JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Estamos preparados para o jeito Netflix?


Autoria:

Gustavo Rocha


Advogado Pós-Graduado Gerente jurídico por 4 anos Membro da comissão especial de Processo Eletrônico da OAB/RS Membro da comissão especial de Fiscalização e Ética Profissional da OAB/RS Membro da comissão permanente de Acesso a Justiça do Conselho Federal da OAB Implanta gestão e softwares jurídicos desde 1997 Sócio da Consultoria GustavoRochacom, inscrita no CRA/RS 003799/O Presta exclusivamente consultoria nas áreas de gestão, tecnologia, marketing jurídico e processo eletrônico. 10 anos de consultoria direcionada em escritórios e departamentos jurídicos no Brasil e Portugal Mais de 2000 artigos publicados no portal www.gustavorocha.com Canal no Youtube (gustavorochacom) com aulas, palestras e dicas práticas Palestrante e professor convidado de universidades e cursos de Pós-Graduação pelo país nas áreas de gestão, tecnologia, marketing jurídico e processo eletrônico Contato direto: gustavo@gustavorocha.com

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Estamos preparados para o jeito Netflix?

Texto enviado ao JurisWay em 01/07/2019.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Ao analisarmos o manifesto de cultura do Netflix, percebemos duas realidades muito interessantes e diferentes do jeito comum do mercado fazer as coisas, quando o assunto é gestão de pessoas:

Ao invés de um departamento de gestão de pessoas, eles trabalham com dois conceitos fortes, intrínsecos a realidade deles:

1. Liberdade com responsabilidade; e

2. Mais contexto e menos controle.

LEIA O MANIFESTO NA ÍNTEGRA (EM INGLÊS): HTTPS://JOBS.NETFLIX.COM/CULTURE

Como assim? Como isto funciona?

A ideia é contratar as melhores pessoas para aquela vaga, mesmo que o processo seletivo leve meses para ser preenchido, pois para dar liberdade as pessoas é necessário que as mesmas compreendam muito bem as suas responsabilidades, de modo que ao usar a liberdade que a empresa dá (noticia-se de pessoas que tiram 2 meses de férias, por exemplo), as mesmas tenham seus objetivos cumpridos para que possam usufruir desta realidade.

Isto também pressupõe maturidade profissional e pessoal para que as pessoas compreendam suas responsabilidades, e usem os seus direitos e não apenas pensem que tem direitos sem responsabilidades (como parte das pessoas vê na atualidade).

E na ideia de mais contexto e menos controle, na Netflix o CEO passa diretrizes periodicamente e as pessoas tem total liberdade para usarem orçamento, gerir as pessoas subalternas, organizar mudanças, tudo no princípio que se temos o contexto dado pelo CEO, as pessoas tem liberdade e responsabilidade, o controle torna-se desncessário.

Por óbvio, para isto dar certo, é essencial uma cultura organizacional forte, treinamentos, não coadunar com condutas erradas e estabelecer uma organização em que as pessoas possam evoluir junto com a empresa.

E porque isto é tão diferencial da realidade da maioria das empresas?

Porque muitas vezes contratamos apenas o mais barato, aquele que faz o padrão e achamos bom, porque muitas vezes não damos liberdade nenhuma e achamos que somente nossas ideias são as corretas, outras vezes porque não queremos perder tempo com treinamentos e aculturamento (um dos maiores erros ao meu ver) e some-se ao fato de muitas pessoas estarem no mercado de trabalho despreparadas emocionalmente, o que nos leva a lidar com situações de infantilidade e imaturidade, onde isto somado ao grupo, leva a efeitos manada coletivos de sandices.

(PRA PENSAR!!!)

E diante de tudo isto, queremos uma revolução não é mesmo?

Mas, como fazer com as pessoas que temos? Temos que mudar toda equipe?

Lógico que não! Precisamos primeiro verificar nossos propósitos, nosso contexto e deixar isto claro a todos. E contexto/propósito não é dar ordens e dizer ganhem mais e gastem menos. Contexto/Propósito é dizer aonde a empresa está indo, seus objetivos, seus porquês.

Aliás, toda esta revolução pode começar respondendo a seguinte pergunta:

Qual o meu propósito para estar aonde estou?

ADVOGANDO, ESTUDANDO, TRABALHANDO…

Enfim, tudo tem um começo. Se quer mudar, comece agora!

Mude/permaneça com propósito, crie novas formas, reformule antigas. O que realmente não trará mudança é ficar parado…

 

#FraternoAbraço

Gustavo Rocha
Consultoria GustavoRocha.com  |  Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos
Robôs  | Inteligência Artificial  |  Jurimetria
(51) 98163.3333  | gustavo@gustavorocha.com  | www.gustavorocha.com

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Gustavo Rocha) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados