JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Ortografia Oficial 2016 com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

População: Uma abordagem de sistemas


Autoria:

Fernanda Oliveira Villela


Estagiária Curso de Direito no Centro Universitário Univates

envie um e-mail para este autor

Resumo:

A solução para o controle do aumento da população não está apenas na produção de alimentos, mas sim em todas as outras alternativas, para que deste modo não se perca o controle.

Texto enviado ao JurisWay em 09/06/2017.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

21 de maio, Stuttgart.

            Há aproximadamente duzentos mil anos atrás, houve o surgimento da população, população HOMO SAPIENS. Estes iniciaram em uma pequena população, que com o passar do tempo, vieram a migrar todos os continentes.

Durante todo esse período, até o inicio histórico deste planeta, houve vários acontecimentos, dentre eles o aumento da população, que principalmente ocorreu graças a revolução agrícola, pois assim, diante da maior quantidade de alimentos, a população começou a crescer, desenvolver, duplicar cada vez mais em um tempo menor.

Benção: Uma fábula sobre a população

Pesquisadores de um laboratório criaram os analgésicos, que depois de ingeridos amenizavam as pequenas dores. Esta espécie de medicamento, ao ser estudado em ratos, verificou-se que, após a aplicação deste os ratos apresentavam quadros de melhora, pois além de aliviar as dores, constataram também o aumento de apetite bem como o aumento de acasalamento.

Diante do resultado positivo deste analgésico nas pessoas, o medicamento passou a ser conhecido como uma “BENÇÃO, pois aliviava as dores que as acometiam.

Esta “benção” no inicio era comercializada em forma de pílulas ou até mesmo líquidas. Mas diante de tantos benefícios, a população passou a comercializá-la como uma espécie de sal, passou a ser um complemento alimentar para a população.

 A partir de então, diante do grande consumo desta droga, as pessoas sentiam-se melhores, com uma sensação de bem-estar e a taxa de natalidade passou a aumentar cada vez mais, com acréscimo de aproximadamente em 10%.

Assim, diante do aumento da população, com o passar do tempo, houve uma crise populacional. Pois de acordo com os grandes biólogos, estes acreditavam que o planeta não possuía mais capacidade de suportar tamanha população, que estávamos a caminho de um grande colapso, preocupando assim os governantes, que passaram a estudar esta situação.

Diante disso, surgiu-se a ideia de controlar a população. O controle de natalidade passou a ser a medida a ser tomada, para evitar, assim, a crise ali existente. Já a “Benção”, em nenhuma hipótese foi cogitada, como se não houvesse nenhuma influencia do que estava acontecendo.

Crescimento e o ABC da ecologia

A teoria do ABC da ecologia, refere-se a cadeia produtiva, um ciclo, ou seja, a energia se origina das plantas, que passa para as criaturas que se alimentam de plantas, que após passam para os predadores que se alimentam desses pequenos animais e assim por diante...

Pode-se afirmar que toda a forma de alimentação do nosso planeta, tem origem dos vegetais verdes.

O aumento na quantidade de alimento significa crescimento. A redução de alimento significa diminuição. Quanto mais alimentos, maior o crescimento; quanto menos comida, maior o declínio da espécie.

O experimento feito dez mil vezes

Observa-se que diante do aumento da produção de alimentos, conseqüentemente há o aumento da população. Este foi o resultado de estudos realizados de cinco experimentos anuais: “Vamos ver o que acontece se aumentarmos a produção de alimentos este ano. Ei, olhe só, a população também aumentou!”

Três experimentos

No experimento 01: em uma gaiola foram colocados dois ratos jovens e saudáveis. Dentro da gaiola tem um recipiente para comida, onde foram colocados dois quilos de comida e todo dia se colocavam a mesma quantidade de comida, mesmo que sobrasse. Ao passar do tempo, os ratos foram aumentando e a quantidade de comida foi mantida a mesma, no passar do tempo, pode-se observar que o crescimento da população parou de crescer, devido à falta de alimentação para todos os ratos mantidos ali naquela gaiola.

Experimento 02: Numa gaiola, foram colocados dois ratos, mas desta vez, foi adotado um novo procedimento, em vez de colocar a mesma quantidade de comida, era colocada sempre cinquenta por cento a mais. Os animais foram se desenvolvendo e crescendo, até certo momento em que a quantidade de comida colocada na gaiola foi sempre à mesma, sem aumentar. Assim houve uma estabilização no crescimento populacional daquela comunidade.

Experimento 03: praticamente é idêntico ao experimento 02 até o final, só que ao invés de manter a quantidade de comida sempre a mesma, os pesquisadores começam a diminuir a comida. Essa redução provocou um declínio na população ali existente.

Objeções

Esta história não apresenta a confirmação de que podemos aumentar a produção de alimentos e simultaneamente acabar com o crescimento da população, a história, ao contrário, confirma que se houvesse mais alimentos disponíveis, haveria mais gente para consumi-los.De acordo com o ABC da ecologia, nós somos comida, somos feitos de comida.

Cumpre destacar que a importância desta objeção é de que a nossa capacidade de produção dealimentos está em declínio e mesmo assim o aumento da população mundial é constante.

 

Conclui-se então que a solução para o controle do aumento da população não está apenas na produção de alimentos, mas sim em todas as outras alternativas, para que deste modo não se perca o controle. 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Fernanda Oliveira Villela) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados