JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Sala dos Doutrinadores - Estudos & Pesquisas
Autoria:

Edywan Dias Dos Santos


Advogado Militante nas Áreas Trabalhista, Civil e Empresarial. Graduado em Direito pela Faculdade Arthur Thomas - FAAT. Especialista em Teologia Calvinista pela Faculdade Virtual Livre de Sociologia, Antropologia, Cultura e Religião. Docente e palestrante nas áreas de Direito e Teologia.

Endereço: Avenidajuscelino Kubitschesck, 3383 - Sobre Loja, Sala 07
Bairro: Ipiranga

Londrina - PR
86010-540

Outros artigos da mesma área

Prescrição e Decadência Penal

DOCUMENTÁRIO JUSTIÇA - Da Jurisdição Alienada à Justiça de Papel

A delação Premiada: um questionável meio de provas frente aos princípios e garantias constitucionais

População Julga Políticos 2.

Breve análise doutrinária acerca dos crimes contra o sentimento religioso e repeito aos mortos

Da defesa dos costumes à proteção da dignidade sexual

CRIME PASSIONAL: UM MAL CULTURAL SOCIAL

CONSTITUCIONALIDADE OU INCONSTITUCIONALIDADE DO PROCEDIMENTO ESPECIAL PARA CRIMES DE RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS?

LEI MARIA DA PENHA E A QUESTÃO DE VÍDEOS ÍNTIMOS POSTADOS NA INTERNET

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NAS POLÍTICAS VOLTADAS PARA O SISTEMA PRISIONAL: A GARANTIA DO RESPEITO À INTEGRIDADE FÍSICA E MORAL DOS CUSTODIADOS.

Mais artigos da área...

Estudos & Pesquisas Direito Penal Processo Penal

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

Este artigo visa em forma concisa tecer comentários a respeito da utilização dos Embargos de Declaração no processo Penal

Texto enviado ao JurisWay em 29/01/2011.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

Edywan Dias dos Santos Sumário: INTRODUÇÃO. 1. QUANDO PODEM SER OPOSTOS?. 2. A QUEM SÃO DIRIGIDOS?. 3. PRESSUPOSTOS. 4. PROCEDIMENTO. 5. CABE RECURSO DO DESPACHO QUE INDEFERE LIMINARMENTE O REQUERIDO?. 6. SUSPENDE O PRAZO DE OUTRO RECURSO?. 7. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO OPOSTOS AO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO?. REFERÊNCIA.

 

INTRODUÇÃO

                                        Segundo prescreve o artigo 619 do CPP: “Aos acórdãos proferidos pelos Tribunais de Apelação, câmaras ou turmas, poderão ser opostos embargos de declaração, no prazo de 2 (dois) dias contado da sua publicação, quando houver na sentença ambigüidade, obscuridade, contradição ou omissão.”

1. QUANDO PODEM SER OPOSTOS?

                                       Muito embora o texto legal fale apenas em tribunais de justiça, os embargos poderão ser opostos por acórdãos proferidos por outros tribunais. É importante salientar que, quando os embargos forem opostos contra acórdão (decisão do tribunal), a fundamentação está no artigo 619 do CPP. Entretanto quando os embargos forem opostos contra sentença de 1º grau, a fundamentação está no artigo 382 do CPP. Entretanto caso trate de JECrim o fundamente encontra-se no artigo 83 da Lei 9099/95.

2. A QUEM SÃO DIRIGIDOS?

                                       Os embargos devem ser dirigidos, em petição, ao próprio Relator do acórdão embargado dentro do prazo de 2 dias. O prazo começa a partir da publicação do referido acórdão. O artigo 263 do regimento do STJ prescrevia o prazo de 5 dias. Entretanto, houve alteração, de sorte que atualmente o prazo, continua o previsto no art. 619 do CPP. No STF o prazo é de 5 dias, nos termos do art. 337,§ 1º do respectivo regimento interno.

 3. PRESSUPOSTOS

                                       Os pressupostos para admissão são: a) Que o acórdão contenha ambigüidade, obscuridade, omissão ou contradição; b) Que o Embargante, indique no requerimento, o ponto que deva ser declarado ou corrigido.

4. PROCEDIMENTO

                                       Trata-se de recurso Inaudita altera parte, isto é, não é ouvida a parte adversa. No prazo de 2 (dois) dias após publicado o acórdão, a parte interessada fará uma petição ao próprio Relator, indicando no acórdão os pontos a ser corrigido ou declarado. Apresentada a petição subscrita por quem capacidade postulatória, será julgado a admissibilidade pelo Relator. Prescreve o § 2º do art. 619: “§ 2º - Se não preenchidas as condições enumeradas neste artigo, o relator indeferirá desde logo o requerimento.”

5. CABE RECURSO DO DESPACHO QUE INDEFERE LIMINARMENTE O REQUERIDO?

                                      Há quem entenda ser incabível o agravo regimental da decisão que rejeita, liminarmente, os embargos declaratórios, dentre eles Magalhães de Noronha, Espínola filho, Câmara Leal e outros. Entretanto no entendimento de Fernando da Costa Tourinho Filho é cabível o agravo regimental, utilizando como fundamento o art. 5º, LV da Constituição Federal em relação ao princípio do contraditório e da ampla defesa.

6. SUSPENDE O PRAZO DE OUTRO RECURSO?

                                      O código de Processo Penal é omisso a respeito. Entretanto, como no art. 538 do Código de Processo Civil, os embargos interrompem o prazo para outro recurso, e consoante com o art, 3º do CPP, tal princípio se entendeu ao Código de Processo Penal.

7. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO OPOSTOS AO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO?

                                      É perfeitamente possível a interposição de embargos declaratórios da decisão proferida em embargos declaratórios. Desde que nele haja obscuridade, ambigüidade, contradição ou omissão, nada impede a interposição de nos embargos.

REFERÊNCIAS

• TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. 31. ed. rev. e atual. V. 4. São Paulo: Saraiva, 2009.

• VADE MECUM SARAIVA. 7 ed. atual. E ampl. São Paulo: Saraiva, 2009.

• GRECO FILHO, Vicente. Manual de Processo Penal. 7 ed. rev. E atual. São Paulo:Saraiva, 2009.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Edywan Dias Dos Santos) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2014. JurisWay - Todos os direitos reservados