JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Recursos no Novo CPC com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vdeos
Modelos
Perguntas
Notcias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

O SISTEMA DE PLANTIO DIRETO NA PALHA COMO UMA DAS SOLU합ES PARA OS EFEITOS DA REVOLU플O VERDE.


Autoria:

Camila De Carvalho Brito


Servidora pblica municipal; graduanda em Direito pela Universidade Estadual do Maranho.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

O presente artigo versa sobre o Sistema de Plantio Direto diante do impasse de aumentar a produ豫o de alimentos sem, no entanto, desfavorecer o meio ambiente.

Texto enviado ao JurisWay em 30/05/2018.

ltima edi豫o/atualiza豫o em 03/06/2018.



Indique este texto a seus amigos indique esta pgina a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

O SISTEMA DE PLANTIO DIRETO NA PALHA COMO UMA DAS SOLU합ES PARA OS EFEITOS DA REVOLU플O VERDE.

 

 

Camila de Carvalho Brito[1]

Thiago Oliveira Gaspar[2]

 

RESUMO

O presente artigo versa sobre o Sistema de Plantio Direto diante do impasse de aumentar a produ豫o de alimentos sem, no entanto, desfavorecer o meio ambiente. Com esse objetivo, a metodologia utilizada no decorrer desse artigo o mtodo narrativo consistindo em pesquisas em outros artigos, revistas eletrnicas e livros.

 

Palavras-Chave: Meio Ambiente. Revolu豫o Verde. Sistema de Plantio Direto na Palha.

 

ABSTRACT

This article deals with the Direct Planting System in the face of the impasse of increasing food production without, however, disfavoring the environment. With this objective, the methodology used in the course of this article is the narrative method consisting of researches in other articles, electronic journals and books.

 

Keywords: Environment. Green Revolution. Direct Planting System in the Straw.

 

 

INTRODU플O

Idolatrada por uns, destoante para muitos, a Revolu豫o Verde surgiu com o argumento tendencioso apresentando-se como uma nova e pioneira inova豫o na produ豫o mundial de alimentos e fibras e para atender a demanda mundial de uma popula豫o crescente, resultante de 1970.

No obtuso a tal pondera豫o, este foi um programa realizado a partir da ideologia para o aumento da produ豫o agrcola, melhoria na gentica em semente, uso intensivo de insumos, mecaniza豫o e redu豫o do custo de manejo. Ela favoreceu o aumento na produ豫o, desencadeando um aumento na oferta de alimentos, ajudando a erradicar a fome no mundo alm proporcionar tecnologias que atingem maior eficincia na produ豫o agrcola. uma acelera豫o fundiria, as grande propriedades possuram mais recurso que as pequenas propriedades.

Entretanto tal sistema mostrou-se demasiadamente obtuso as prticas sustentveis de desenvolvimento agrcola e pecurio, empobrecendo a biodiversidade e eliminando abelhas, minhocas e outros animais, alm de espcies de plantas, tambm desenvolvem ervas daninhas resistentes e uma das consequncias mais gravosas por ser um projeto baseado em monoculturas e que fazem uso em grande escala de fertilizantes, agrotxicos e insumos de alto custo. A vontade, no mais de suprir a fome no mundo, mas sim lucrar a todo custo trouxe tona devasta豫o de grandes reas em razo do avano das fronteiras agrcolas.

O atendimento das necessidades dos pases ricos por alimentos e fibras vegetais mais funcionais e mais elaborados e da grande popula豫o de baixa renda nos demais pases deve feito de modo sustentvel e harmnico, isto , sem comprometer a habilidade das gera寤es futuras de tambm atender suas necessidades.

Nessa senda que a grande questo que se coloca nesse limiar do Sculo XXI como viabilizar um novo modelo de agricultura de alta performance, que continue produzindo alimentos em escala global, capaz de suprir as necessidades de uma humanidade que cresce geometricamente, e, ao mesmo tempo, preservar o que resta dos recursos naturais e da biodiversidade.

 

1 REVOLU플O VERDE E DANOS AMBIENTAIS

Durante as dcadas de 1960 e 1970,  houve a implanta豫o de novas tcnicas agrcolas onde pases em desenvolvimento aumentaram significativamente sua produ豫o agrcola, atravs da ideia de Revolu豫o Verde cuja principal ideologia era aumentar a produ豫o num cenrio de ps-guerra mundial.

Esse programa foi discutido e financiado pelo grupo Rockefeller, sediado em Nova Iorque. Utilizando um discurso humanitrio de aumentar a produ豫o de alimentos para acabar com a fome no mundo, o grupo Rockefeller expandiu seu mercado consumidor, fortalecendo a corpora豫o com vendas de pacotes de insumos agrcolas, principalmente para pases em desenvolvimento como Mxico,Brasil e ndia.Esse novo padro deixou de lado as tcnicas tradicionais e  levou ao crescimento da produ豫o apenas nas grandes propriedades que tinham condi寤es para inser豫o do processo de moderniza豫o, como o relevo e o clima

As sementes aperfeioadas em laboratrios possuem alta resistncia a diferentes pragas e doenas, seu plantio aliado utiliza豫o de agrotxicos, implementos agrcolas, fertilizantes e mquinas.No entanto, esse programa trouxe danos irreversveis tanto no mbito social quanto no ambiental que, por ora, mais importante de ser ressaltado.

Mudanas climticas, falta de gua, polui豫o de mares e rios, entre outros, foram os efeitos dessa revolu豫o na questo ambiental. Inmeras so as discusses a respeito dessa mudana climtica provocada por a寤es humanas, a humanidade j ultrapassou 4 dos 9 Limites Planetrios, segundo a revista Science, e com isso chega ao que chamam de uma zona de  perigo. J foram ultrapassadas as fronteiras de mudanas climticas, de perda de integridade da biosfera, de mudana do sistema terrestre e de altera豫o de ciclos biogeoqumicos (o nitrognio e o fsforo).

Nas discusses sobre mitiga豫o da mudana do clima em nvel internacional, muito se discute sobre a redu豫o das emisses de gases de efeito estufa associadas s atividades industriais, gera豫o de energia, ao transporte, entre outros setores. Porm, curiosamente, pouco se fala sobre redu寤es maiores na agricultura e na pecuria – isso porque tais dessas atividades representarem juntas quase 1/4 das emisses globais de gases de efeito estufa.

De todos os setores, a indstria da carne a maior fonte de polui豫o da gua. Resduos animais excessivos e sem regulamenta豫o, fertilizantes qumicos, pesticidas, antibiticos e outros contaminantes relacionados ao gado entopem as hidrovias.A pecuria emite 64% de toda a amnia, o que causa a chuva cida e o sulfeto de hidrognio, um gs fatal.

O estrume j conhecido por ser uma das e o escoamento de esterco e de outros fertilizantes agrcolas responsvel por inmeras zonas mortas pobres em oxignio somente ao longo do litoral dos EUA. A aquicultura polui o ambiente com as algas txicas e produtos qumicos, como pesticidas e antibiticos.

Uma “solu豫o” para a redu豫o dos gases GEE a taxa豫o de produtos relacionados pecuria, ou seja, precificar as emisses dos alimentos poderia contribuir para a diminui豫o dos impactos da mudana climtica visto que grande parte da redu豫o das emisses se daria pelo aumento do preo mdio dos produtos alimentares de origem animal, de tal maneira que esse preo passaria a refletir tambm os custos ambientais da produ豫o do alimento.


2 A SEGUNDA REVOLU플O VERDE

Como visto, enfrentou-se o desafio da fome mundial por meio do melhoramento gentico de sementes, insumos industriais, mecaniza豫o e redu豫o do custo de manejo, o que ficou conhecido como Revolu豫o Verde. Mas a popula豫o mundial no cessou de crescer e os desafios da demanda persistiram.

A luta contra a fome no se reduz ao aumento da oferta de alimentos. Os que passam fome devem ter condi寤es de adquirir ou de auto produzir o seu sustento, o que nos remete ao emprego gerador de renda, ao auto-emprego e reforma agrria. Tais questes no se resolvem pela aplica豫o das tecnologias da primeira revolu豫o verde.

sabido que uma Segunda Revolu豫o Verde ou "revolu豫o sempre verde" (evergreenrevolution), tambm chamada por pesquisadores franceses de "revolu豫o duplamente verde" est em andamento, ante a queda da produtividade, principalmente do arroz, que ocorre em pases asiticos por diversos motivos, segundo informa寤es de um importante artigo publicado pelo The Economist.

Para tal, novas variedades foram e esto sendo desenvolvidas pelo IRRI – International Rice ResearchInstitute nas Filipinas com diferentes finalidades. Algumas delas so resistentes s inunda寤es, outras s secas, s salinidades ou aos calores extremos, problemas enfrentados pelos pequenos e pobres produtores asiticos cuja renda buscam elevar. Alm de melhorar seus nutrientes.

Quando submersas em gua da chuva, por exemplo, a semente contm uma sequncia gentica que a coloca em uma espcie de hiberna豫o, permitindo que, em vez de se afogar, o arroz cresa quando as guas baixam.

Em analogia, enquanto a primeira revolu豫o conseguiu melhoramentos pela gentica tradicional – aquela que se utiliza do cruzamentos de plantas, irradia豫o e modifica寤es genticas obtidas por meio de compostos qumicos. A segunda revolu豫o usa biotecnologia, especialmente a manipula豫o gentica.

Nesse sentido, percebe–se o mais importante nessa segunda revolu豫o verde: ela no se limita a adaptar sementes de arroz a ambientes especficos. Empenha-se em melhorar a qualidade nutricional do produto, e no apenas o nmero de calorias.

Portanto, o que se pode inferir que a primeira revolu豫o verde ensejou o debate ambiental, indispensvel supresso de efeitos colaterais nocivos. J a segunda revolu豫o ocorre sob a gide dessa nova cincia, a ecologia, cujos fundamentos acompanham as pesquisas.

Insta destacar que nesta Segunda Revolu豫o Verde os governos procuram tambm proporcionar renda adicional para muitos produtores que sofrem de pobreza absoluta. Os preos para suas produ寤es no podem obedecer simplesmente s regras do mercado internacional que tendem a mant-los comprimidos, necessitando serem subsidiados.

Para que haja a competitividade internacional da agropecuria brasileira so necessrios novos esforos sistemticos no sentido de maior produtividade, juntando-se suportes governamentais aos esforos que esto sendo feitos pelo setor privado.

Porm, a explora豫o poltico ideolgica a que o tema tem sido submetido inibe os governos a apoiar as pesquisas genticas, no obstante os bilhes de vidas que podem salvar. A produ豫o de alimentos, assim como a ecologia, cincia, no ideologia. No podem, pois, viver em conflito.

 

3 SISTEMA DE PLANTIO DIRETO (SPD)

De acordo com ASSAD, Eduardo (FDBS) a utiliza豫o da tecnologia do plantio direto j esta desenvolvida em grande parte das reas agrcolas do Centro-Sul do pas, especialmente com soja, milho e trigo, com expanso para outras regies, em especial o Centro-Oeste e para outras culturas, como o algodo. Desde 2001, o SPD brasileiro indicado pela FAO (Organiza豫o das Na寤es Unidas para a Agricultura e Alimenta豫o) como modelo de agricultura.

O Sistema Plantio Direto (SPD) conceituado como a forma de manejo conservacionista que envolve todas as tcnicas recomendadas para aumentar a produtividade, conservando ou melhorando continuamente o ambiente. Fundamenta-se na ausncia de revolvimento do solo, em sua cobertura permanente e na rota豫o de culturas. Pressupe, tambm, uma mudana na forma de pensar a atividade agropecuria a partir de um contexto socioeconmico com preocupa寤es ambientais (Hernani &Salton, 1998).

A prtica do Plantio Direto est diretamente relacionada com a rota豫o de culturas e a forma豫o de palha na cobertura do solo. A superfcie do solo deve permanecer protegida constantemente. Esta prote豫o depende da rea coberta pela palha. Quanto maior a cobertura, menores as perdas de gua no solo.

O contato da palha com a superfcie do solo atua como uma barreira fsica ao livre deslocamento da gua aumenta a sinuosidade do fluxo e a oportunidade de infiltra豫o no solo (Heckler& Salton,2002). Segundo Calegari (1997), na presena da cobertura morta ("mulch") h uma tendncia de manuten豫o da umidade no solo (diminui豫o das perdas de gua por evapora豫o), alm de diminuir a oscila豫o trmica nas primeiras camadas.

A palha pode atuar de vrias maneiras: a) regulando a incidncia de energia na superfcie do solo pela maior reflectncia da radia豫o solar; b) aumentando a umidade relativa do ar na camada imediatamente acima do solo, entre a camada de palha, o que reduz a demanda evaporativa; c) aumentando o volume de gua no solo pela maior taxa de infiltra豫o, devido a ausncia de crosta superficial; e d) aumentando a rugosidade superficial, reduzindo a velocidade do ar e diminuindo a demanda evaporativa.

No SPD, pode-se perceber que relevante a redu豫o de temperatura quanto o tradicional manejo  das planta寤es. Salton&Mielniczuk (1995) concluram que das variveis afetadas pelo preparo do solo, a cobertura e a capacidade calorfica volumtrica foram as que mais afetaram a amplitude trmica do solo.

Dentre as muitas razes para implantar-se culturas de cobertura do solo, pode-se destacar o uso de determinadas espcies, que antecedendo culturas comerciais podem proporcionar ganhos em fertilidade do solo e nutri豫o das plantas, pela reciclagem ou disponibiliza豫o de nutrientes que iro beneficiar as culturas subseqentes.

Com a manuten豫o da palha sobre a superfcie ocorrer um processo de acmulo gradativo de material orgnico no solo com o transcorrer do tempo. A partir de determinado momento, quando a taxa de adi豫o deste material orgnico superar a taxa de decomposi豫o, a concentra豫o de matria orgnica tender a aumentar, resultando no aumento da fertilidade do solo.

Como resultado da maior concentra豫o de nutrientes nas camadas superficiais e do maior teor de matria orgnica, haver aumento na eficincia de uso dos nutrientes, o que em muitas situa寤es possibilitar redu豫o nas dosagens dos adubos. (Heckler& Salton,2002).

 

CONSIDERA합ES FINAIS

 A revolu豫o verde no foi um verdadeiro “remdio para todos os males”. Ela trouxe um extraordinrio aumento da produtividade de gros onde j estavam reunidas as condi寤es para a sua aplica豫o, beneficiando aqueles que j tinham mais mecanismos para tal. Deixou de lado, porm, extensas reas geogrficas e marginalizou centenas de milhes de pequenos camponeses, alm de propiciar uma sequncia de impactos ambientais negativos como polui豫o das guas e solos pela agricultura intensiva em insumos qumicos, alm do desperdcio de gua e saliniza豫o dos solos.

A segunda revolu豫o ou “revolu豫o sempre verde” busca simultaneamente maior produtividade agrcola e sustentabilidade ambiental, combinando-as com uma op豫o social pelos pobres e pelas mulheres. Surgindo como uma proposta de moderniza豫o do mundo rural bem diferente daquela embutida na primeira revolu豫o verde.

Nesse sentido, a prioridade desta ltima revolu豫o passa a ser a adequa豫o dos pacotes tecnolgicos s necessidades da pequena agricultura familiar, inclusive no que diz respeito s biotecnologias suscetveis de aumentar a produtividade da biomassa e de abrir o leque dos produtos dela derivados.

Uma das tcnicas desenvolvidas na chama Revolu豫o Sempre Verde, e desenvolvimento no artigo, o Sistema Plantio Direto (SPD). Este conceituado como a forma de manejo conservacionista que envolve todas as tcnicas recomendadas para aumentar a produtividade, conservando ou melhorando continuamente o ambiente.

Como demonstrado, essa tcnica uma das mais viveis, pois tem como resultado, pela maior concentra豫o de nutrientes nas camadas superficiais e do maior teor de matria orgnica, o aumento na eficincia de uso dos nutrientes, o que em muitas situa寤es possibilitar redu豫o nas dosagens dos adubos.

 

REFERNCIAS

EHLERS, E. Agricultura Sustentvel: origens e perspectivas de um novo paradigma.2.ed. Guaba: Editora Agropecuria, 1999.

MUNDO EDUCA플O. A revolu豫o verde. Disponvel em: . Acesso em: 17 ago. 2010 s 22:00 h.

ROMEIRO, A. R. Agricultura e Meio Ambiente. Teorias e Histria do Progresso Tcnico. Tese de Doutorado. Instituto de Economia da Universidade de Campinas, Campinas.

SILVA, J.G. A nova dinmica da agricultura brasileira. Unicamp – instituto de economia. CAMPINAS – So Paulo, 1996.

TOLEDO, Bruno. Estudo: taxar carne pode e laticnios pode ajudar o clima global. Disponvel em: http://pagina22.com.br/2016/11/08/estudo-taxar-carne-e-laticinios-pode-ajudar-o-clima-global/>Acesso em: 17 de nov. 2016.

 CARNEIRO, M.A.C. et al. Produ豫o de fitomassa de diferentes espcies de cobertura e suas altera寤es na atividade microbiana de solo de cerrado. Bragantia, v.67, p.455-462, 2008.

CHIODEROLI, C.A. et al. Atributos fsicos do solo e produtividade de soja em sistema de consrcio milho e braquiria. Rev. Bras. Eng. Agr. Amb., v.16, p.37- 43, 2012.

EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECU핾IA. Plataforma plantio direto. Disponvel em < http://www.embrapa.br/plantio direto>. Acesso em 17. set. 2016

KLUTHCOUSKI, J. et al. Manejo do solo e o rendimento de soja, milho, feijo e arroz em semeadura direta. Sci.Agric., v.57, n.1, p.97-104, 2000..

TORRES, J. L. R. et al. Produ豫o de fitomassa por plantas de cobertura e mineraliza豫o de seus resduos em plantio direto. Pesq. Agrop. Bras., v.43, p.421-428, 2008.

 



[1] Graduanda em Direito pela Universidade Estadual do Maranho. Email: camila_brito00@hotmail.com

[2] Graduando em Direito pela Universidade Estadual do Maranho.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispe sobre direitos autorais, a reprodu豫o parcial ou integral desta obra sem autoriza豫o prvia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da pgina para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, no constitui ofensa aos direitos autorais a cita豫o de passagens da obra para fins de estudo, crtica ou polmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Camila De Carvalho Brito) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay no interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razo pela qual refletem exclusivamente as opinies, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentrio cadastrado.



Somente usurios cadastrados podem avaliar o contedo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou fao o cadastro no site.

J sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

No sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2018. JurisWay - Todos os direitos reservados