JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Capacidade para ser empresário ou sócio de empresa


Autoria:

Antonio Teixeira


Advogado. Mestre em Direito Constitucional. MBA Direito Tributário. Especializado em Direito Público e em Direito Previdenciário. Professor de Cursos de Graduação e Pós-graduação.

envie um e-mail para este autor

Texto enviado ao JurisWay em 03/02/2017.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

 

       Para ser empresário ou sócio de sociedade empresária, a lei exige que a pessoa natural seja plenamente capaz civilmente. Portanto, estão excluídos os menores de dezesseis anos, por serem absolutamente incapazes, nos termos do artigo 3º do Código Civil:

Art. 3o São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil os menores de 16 (dezesseis) anos.  

            Também estão excluídos os relativamente incapazes os menores de dezoito anos e maiores de dezesseis, os ébrios habituais, os viciados em tóxico, os pródigos e aqueles que não puderem expressar a sua vontade, como fixado pelo artigo 4º do Código Civil:  

Art. 4o São incapazes, relativamente a certos atos ou à maneira de os exercer:     

I - os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos;

II - os ébrios habituais e os viciados em tóxico;        

III - aqueles que, por causa transitória ou permanente, não puderem exprimir sua vontade;         

IV - os pródigos.

            Nestas hipóteses de incapacidade relativa, há necessidade de destacarmos algumas questões. Primeiro, os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos se forem emancipados, poderão, sem restrições se tornarem empresários ou integrarem sociedade empresária.   

            A emancipação pode ser expressa, quando lavrado instrumento público pelos pais ou tutor, como fixado pelo inciso I, parágrafo único do artigo 5º do Código Civil:   

                                   Art. 5º.

                                   Parágrafo único. Cessará, para os menores, a incapacidade:

I - pela concessão dos pais, ou de um deles na falta do outro, mediante instrumento público, independentemente de homologação judicial, ou por sentença do juiz, ouvido o tutor, se o menor tiver dezesseis anos completos;

No entanto, o Código Civil fixa determinadas situações que conferem capacidade plena ao relativamente incapaz, como o casamento. Estas hipóteses estão elencadas nos inciso II a V do parágrafo único, artigo 5º, Código Civil:

                          Art. 5º.

Parágrafo único.

...

II - pelo casamento;

III - pelo exercício de emprego público efetivo;

IV - pela colação de grau em curso de ensino superior;

V - pelo estabelecimento civil ou comercial, ou pela existência de relação de emprego, desde que, em função deles, o menor com dezesseis anos completos tenha economia própria.

            Observamos que o menor com dezesseis anos completos poderá ser empresário e, se a atividade empresarial constituir-se como fonte de subsistência, a incapacidade será afastada.     

            Os relativamente incapazes poderão ser sócios, mas neste caso terão que ser assistidos em todos os atos empresariais. Por exemplo, se for escolhido o administrador, o menor sócio votará, mas neste ato será assistido por seus pais.

            Por fim, destacamos que a capacidade do índio será regulada por lei especial, não se lhe aplicando as disposições do Código Civil.  

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Antonio Teixeira) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2020. JurisWay - Todos os direitos reservados