JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Intervenção de Terceiros


Autoria:

Elisangela Marcia Dos Santos


Elisângela Santos, Advogada, Pós-graduanda em Direito Processual pelo Instituto de Educação Continuada da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - IEC-PUC MINAS, Formada pela PUC MINAS. Servidora Pública da Secretaria Municipal de Saúde em Contagem/MG. Dinâmica e atuante na sociedade em que vive."Escrever é uma arte". Graciliano Ramos

envie um e-mail para este autor

Outros artigos do mesmo autor

Socorro. Pare! Ajude.
Direito Penal

Senado
Outros

Parentesco x Capacidade
Direito Constitucional

Dignidade é respeito!
Direitos Humanos

O papel da perícia psicológica na execução penal
Direito Penal

Mais artigos...

Resumo:

Intervenção de terceiros é um tema de muitas dúvida para os estudantes. A vários conceitos de grandes autores. O que melhor define e sana as dúvidas e a consulta ao CPC.

Texto enviado ao JurisWay em 17/11/2009.

Última edição/atualização em 18/11/2009.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Moacyr Amaral Santos conceitua terceiros como aquelas pessoas estranhas à relação de direito material deduzida em juízo e estranhas à relação processual já constituída, mas que, sujeitos de uma relação de direito material que aquela se liga intimamente, intervém no processo sobre a mesma relação, a fim de defender interesse próprio.

Já Athos Gusmão Carneiro, entende que terceiros são todos os que não forem partes no processo pendente.

Enquanto Vicente Greco Filho visa que terceiros é o legitimado para intervir, que ingressa em processo pendente entre outras partes, sem exercitar direito de ação próprio ou de outrem.

Para José Frederico Marques Intervenção de Terceiros é quando alguém ingressa como parte ou coadjuvante da parte, em processo pendente entre outras partes.

Destas considerações sobre terceiros, existem dúvidas, pois terceiro ora é o indivíduo considerado a contrário sensu da parte, ora aquele que não exercita direito próprio, e finalmente aquele que adentra numa relação processual pendente e manifestando-se na defesa do seu interesse, não há como distinguir sua conduta daqueles que sejam partes.

Para o processo civil intervenção de terceiros se dá:

        I.            Assistência – que é o ingresso voluntário do terceiro com o objetivo de ajudar uma das partes. Art. 50 a 55 do CPC.

      II.            Oposição – caracteriza como ingresso voluntário visando a obter o bem que está sendo controvertido entre as partes originárias. Art. 56 a 61 do CPC.

    III.            Denunciação da lide ou pelo Chamamento ao processo – que são meios pelos quais uma das partes traz o terceiro ao processo com vista a obter uma sentença que o responsabilize. Art. 70 a 80 do CPC.

    IV.            Nomeação a autoria – ato com o qual o réu, dizendo se a parte ilegítima ad causam, indica ao autor a parte legitima. Art. 62 a 69 do CPC.

Elisângela Márcia dos Santos- universitária do

Curso de Direito da PUC/Betim.

 

 

  

Fonte: BRASIL. Código de Processo Civil - JUNIOR, Humberto Theodoro; Curso de Direito Processual Civil; Rio de Janeiro: Forense, 2009, 50ª ed.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Elisangela Marcia Dos Santos) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados