JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Brasil: dependência ou morte!


Autoria:

Thiago M. Martinez


Advogado consultor. Especialista em Direito Civil / Processual Civil pela Faculdade Autônoma de Direito de São Paulo (FADISP). Pós-Graduado em Direito Civil / Consumidor na Escola Paulista de Direito (EPD)

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Em mais um ano de independência, vivemos a necessária dependência. Uns dependem necessariamente dos outros para viver e sobreviver. Mas alguns ainda se julgam "aparentemente" independentes... Especialmente no Brasil. Dependência ou morte?

Texto enviado ao JurisWay em 01/08/2013.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Em mais um ano de independência, percebe-se o quanto nós ainda somos dependentes de um passado que parece eterno. Com razão, as coisas estão na mesma do antes até este depois em que vivemos. De mudanças, apenas aquelas sutis que não fazem tanta diferença na história.

Dessa maneira, continuamos entregues a sistemas falhos do qual dependemos para sobreviver. Apesar dos avanços, o estágio regressivo continua na mesma em nome de uma política voltada a poucos privilegiados.

O pior de tudo é saber que somos dependentes por vontade própria. Aliás, de uma forma voluntária a justificar todos os nossos enganos. Tudo no famoso provérbio em jargão: se ele faz, por que eu não posso fazer também? Enxergamos, como políticos, a política de vida que mais nos favorece de acordo apenas com interesses particulares.

O que não sabemos, porém, é que fazemos parte dos interesses alheios. Por quê? Simplesmente porque somos parte integrante do corpo social. E como dependentes de uma sociedade, temos total incapacidade de manter nossos privilégios quando solitários. – De fato, para nos darmos bem precisamos de alguém para se dar mal…

De qualquer maneira, ainda que vivamos num bacanal de impunidade, o mundo aqui gira do mesmo modo que gira em qualquer outro país. E nessa redundância lógica, o bem de hoje pode ser, talvez, o mal dum amanhã. – Nunca se sabe, não é mesmo?

A verdade algum dia aparece e derruba um sistema ou pessoa contra-social. Por esse motivo, empresas vão à falência levando os sócios dela, muitas vezes, a bancarrotas homéricas. A causa e efeito, pela teoria dos fatos determinantes, é determinada aqui ou em quaisquer lugares deste planeta.

Quando o interesse próprio vestido por mentiras é descoberto por verdades sociais que gritam, a queda é inevitável. E ainda que tal mudança não mude o sistema, ela destrói quem um dia se aproveitou dele. – Lembre-se: você depende do sistema, mas ele independe de você!

Assim caíram a monarquia e tantos impérios particulares. E o conjunto da obra? Esse jamais desabou ou desabará enquanto as mudanças culturais deste povo não forem radicais. – O que parece improvável! Ainda assim, a esperança persiste! Até porque somente a morte, que nos transforma em coisas, pode tornar algo impossível!

E fica a eterna pergunta do eterno poeta: “que país é esse?”

Para ler mais artigos meus relacionados ao tema, acesse www.melhoresbaladas.com.br

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Thiago M. Martinez) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados