando já possui como conhecimento prévio acerca de sua propria vivencia e da sociedade a qual esta inserida, entendimentos dos valores agregados na familia, escola e comunidade.
Debates para entendimento que o desemprego é uma condição de vida experimentada por muitos indivíduos na atualidade. Ele é analisado pelas teorias sociológicas como uma “questão social”, podendo ser um fenômeno que envolve diversos elementos estruturais de uma ou de várias sociedades.
 
SUGESTÃO DE ATIVIDADE:
Analisar quais foram as impressões que os alunos tiveram após terem assistido ao filme, e se suas visões em relaçao a sua realidade
Propor um estudo de cunho etnográfico, através de entrevistas, com questionários a serem realizados dentro da comunidade em que os alunos residem, para verificar com tais pessoas lidam com as dificuladdes diarias.
Verificar a impressão que os alunos obtiveram ao realizar a pesquisa, e se ela condizia com aquilo que eles pensavam inicialmente, e conseqüentemente qual seria seu pensamento após terem assistido ao filme.
 
Para Refletir e debater com os educandos:
1-      As escolas atualmente respondem por inúmeras funções além daquelas relativas ao processo de ensino-aprendizagem. Professores tornaram-se psicólogos, tutores, orientadores profissionais, conselheiros, amigos e, muitas vezes, acabam até mesmo substituindo os próprios pais, tão ausentes na vida e na formação de seus filhos. As famílias precisam se reinventar, aconchegar-se novamente, integrar-se como até algum tempo atrás percebíamos, querer estar unida e junta, regozijar-se em seus encontros e reuniões. Base da sociedade, perdeu os elos que a reuniam, hoje se resume, em muitos casos, a um aglomerado de pessoas que dividem o mesmo teto por possuírem co-sanguineidade e alguns laços materiais a uni-las. Onde está o amor dos pais pelos filhos (e vice-versa)?
 
2-       Ao abordar a diferença entre emprego e carreira percebida no filme “À Procura da Felicidade”, gostaria de dar alguma luz principalmente aos próprios professores. Nossa realidade profissional não é aquela que almejamos e muitas vezes, por conta disso, cruzamos os braços e nos recusamos a fazer mais do que o básico. Dessa forma acabamos entrando num círculo vicioso que nos compele a sempre ficar por baixo, sem alternativas reais de crescimento, de implementação. A superação desse nefasto quadro passa, necessariamente, pela própria consciência que devemos ter quanto ao que pensamos, queremos e realizamos em educação. Muitas vezes acreditamos que os esforços que fazemos são invisíveis aos olhos das demais pessoas, mas isso não é verdade. Se através de nossas ações transformamos e agimos com coração e fé, respaldados pelo estudo, pela criatividade e pela ousadia, havemos de triunfar, como o personagem do filme... (E, diga-se de passagem, isso é valido não só para a educação, como também para qualquer campo de atuação humana).
 
3-       Diariamente somos bombardeados pela mídia com inúmeras notícias ruins. Guerras, violência urbana, devastação ambiental, corrupção, má gestão dos recursos públicos, conduta mais do que inadequada de autoridades ou figuras públicas,... As notícias boas e os exemplos de realização pessoal e profissional, por outro lado, raramente ganham menções ou espaços na televisão, nos rádios, na internet ou em jornais e revistas. E não estou falando apenas de celebridades, grandes empresários, conhecidos cientistas, notórios filantropos,... Há grandes exemplos muito próximos de cada um de nós, em nossas cidades, nos bairros em que vivemos,...
 
- Propor aos estudantes que busquem outras histórias de sucesso e vitória como a do filme “À Procura da Felicidade”?
- Mesa redonda onde os alunos explicam as histórias de sucesso e vitoria que encontraram no bairro.
- Debate com os educandos sobre os valores familiares.
- Ensinar aos alunos a traçarem metas e objetivos que serão alcaçados até o termino do Ensino Médio.
 
TEMA DE EXTENSÃO:
Dentro de uma perspectiva holística, propor uma discussão focalizando os aspectos sociais, culturais e interculturais propostos no filme, desenvolvendo, assim, no educando uma visão mais crítica sobre o estereótipo vendido pela mídia atual, principalmente em questões sócio-econômicas, reforçando a idéia de garantia de sucesso.
 
Compreender que Ao longo do século XX, o célere desenvolvimento dos meios de comunicação de massa modificou o estilo de vida e a maneira como crianças, adolescentes e adultos aprendem e vivem, concorrendo inclusive com o papel da escola como afirma Saviani:
... vivemos uma situação paradoxal, do ponto de vista escolar. De um lado a escola é secundarizada; afirma-se que não é só através dela que se educa; educa-se através de múltiplas formas, através de outras instituições como associações de bairros, relações informais, da convivência, dos meios de comunicação de massa – isto é, do cinema, rádio, televisão. Portanto há múltiplas formas de educação, entre as quais se situa a escolar. Segundo essa tendência, a escola não é a única e nem mesmo a principal forma de educar. (SAVIANI, 1991, p. 99).”
 
 
 
PROJETO AVALIAÇÃO MORAL –
 
RESULTADO FINAL DA ETAPA1
 
ANO 2009 -
 
OBJETIVO :
- Que o aluno faça uma auto avaliação e reflita sobre seu comportamento, enquanto educando no ano de 2009;
- Entender e praticar honestidade, integridade e a regra de ouro “tratar os outros como nós gostaríamos que fossemos tratados”.
- Capacidade de assumir maior responsabilidade por suas próprias ações.
- Auto-disciplina: a habilidade para agir com responsabilidade, aplicação de princípios éticos e estabelecer e avaliar metas;
- verificar as habilidades interpessoais críticas, incluindo falar, ouvir e habilidade para ser parte de um time;
- Valorizar o respeito pelo valor do esforço, entendimento da ética do trabalho e necessidade de contribuições individuais e autodisciplina;
- Estar entusiasmado sobre a vida e estabelecer metas para um aprendizado permanente;
- Não ser resistente as mudanças;
- Preparação para conseguir sucesso nas provas do Estado, vestibular e concursos.
 
METODO:
Nesta etapa final foram distribuídos questionários com 6 perguntas aos alunos para marcarem sim ou não em uma auto-avaliação pessoal e anônima.
 
PÚBLICO ALVO:
Os 1º anos do Ensino Médio – turno Manhã
 
JUSTIFICATIVA:
São alunos dos anos iniciais do Ensino Médio, que estão em transição e se adaptando com as novas matérias, com os novos conceitos, com novos valores e ampliando sua visão de mundo, podendo os educadores com maior flexibilidade transformar os novos comportamentos, preparando-os para sucesso no meio social.
Possibilidade de trabalho interdisciplinar;
Possibilidade de ser trabalhar especificamente com as dificuldades encontradas;
Possibilidade de sucesso nas provas do Estado ou faculdades;
Possibilidade de formação de cidadãos mais críticos, reflexivos, uma vez que o modelo do novo ENEM exige educando com capacidade critica e reflexiva.
Possibilidade de mudar o quadro onde os alunos mostram estarem perdidos, desinteressados, descompromissados, sem limites, indisciplinados.
Considerando que a educação tem um papel fundamental na formação do sujeito moral, crítico e autônomo, dando novos e transformadores rumos ao movimento dialético entre o indivíduo e a coletividade. A escola deve receber o educando não para julgá-los, mas para despertar neles a consciência de sua própria realidade, de sua própria história e, assim, criar condições para que eles, aos poucos, possam assumir-se como autores de sua própria identidade, constituindo-se como sujeito moralmente autônomo e capaz de tomar nas próprias mãos o seu destino no interior da comunidade.
 
 
RESULTADO OBSERVADOS 1ª ETAPA :
- A falta de compromisso dos alunos vem desde anos iniciais de sua formação.
- Apesar da resistência dos alunos, os mesmos estão dispostos a mudar seu comportamento e sua visão de mundo.
- Para o aluno a “doxa” (opinião, ilusão, ideologia) tem mais valor do que a “episteme” (conhecimento, senso crítico, analítico).
 - O trabalho para uma futura mudança tem que ser em conjunto entre educadores e educando.
- Dificuldade de leitura e interpretação de texto;
 
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE 1ª ETAPA DO PROJETO “AVALIAÇÃO MORAL EM BUSCA DA FELICIDADE”
 
A educação nunca é neutra. O educando também. Ela é sempre um produto resultado das contradições de uma época; reproduz a ideologia, visa responder aos problemas da sociedade e, sobretudo, é “um combate contra a ignorância”,
Pode-se dizer que qualquer atividade humana que se propõe alcançar certos objetivos exige disciplina, mas, há hoje uma forte resistência pelos alunos em reconhecer o princípio da autoridade, da cobrança excessiva dos professores, com o fator disciplina, uma vez que os alunos não observam que serão eternamente cobrados e futuramente já estarão com o espírito preparado para tantas cobranças.
Por sua inegável influência sobre a formação das futuras gerações, cabe aos setores diretamente envolvidos com a educação, como a família, a mídia e a escola, um papel particularmente relevante na reforma moral da sociedade.
Temos um belo programa de ação educativa, infelizmente distante da atual realidade, mas que pode perfeitamente ser implantado, desde que tenhamos administradores, pais e professores, a boa vontade determinante, realizando planejamentos, experiências, desenvolvimento de práticas pedagógicas específicas e, acima de tudo, fazendo o esforço para trabalhar com esses alunos de forma a torná-los determinantes no processo educativo.
No interior da escola, existem também os que, atropelados pelo cotidiano de tantas tarefas, burocracias e frustrações, tornam-se indiferentes, optando por cumprir suas obrigações sem altruismos nem projetos. Ainda que a situação do professor, com freqüência, seja difícil, ele precisa acreditar que  mudar é possível, caso contrário, as mudanças dificilmente acontecerão.
Assim, a atuação perante a realidade da escola pública deve ser de análise e de conscientização, não somente da equipe docente, mas de toda a comunidade, de que deve haver perspectiva de mudança do quadro presente.
O caminho certamente não é nem curto nem fácil, mas com esse pré conhecimento sobre os problemas encontrados, nós educadores poderemos modelar nossos educandos para serem mais responsáveis com os compromissos escolares.
E aos alunos que foram honestos consigo mesmos e verificou o baixo desempenho, a falta de comprometimento, necessário a reflexão no que esperam do futuro, que possam traçar metas e objetivos e perceber que ainda a tempo de mudar atitudes.
Com certeza os nossos alunos após essa reflexão pessoal não serão chamados de Geração “sem-compromisso”.
 
 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 
AOKI, Edna. “Ética – Decidir entre humanos”. Acesso em 03/12/09 no  http://www.educarede.org.br.
 
BAHIENSE, Denise. “A integração de integração entre família e escola”. Folha Dirigida. Acesso em 03/12/09 no http:// www.folhadirigida.com.br.
 
CARRARA, J. A. “Educar para a sensibilidade”. Acesso em 03/12/09 no http://www.profissaomestre.com.br.
 
CHAVES, Eduardo O. C. “Nova Escola - Em Defesa de uma Nova Escola”. Acesso em 03/12/09 no http://www.novaescola.net.
.
CÓRIA-SABINI, M. A.; OLIVEIRA, V. K. Construindo valores humanos na escola. Campinas, SP: Papirus, 2002.
 
DELORS, Jacques. Educação, um tesouro a descobrir. São Paulo: Brasília, DF: MEC: UNESCO, 2004.
 
DIMENSTEIN, Gilberto. “O mundo como escola”. Acesso em 03/12/09 no http://www.setor3.com.br.
“Educação para os Direitos Humanos e a Cidadania”. Acesso em 19/07/04 no http://www.dhnet.org.br.
 
“Escolas instiga à reflexão sobre grandes temas da sociedade”. Temas Transversais. Acesso em 03/12/09 no http://www.ose.g12.br.
 
FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Introdução de Francisco C. Weffort.
 
PCNs, Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental, Brasília, 1997.
 
Projeto escola. Planejamento do Ensino; Arte e Cultura na Escola; Ética, Decidir entre humanos; Disciplinas e Interdisciplinaridade. Equipe EducaRede. Acesso em 03/12/09 no http://www.educarede.org.br.
 
 

 

Semeia um pensamento e colherás um desejo;
 semeia um desejo e colherás a ação;
 semeia a ação e colherás um hábito;
semeia o hábito e colherás o caráter.
(Tihamer Toth)
 
 
 
Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Samya Nara Mendes) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2014. JurisWay - Todos os direitos reservados