JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

POLITRAUMATISMO DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA CRIANÇA PELA FALÊNCIA MÚLTIPLA DO SISTEMA


Autoria:

Sérgio Luiz Da Silva De Abreu


Advogado, Graduação - UFRJ, Mestre em Ciências Jurídicas- PUC-Rio, Especialista em Advocacia Trabalhista - OAB/UFRJ, e em Direito Processual Civil - UNESA, Membro Efetivo do IAB, Associação dos Constitucionalistas Democratas, Prêmio Jubileu de Roma.

Endereço: R. Cel.josé Justino , 229
Bairro: Centro

São Lourenço - MG
37470-000


envie um e-mail para este autor

Resumo:

O ensaio é uma crítica ao aparato de proteção a infância. O esfacelamento das instituições, família e órgãos públicos de defesa da infância. O cotidiano do risco da violência simbólica e estrutural que são submetidas as crianças.

Texto enviado ao JurisWay em 22/03/2011.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?




POLITRAUMATISMO DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA CRIANÇA PELA FALÊNCIA MÚLTIPLA DO SISTEMA

 

 

 

O ensaio começa por uma história real que assim passo a narrar:  Certa vez uma jovem ambiciosa, resolveu empreender uma escalada social e engravidou de um jovem rapaz pois acreditava ser o caminho da ascensão. Ao constatar que o seu projeto social estava à deriva, pois a sua avaliação fora equivocada, entrou em rota de colisão, pois a vida não é tão esquemática quanto imaginava sua vã filosofia. Os contratempos, os (des) namoros, as traições enfim, toda a sorte de sentimentos sem nenhuma ou quase nenhuma nobreza fez dessa trajetória um fracasso emocional. Pois é, esta é a história contada aos milhões em meio à tragédia social vivida pela maior parte das mulheres que não encontra saída e buscam soluções de telenovela. O fruto desse amor é uma criança belíssima com fisionomia de quadro renascentista, um anjo michelangeliano. A brutalidade e a violência simbólica e estrutural daquela família e seu entorno faz daquele anjo, que vive fora do céu, precisar de socorro urgente, eis que sua vida está em risco e pode no plano da realidade vir a se tornar um anjo. Sua vida está em risco pelo desafeto, pela convivência com a violência praticada num ringue doméstico de quarto e sala, com a alma combalida pela experiência insuportável regada a alcoolismo e promiscuidade familiar. Brada por socorro, convulciona pelo abandono. O pugilato familiar não enxerga a dor da infante. Seus olhos embotados de sentimentos e lágrimas refletem a dimensão do sofrimento de quem está se alfabetizando na vida. A história foi coadjuvada  por diversos órgão estatais que se diagnosticadas suas condutas e seus procedimentos  por profissional da área médica concluiria seu laudo: óbito por falência múltipla dos órgãos. E por que falência múltipla dos órgãos? Pois que eu diria que a vítima dessa falência – criança – sofre na sua alma de politraumatismo, traumatizada em todas as instâncias do seu ser, da sua dignidade, do respeito que deveria ser garantido e por todas as mazelas sofridas e por todas as seqüelas inevitavelmente deixadas por longo tempo da sua vida, que não sabemos quanto.

A violência doméstica é contemplada pelo sistema como mito de narciso que deriva da palavra grega narke, "entorpecido" de onde também vem a palavra narcótico.   Assim, para os gregos, Narciso simbolizava a vaidade e a insensibilidade, visto que ele era emocionalmente entorpecido e indiferente às solicitações daqueles que se apaixonavam pela sua beleza.

 

O mitológico se faz real na medida em que refletimos sobre a tragédia cotidiana do homem comum. O Narciso  pós-moderno é símbolo de vaidade e insensibilidade, emocionalmente entorpecido pelo poder e indiferente as demandas sociais. A infância vulnerável a dor do desprezo daquele em quem depositou sua confiança e segurança. Salvem as crianças do inépto sistema desaparelhado pela contemplação narcísica que já o condenou a morte.

 

 

 

 

 

 

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Sérgio Luiz Da Silva De Abreu) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados