JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Reflexão e Ética no Mundo Atual


Autoria:

Mayara Rocha Faria


Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. Bacharel em Direito

envie um e-mail para este autor

Resumo:

O presente estudo visa abordar as questões referentes a Reflexão e a Ética no Mundo Atual.

Texto enviado ao JurisWay em 11/12/2014.

Última edição/atualização em 16/12/2014.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

 

Reflexão e Ética no Mundo Atual

 

 

Perfazer nos dias de hoje a trajetória da crise civilizatória e planetária nos leva a uma reflexão complexa e polemica, visto que estamos diante um mundo altamente voltado para o consumo desenfreado e levando a competições cerradas e muitas vezes avassaladoras entre os homens, concomitante ocorre o comprometimento do planeta e as condições necessárias ao seu pleno desenvolvimento e conservação, notamos que tal situação não surgiu nos últimos anos, mas já vem tomando dimensões caóticas nos últimos séculos. Essa abordagem é para que possamos refletir sobre os grandes problemas que hoje acometem a humanidade; o consumismo sem nenhuma ética, o que mostra um verdadeiro descaso com o planeta, a sua preservação e a garantia do seu uso de forma sustentável.

 

Não podemos ignorar a necessidade de consumo do homem, a abordagem para tal consumismo volta-se para o fato de que hoje o homem enquadra a sua felicidade na capacidade de ”ter”, o ato de consumir vem sendo colocado como o sinônimo de uma felicidade totalmente associada ao pensamento de que o prestígio social depende da sua capacidade de acumular bens, possuir e gastar; mesmo que ainda os mesmos venham a ser considerados supérfluos e desnecessários. Não podemos desvincular tal acontecimento do mundo globalizado e capitalista em que vivemos.

 

A crise planetária ambiental e civilizatória nos leva a uma breve e profunda reflexão, a busca da felicidade necessária, onde a humanidade (sociedade) não deve se basear nesse capitalismo desenfreado e ilusório, para acreditar que realmente faz sentido o consumo desenfreado, ato irracional que brota a cada dia no íntimo do ser humano. Tal ato que ilusoriamente traz a todos um verdadeiro bem estar passageiro.  O que falta é ser racional diante da problemática que esse consumo ilusório vem trazendo, deixar de ser escravo de uma fantasia consumista.

Nos dias de hoje, com a globalização, o que podemos perceber é que existe um consumismo desenfreado, o que traz para muitos possibilidades interessantes, mas ao mesmo tempo excluindo uma grande massa da população (sociedade).

 

Com a possibilidade de se obter cada dia mais, é notório que nessa sociedade de consumo, há de se falar na exclusão de muitos. Percebemos uma falta de convivência e cuidado consigo mesmo, com a natureza, e todos os seus elementos. Percebemos hoje nesse mundo globalizado e altamente capitalista em grande crescimento, é uma total falta de ética, pois para se obter o lucro não importa o meio, assim dizendo: “ o fim justifica os meios”. Por exemplo, hoje temos grandes empresas, multinacionais explorando trabalhadores, explorando o trabalho infantil, financiado o armamento e consequentemente as guerras e o mais catastrófico, destruindo o meio ambiente. Por onde anda a ética dessas empresas diante da humanidade e principalmente do meio ambiente?

 

A globalização infelizmente apresenta seus aspectos negativos no mundo atual de forma muito clara, uma vez que não trata de igual forma a todos os grupos sociais e culturais. Ela vem unificando como também dividindo, provocando desigualdades, a pobreza, a exclusão, o aprisionamento para muitos e a contrapartida a liberdade e a riqueza sem limites de poucos. Tratar dessa desigualdade associada a essa globalização é complexo, visto que na história, há o tratamento pela eliminação do “outro”, sua escravização. Podemos perceber que a igualdade será construída a partir do momento que for reconhecida as diferenças, existindo uma luta contra os preconceitos e a discriminação.

 

Consideramos assim, que hoje o grande desafio da sociedade concentra-se em resgatar o que há de melhor em cada um, na sua cultura, na sua possibilidade de decidir sobre sua organização social, crenças e valores. Quando preservamos a nossa tradição conseguimos de certa forma nos resguardar das falsas ilusões impostas pela globalização associada a um capitalismo de cosumo desenfreado, esse que traz a ilusão de um bem estar diante do objeto consumido.

 

O Planeta Terra necessita urgentemente de uma retomada de consciência em prol da humanidade, não se faz necessário que se pare o desenvolvimento, pois é possível uma associação do desenvolvimento econômico com a preservação do Planeta Terra (sua biodiversidade), assim como da sociedade. É necessário que uma parceria seja feita, garantindo o desenvolvimento associado à preservação.

 

Que possa ser vivido pelas futuras gerações um conceito mais solidário, onde haja a sustentabilidade pautando a exploração desse planeta. Que existam políticas garantidoras desse processo, e que o homem na sua “individualidade” possa ser capaz de entender que o único caminho para que tudo continue de forma harmônica é que o homem se torne “parceiro“ da natureza e seus elementos. Que haja ética, colocando a lei a serviço da vida. Ninguém precisa esperar pelo outro para dar início aos processos de mudança, e no atual momento em que vivemos, se essa mudança não ocorrer podemos estar dando a condenação final de que as futuras gerações não mais verão o Planeta Terra na sua totalidade.

 

 

 

 

 

Referências:

 

GUATTARI, Félix. As Três Ecologias. [Trecho indicado].

 

MUÑOS, Manuel. Sociodiversidade, Multiculturalidade e Sustentabilidade. [Trecho indicado].

 

GRIPA, Lenita. Consumo ético e solidário.  Acessado pelo endereço www.fbes.org.br/index.php?option=com_docman&task  em 07/03/2912

 

_____________. Dourados, 2007. Acessado pelo endereço: WWW.bancopiri.org.br em 07/03/2912

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Mayara Rocha Faria) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados