JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Desaposentação


Autoria:

Valmir Pinto Da Cruz Junior


Advogado -Pós-Graduado em Direito e Administração Pública pela Universidade Gama Filho- UGF- .

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

A PERSPECTIVA JURISPRUDENCIAL ACERCA DO PRAZO DECADENCIAL PARA REVISÃO DE ATO CONCESSÓRIO DE BENEFICIO PREVIDENCIÁRIO

Loas e sua função social

ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PARA PROFESSORES APOSENTADOS PORTADORES DE DETERMINADAS DOENÇAS

Os reflexos da crise econômica na Previdência Social para 2016

REGIME DE CAPITALIZAÇÃO DO CHILE

A MAJORAÇÃO DE 25% DO BENEFICIO DE APOSENTADORIA POR INVALIDEZ, PREVISTO NO ART.45 DA LEI 8.213/91 DIANTE DA POSSIBILIDADE DE EXTENSÃO AOS DEMAIS BENEFÍCIOS QUAL CRITÉRIO USAR-SE: REGRA DA CONTRAPARTIDA (PRÉVIA FONTE DE CUSTEIO) OU BENEFÍCIO ASSISTENCIAL?

Fatores que influenciam as eleições presidenciais.

A REFORMA DA PREVIDÊNCIA: QUEM VAI PAGAR A CONTA?

DIREITO PREVIDENCIÁRIO: COMPETÊNCIA EM RAZÃO DA MATÉRIA

Acréscimo de 25% sobre valores das aposentadorias de pessoas inválidas com necessidade de assistência permanente

Mais artigos da área...

Resumo:

Desaposentação -Só falta o STF decidir !!

Texto enviado ao JurisWay em 26/07/2013.

Última edição/atualização em 02/08/2013.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

DESAPOSENTAÇÃO

 

A desaposentação é o ato  do segurado de renunciar a aposentadoria que recebe com a intenção de requerer uma nova aposentadoria, mais vantajosa, que poderá ocorrer no mesmo regime ou em outro regime previdenciário.

 

É viável  nos casos em que o segurado aposentado continua trabalhando e contribuindo. Destarte, o tempo de contribuição referente à aposentadoria computado às contribuições que o segurado verteu ao INSS no período em que continuou a trabalhar e contribuir irá aumentar o valor do benefício. Para tanto, deve o segurado renunciar ao benefício que está recebendo e requer novo pedido de aposentadoria.

 

É importante destacar que o INSS é contrário à desaposentação, uma vez que, o referido é  vedado pelo § 2º do art. 18 da Lei n.° 8.213/91 e pelo art. 181-B do Regulamento da Previdência Social. Em razão de a autarquia estar submetida à legalidade estrita, os pedidos formulados são indeferidos.

 

Então àqueles que se aposentaram e continuaram a exercer atividades laborativas  contribuindo à previdência social, só resta a via judicial: ação de desaposentação.

 

Como os tribunais estão enfrentando a tese da desaposentação:

 

Consoante já explanado, o INSS não aceita a tese. Já as turmas nacionais de uniformização dos juizados federais, a admitem, entretanto, desde que o segurado devolva os preventos recebidos quando da aposentadoria.

 

Por outro lado, o STJ é a favor da desaposentação, desde que pleiteada no prazo decadencial de 10 anos, sem que o segurado seja obrigado a devolver a quantia recebida na aposentadoria, uma vez que a aposentadoria é um direito patrimonial disponível e, portanto, suscetível de desistência pelos seus titulares.

 

 Por derradeiro, registre-se que o STF ainda não decidiu a questão. É que  em que pese o Min. Marco Aurélio ter proferido voto favorável à desaposentação, o julgamento foi suspenso em virtude de pedido de vista do Min. Dias Toffoli (RE 381.367/RS).

 

 

Assim, esperamos que a suprema corte decida pela constitucionalidade da desaposentação, sem que os segurados tenham que devolver à fazenda pública os valores recebidos (verba de caráter alimentar)  a título de aposentadoria.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Valmir Pinto Da Cruz Junior) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados