JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Será o fim do JurisWay?
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Boas práticas na comunicação cliente-advogado


Autoria:

Tiago Fachini


Especialista em Gestão Jurídica - 12 anos de atuação em gestão de comunicação digital - Gerente de marketing digital do Software Jurídico ProJuris - Apaixonado pelas infinitas interpretações do direito.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Falhas de comunicação envolvendo clientes podem comprometer seriamente seu negócio. Saiba quais as boas práticas que podem otimizar seu dia a dia e deixar seus clientes satisfeitos.

Texto enviado ao JurisWay em 24/03/2015.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Telefone, e-mail, MSN, WhatsApp, Skype, Face Time… Nunca se contou com tantas ferramentas para facilitar a comunicação como nos dias de hoje. Todavia, mesmo com tanta comodidade, falhas ainda ocorrem e podem comprometer seu negócio quando envolvem a relação junto a clientes.

Para quem atua no ramo jurídico, em especial em escritórios, sabe o quão importante é manter uma boa comunicação com seus clientes. Para isso, é preciso fazer com que seus clientes sejam constantemente informados sobre suas demandas e ao mesmo tempo se sintam seguros com a sua atuação.

Todo advogado concentra inúmeras atividades no seu dia a dia e muitas vezes torna-se difícil conciliar a comunicação aos clientes com o gerenciamento do escritório. Por isso, é necessário pensar boas práticas a fim de estabelecer um relacionamento saudável e prospero dentro e fora do escritório.

Escolha um único meio para atender seus clientes

Devido ao grande número de ferramentas, o ideal é concentrar a comunicação do cliente através de uma única forma. Isso ajuda a organizar a comunicação, além de facilitar na hora de buscar informações que sejam relevantes para sua atuação profissional.

Muitos clientes querem se comunicar da forma que mais lhe convém, no entanto, é necessário “educa-lo” mostrando a importância da organização e da efetividade na comunicação.

Quanto mais meios de comunicação utilizados, mais difícil encontrar rapidamente as informações necessárias, o que pode desgastar a relação. Se você não quer cometer falhas, busque concentrar sua comunicação utilizando apenas uma ferramenta.

Não seja escravo

Profissionais que lidam com organização e produtividade costumam afirmar que quem fica respondendo e-mails o tempo todo acaba resolvendo a agenda dos outros e complicando a sua. Para todos os clientes, seu caso é o mais importante do mundo. No entanto, se o profissional for levar essa premissa à risca, certamente terá problemas em desempenhar à contento suas tarefas e, por consequência, acabará frustrando seus clientes, os maiores geradores de negócios para você.

Procure reservar um tempo na sua agenda para responder e-mails, retornar ligações e entrar em contato com seus clientes. Isso irá ajuda-lo a ser mais produtivo no seu dia a dia sem descuidar desses detalhes importantes.

Imponha limites

Nos dias de hoje, as fronteiras entre a vida profissional e pessoal ficaram muito estreitas. Isso significa que é possível se comunicar com seus clientes a qualquer hora e em qualquer lugar. No entanto, será que responder seu cliente a todo o momento mostra eficiência e constrói uma relação positiva? É provável que o profissional que aja assim se sinta esgotado em pouco tempo. Por isso é necessário impor limites e saber mostrar ao cliente quais são os motivos que permitem que ele o procure fora do expediente.

Em alguns ramos da advocacia – como a área de família ou penal – envolvem que o advogado fique disponível a todo o momento em razão de um réu preso, por exemplo. Mas tirando essas situações pontuais, em geral, o exercício da profissão permite que o advogado limite seu horário de disponibilidade.

Separe a comunicação do trabalho

É muito comum que alguns clientes queiram se valer da informalidade da comunicação para tirarem dúvidas e fazerem verdadeiras consultas.

É preciso que o advogado atue com diligência separando o trabalho da comunicação para que não saia no prejuízo. Ao perceber que a dúvida do cliente é na verdade uma pauta de consultoria, procure explicar isso a ele e peça que ele formalize sua questão via e-mail para que não hajam desentendimentos sobre a prestação de serviços.

Não descuide

Para você, ele pode ser só mais um cliente. No entanto, para ele, você pode ser o gestor de uma grande causa em sua vida. Por esse detalhe, todo cliente deve ser tratado de acordo com suas necessidades e peculiaridades. Embora não seja possível “dar atenção” a todo momento, o advogado não deve descuidar de manter o cliente informado sobre todos os andamentos de seu processo.

Existem softwares gratuitos para advogados que permitem que você controle as informações de seus clientes e sua agenda, permitindo que você mantenha-os informados sobre o andamento de suas ações. Com isso, o advogado tem mais tempo para gerenciar outras atividades sem deixar o cliente se sentindo abandonado.

Este post foi útil para você? Quais as ações que você já faz e que surtem resultado positivo similar? Compartilhe com a gente!

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Tiago Fachini) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados