JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Por que investir na educação?


Autoria:

Marco Túlio


Advogado, atuante em Belo Horizonte. Graduado em Direito pela UFMG e Pós-graduado em Gestão de Pessoas pela FDC.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Algumas ponderações sobre a importância e forma como a educação é vista no Brasil

Texto enviado ao JurisWay em 11/10/2007.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Muito se fala acerca da importância de se investir na educação, de se manter sempre atualizado e buscar constantemente se aprimorar. A Coréia do Sul é tida como grande exemplo mundial nesse aspecto de mudança de postura. A nação colhe hoje os frutos de um investimento feito há décadas, mas que colocou o país numa situação privilegiada.

 

O capital intelectual representa um grande fator de desenvolvimento, tanto coletiva como individualmente. Para a sociedade, é interessante que a população seja engajada e possua conhecimentos diversos. Assim, poderá explorar vários campos e valores diferentes, sob vários enfoques e com idéias inovadoras. E para cada pessoa, desenvolver uma capacidade cada vez maior de interação com o mundo ao redor representa uma forma de explorar o seu próprio potencial.

 

Pode parecer estranho imaginar como uma aula de história ou matemática irá influenciar nas tomadas de decisão futuras. Porém, o simples fato de estudar, ler, assimilar um conteúdo, cria desafios e aprimora a capacidade interpretativa. Ainda que o conhecimento seja passado de forma dogmática, a continuidade nos estudos estimula o questionamento e a reflexão. E é exatamente a partir desta reflexão que o indivíduo passa a interagir positivamente no universo que o cerca, contribuindo cada vez mais com idéias novas e conhecimentos importantes.

 

Rubem Alves nos ensina que as pessoas não são movidas pela verdade, mas pela beleza. Sendo assim, o primeiro passo a fazer é fomentar o interesse pela educação. Completar o ensino fundamental, por exemplo, significa mais do que preencher os requisitos de uma oferta de emprego. A compreensão de uma matéria envolve mais do que ser aprovado nela, mas é uma oportunidade de aprender algo novo, independente deste conhecimento vir ou não a ser aplicado posteriormente.

 

Quando se está empenhado num projeto, como o de aprender, é preciso dedicação e interesse: fazer perguntas, pesquisar, explorar os vários meios de aproveitar aquele conteúdo. Muitos se contentam em dar o peixe, quando na verdade, o que realmente importa é ensinar a pescar. A verdadeira conquista de um professor é contribuir para a formação de uma pessoa, despertar-lhe o interesse pela matéria. Em resumo: criar naquele indivíduo o desejo pelo aprendizado.

 

O aprendizado lúdico propõe justamente aliar diversão e educação. A diversão não necessariamente se limita a jogos, mas a qualquer meio que desperte o interesse do aluno. Uma criança pode se deslumbrar com um laboratório científico, da mesma forma que um adulto pode se empolgar com uma aplicação prática de um conhecimento que traga retorno financeiro, por exemplo.

 

É preciso retirar da mentalidade coletiva a idéia de que a educação é algo necessário, mas sim que ela é interessante e abre portas para oportunidades melhores. A verdadeira reforma não está na legislação, ou qualquer outra medida salvadora. Todo desenvolvimento ocorre por etapas. Cada um precisa construir os alicerces sólidos para um futuro promissor, investindo em si mesmo. Da mesma forma, o país precisa investir hoje, para colher amanhã os frutos de uma nação consciente e bem preparada para os desafios de crescer sempre!

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Marco Túlio) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados