JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Servidor Público na Lei 8.112 com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Software jurídico é seguro? Entenda como a criptografia protege seus dados


Autoria:

Tiago Fachini


Especialista em Gestão Jurídica - 12 anos de atuação em gestão de comunicação digital - Gerente de marketing digital do Software Jurídico ProJuris - Apaixonado pelas infinitas interpretações do direito.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Uma preocupação recorrente de advogados ao procurar por um software jurídico é a condição segurança a qual seus dados estarão submetidos quando armazenados no sistema. Conheça os conceitos de cloud e criptografia e sinta-se seguro!

Texto enviado ao JurisWay em 25/04/2018.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Uma preocupação recorrente de advogados ao procurar por um software jurídico, seja para o seu escritório de advocacia, seja para departamentos jurídicos de empresas, é a condição segurança a qual seus dados estarão submetidos quando armazenados no sistema.

Informações de processos, documentos de clientes, documentos dos próprios advogados, entre outras informações confidenciais estarão cadastradas no software jurídico e qualquer violação pode ter consequências irreversíveis. Nesse sentido, de que modo um software jurídico pode assegurar ao escritório ou departamento jurídico total segurança no armazenamento de dados?

 

Software jurídico é seguro?

O que define se um software jurídico é seguro são os protocolos de certificação digital. Estes certificados garantem que a comunicação e armazenamento de informações em nuvem aconteça por meio de mecanismos de criptografia, como acontece no ProJuris para Escritórios e no ProJuris para Empresas, por exemplo.

O que é criptografia?

Nas civilizações antigas, como Roma, Egito e Grécia, a escrita cifrada permitia que estes povos se comunicassem por meio de códigos que só eles conheciam. Dessa forma, evitavam que informações importantes fossem roubadas por outros povos.
A base da segurança digital consiste nisso. Informações cifradas para impedir que os dados do usuário caiam nas mãos erradas. A criptografia garante que todas as informações estejam disponíveis para o usuário e somente para o usuário.

Criptografia é o mecanismo que traduz informações inteligíveis em informações ilegíveis e desordenadas para qualquer agente externo. Isso impediria, por exemplo, que um hacker acessasse suas informações. Seu funcionamento se dá por meio da codificação das informações e embaralhamento dos dados estruturais.

Criptografia simétrica ou assimétrica?

Existem dois tipos de criptografia, simétrica e assimétrica.

         Criptografia simétrica: a mais utilizada na internet, a criptografia simétrica ficou famosa por ter sido utilizada pelos aliados durante a Segunda Guerra Mundial. É a chamada criptografia de ponta-a-ponta, porque se fundamenta na ideia de que uma chave usada para ocultar uma informação seja a mesma utilizada para mostrá-la em outra ponta (no caso de troca de mensagens, como é o caso do WhatsApp).

  • Criptografia assimétrica: foi inventada para corrigir um erro básico da criptografia simétrica. Na criptografia simétrica, a mesma chave é utilizada para garantir a troca de informações entre dois canais, o que facilita a interceptação de terceiros. A criptografia assimétrica é fundamentada em chaves distintas e complementares.

O ProJuris para escritórios, assim como o ProJuris para empresas é certificado pelo protocolo SSL, onde a criptografia assimétrica cria uma chave de sessão que é utilizada na criptografia simétrica.

Como identificar se meus dados estão seguros?

Identificar se um site ou software jurídico online tem um protocolo de certificação digital é muito simples. Todo site ou sistema protegido tem, em frente à sua url, o código “https:” e a palavra “Seguro” acompanhada de um cadeado verde, que funciona como uma espécie de carimbo de certificação digital.

Além de se certificar de que seus dados, informações, documentos e processos estão em um ambiente digital protegido, há outros tópicos relativos à segurança  aos quais o advogado deve estar atento.

Armazenamento: certificados digitais garantem a proteção contra a interceptação de informações, mas não dizem nada a respeito de armazenamento dessas informações. O que garante que, da noite para o dia, todos meus dados estejam perdidos?

Para sua segurança, se certifique de que o software jurídico trabalha com informações salvas em nuvem. Cloud torna o backup dispensável. As informações não estão salvas em um meio físico, mas sim em diferentes servidores, garantindo que possa ser acessada em qualquer lugar do mundo, e somente por você.

No ProJuris é assim. A combinação de protocolos de segurança digital, mecanismos de criptografia e armazenamento em nuvem, o escritório ou departamento jurídico está 100% seguro.

Autenticidade de documentos eletrônicos: assim como documentos físicos, em papel, os documentos digitais precisam ser autenticados para atribuir a eles uma validade legal. Neste conteúdo, falamos sobre como garantir essa autenticidade e garantir que o processo eletrônico não obstrua a rotina do advogado, mas a torne muito mais eficiente:

Requisitos para processos eletrônicos confiáveis: todo Processo Judicial eletrônico (PJe) precisa ser seguro e garantir que as informações, além de serem verídicas, não possam ser acessadas indevidamente. Neste conteúdo, listamos os requisitos que tornam um PJe confiável.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Tiago Fachini) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2018. JurisWay - Todos os direitos reservados