JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Acima das leis o fato e o caráter


Autoria:

Thiago M. Martinez


Advogado consultor. Especialista em Direito Civil / Processual Civil pela Faculdade Autônoma de Direito de São Paulo (FADISP). Pós-Graduado em Direito Civil / Consumidor na Escola Paulista de Direito (EPD)

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Seria a advocacia favorável plenamente aos consumidores dela? Uma questão bem polêmica. E os jovens advogados? Teriam algum real futuro dentro do sistema atual? QI sabe... Neste artigo, ficam alguns questionamentos tão polêmicos quanto a polêmica.

Texto enviado ao JurisWay em 01/08/2013.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Dia 11 é um dia muito especial para a advocacia. Isso porque tal dia representa o direito de “pindura” aos advogados. Na verdade, todo dia 11/08 se comemora o dia do advogado; jurista de tanta importância numa sociedade de tantas surubas conflituosas.

Mas, sinceramente, há motivos para festas? Num corpo social vadio em que todos só querem foder, a advocacia muito intervém em nome de seus próprios interesses bacanais. E tudo com o consentimento dos pais representados pela OAB.

Para ser mais exato, se houvesse um pouco mais de moral dentro desse sistema, certamente os advogados ganhariam a vida se dando às convenções (acordos para logo enfiar a coisa no buraco certo). Além disso, não pagariam fortunas anuais a uma instituição tão passiva…

Para ler mais de meus artigos relacionados, acesse www.melhoresbaladas.com.br

Já procuraram um advogado? Certamente que sim! Na real, a maioria deles possui a técnica da enrolação. Defendem os direitos e até a falta de direitos alheios em nome, especialmente, dos próprios interesses por honorários.

Com isso, ao invés de os advogados (em regra) colaborarem para a prevenção e resolução de conflitos sem lide, assumem causas temerárias não como forma do exercício do direito de defesa, mas como maneira sorrateira de ganhar dinheiro. E em conluio com senhores do capitalismo, utilizam a Justiça vagarosa em prol de interesses escusos e conjugados.

Quanto à forma de se advogar, perdidos diante de tantas leis, aproveitam para mal fundamentar em nome da incompreensão para os julgamentos. – Assim, numa Justiça sem fundamentos, milhares de processos apodrecem em armários ou são julgados por um jeito qualquer em decisões de meras canetas.

O direito, por ser lógico, não está escrito nas leis (muitas delas mal formuladas, inclusive). Tudo reside nos fatos. E contra fatos não há argumentos. – Por isso existe um famoso provérbio que diz: “dê os fatos que eu lhe dou o direito” (isso na razão de que o direito é o espelho dos fatos – ou deveria ser).

Enfim, a advocacia padece junto da Justiça. Mais e mais bacharéis sem base se formam dia após dia. E não me refiro a preparo universitário, mas, sim, de vida e ética. Na verdade, os exames de ordem não deveriam avaliar apenas o que se decorou na faculdade, pois a avaliação mais importante para legitimar um advogado precisaria estar pautada no estudo do caráter dele. Fato!

Que se “pindurem” os advogados sem caráter em varas de Justiça!

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Thiago M. Martinez) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2020. JurisWay - Todos os direitos reservados