JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

República Federativa do Maranhão


Autoria:

Carlos Eduardo Rios Do Amaral


MEMBRO DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O DIREITO INFANTO-JUVENIL NO BRASIL.

DEFENSORIA PÚBLICA COMO PORTA DE ENTRADA E DE SAÍDA PARA A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

OS DIREITOS HUMANOS: O DESTINO NOSSO DE CADA DIA.

A Ruptura das Relações de Violência Doméstica Contra as Mulheres e a Efetividade das Políticas Públicas Articuladas

O MITO DA DEMOCRACIA RACIAL : "Assim é se lhe parece"

Novo papel da Defensoria Pública na tutela coletiva da execução penal (Lei 12.313, de 19 de Agosto de 2010)

Desmistificando o Brasil do amor e de Deus. A saga de um país desumano

A origem das desigualdades sociais, o golpe militar de 64, a guerrilha comunista, a criminalidade organizada no Brasil e as ações dos delinquentes infanto-juvenis, no século XXI

UTILIZAÇÃO DAS TÉCNICAS E TECNOLOGIAS NÃO-LETAIS NA ATUAÇÃO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA COM ÊNFASE NA ATUAÇÃO PENITENCIÁRIA.

A LEI 8.429/07/1992

Mais artigos da área...

Resumo:

República Federativa do Maranhão

Texto enviado ao JurisWay em 11/01/2014.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

República Federativa do Maranhão

 

Por Carlos Eduardo Rios do Amaral

 

Nesses últimos dias o País se deu conta da questão penitenciária em uma de suas vinte e sete Unidades Federativas, mas precisamente o Estado do Maranhão. Corpos decapitados, esquartejados e esfaqueados foram empilhados nos corredores das penitenciárias deste Estado. Tudo com direto a gravação de áudio e vídeo por celular que, passando pelas redes sociais e telejornais, acabou chocando toda a comunidade internacional, inclusive o Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

 

Em nota de pesar, divulgou esse Organismo internacional em seu sítio oficial na internet: “Lamentamos ter que, mais uma vez, expressar preocupação com o péssimo estado das prisões no Brasil e instamos as autoridades a tomarem medidas imediatas para restaurar a ordem na Penitenciária de Pedrinhas e outros centros de detenção em todo o País, bem como para reduzir a superlotação e oferecer condições dignas para as pessoas privadas de liberdade”.

 

Tomado pela certeza, resolvi acessar a página eletrônica da Defensoria Pública Estadual do Maranhão, para chegar a uma esperada e ligeira conclusão a respeito do que está acontecendo neste Estado. O que, na verdade, se repete na maioria esmagadora dos Estados do Brasil, inclusive no Estado do Espírito Santo. Sem olvidar, também, a situação aflitiva por que passam os menores infratores nas unidades de internação socioeducativas.

 

Pois bem. Diz o Ilustre Defensor Público-Geral do Estado do Maranhão no portal de sua Instituição: “Só o Poder Executivo pode criar cargos de Defensor. Desde 2009 que o Ministério da Justiça aponta a necessidade de, no mínimo, 200 Defensores Públicos Estaduais. Temos 53 candidatos aprovados em concurso público realizado em 2011 aguardando nomeação. Só há 10 cargos vagos na carreira, que ainda não foram providos por falta de recursos orçamentários. O Poder Legislativo também precisa cumprir o seu papel, que é aprovar a criação de mais cargos de Defensor Público e garantir um orçamento necessário para manter todas as unidades criadas em funcionamento e a criação de novas unidades no interior. O nosso orçamento é 4 vezes menor do que o do Ministério Público e 16 vezes menor do que o do Judiciário. Sem investimentos na Defensoria, o cidadão maranhense que precisar de um medicamento ou de uma internação hospitalar, para citar apenas uma de nossas atuações mais frequentes, e encontrar dificuldades no exercício de seus direitos, poderá ter a sua vida e a sua saúde seriamente comprometidas. A Defensoria do Maranhão, portanto, precisa ser fortalecida para que possa continuar salvando vidas” (http://www.dpe.ma.gov.br/dpema/VerNoticia.php?intnoticiaid=3034).

 

Quantas mais vidas? Quanto mais desespero e derramamento de sangue serão necessários para que os Senhores Governadores dos Estados, inclusive o Governo Federal, compreendam definitivamente que a questão orçamentária da Defensoria Pública significa a preservação da dignidade da pessoa humana? Não existe respeito ao cidadão necessitado, notadamente a aquele inserido no sistema penitenciário, sem acesso aos serviços de uma Defensoria Pública presente e atuante. O que está intrinsicamente ligado às possibilidades orçamentárias desta Instituição, de acordo com a vontade de cada Governador.

 

____________________   

 

Carlos Eduardo Rios do Amaral é Defensor Público do Estado do Espírito Santo

 

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Carlos Eduardo Rios Do Amaral) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados