JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Um breve estudo sobre Desenvolvimento sustentável


Autoria:

Kássia S. Siqueira


Estagiária do Ministério Público do Estado do Espírito Santo, 3ª Promotoria de Justiça Criminal, estudante FVC - São Mateus/ES.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

O presente artigo trata de diversos assuntos, dentre eles, o consumo exagerado de bens materiais, o modo como afetam diretamente o desenvolvimento sustentável e indiretamente todos os seres do Planeta.

Texto enviado ao JurisWay em 13/09/2012.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Direito Ambiental - Desenvolvimento Sustentável

 

 

 

 

O presente artigo trata de diversos assuntos, dentre eles, o consumo exagerado de bens materiais, o modo como afetam diretamente o desenvolvimento sustentável e indiretamente todos os seres do Planeta, e o impacto causado pelo lixo no meio ambiente e na saúde da população.

Inicialmente, trataremos todos os processos, como a extração, a produção, a distribuição, o consumo e tratamento de todos os recursos naturais, de maneira bastante clara. Através da exploração, cortamos as árvores, consumimos a água, matamos os animais, extraímos recursos naturais e produzimos produtos para o nosso próprio consumo.

Deste modo, esgotamos recursos naturais e destruímos o planeta com maior velocidade, tão depressa, que ficaremos sem recursos para mantermos o nosso padrão de vida futuramente.

Os países de primeiro mundo consomem todos os recursos que possuem e, na falta destes, passam a utilizar os recursos dos países de terceiro mundo, o que fará com que estes também se esgotem num curto prazo.

As fábricas, ao criarem seus produtos, introduzem vários elementos tóxicos em sua elaboração. As toxinas entram nestas fábricas e saem em forma de produtos ou até mesmo através da poluição do ar. Grande parte desta poluição é respirada por todos nós, e são as pessoas com situação financeiras mais baixas as que pagam mais caro por este sistema, pelo fato de estarem expostas a qualquer tipo de proposta ou prejuízo por necessidade de sustentarem as suas famílias.

Os produtos criados pelas fábricas são consumidos em sua maior parte, cerca de 99%, num curto prazo de 06 meses. E pra onde vai todo o lixo proveniente de tanto consumo? Precisamos que as coisas sejam consumidas, destruídas, substituídas e descartadas em um ritmo cada vez maior.

Porém, existem vários empecilhos. Dentre eles, podemos citar a obsolescência planejada, que é uma estratégia de marketing que nos leva a consumir produtos de curta duração, fazendo com que haja uma nova compra para substituí-lo, tais como as máquinas de lavar roupa, as quais são projetadas para deixarem de funcionar no prazo de aproximadamente 05 anos após a sua compra.

Existe também a obsolescência perceptiva, que nos convence a jogar fora coisas que são perfeitamente úteis simplesmente pelo fato de se encontrarem ultrapassadas, a exemplo da moda e da mídia, as quais contribuem diretamente para este sistema fazendo com que as pessoas se sintam “fora de moda” e incentivando-as ao consumo através da publicidade e propaganda. Tudo isso gera um aumento e circulação do fluxo de consumo, gerando lixo e mais lixo.

Então, assistindo a essa necessidade que a obsolescência nos faz consumir, trabalhamos muito, para consumirmos mais, ficando cada vez mais cansados, sobrando menos tempo livre para a realização de outras tarefas. Outrossim, ao paramos para descansar e assistirmos à televisão, esta nos mostra mais estratégias de marketing, através de propagandas, descontos e promoções que se dizem “imperdíveis”, incentivando ao consumo e assim por diante.

Vemos-nos num ciclo que não termina nunca, sendo sempre estimulados a consumir. E através deste estímulo geramos mais lixo, o qual é despejado em aterro ou é incinerado e posteriormente também despejado em aterro, produzindo mais tóxicos, mais poluição e mais contaminação para nossa saúde.

Assim, poluímos o meio ambiente ao criarmos produtos e também poluiremos ao jogá-lo no lixo. Como resolver este problema? Inicialmente, a reciclagem é o primeiro passo para promovermos o desenvolvimento sustentável, seja em nossa própria casa ou no trabalho. Porém, apenas isso não resolveria a questão, visto que vários objetos não são passíveis de reciclagem.

O lado bom é que existem pessoas que lutam contra tudo isso, que enxergam o quanto é necessário a preservação do meio ambiente. Há uma nova escola de pensamento neste assunto, a qual é baseada em sustentabilidade e equidade, química verde, zero resíduos, produção em circulo fechado, energia renovável, economia locais vivas, e isto já está acontecendo.

Desse modo, é possível sim que haja o desenvolvimento da sociedade, estimulando ao mesmo tempo a economia, sem que o meio ambiente seja prejudicado, visando a melhoria da qualidade de vida desde agora até os anos que se seguem.

Incentivar o desenvolvimento sustentável é procurar satisfazer as necessidades de toda uma geração, utilizando razoavelmente os recursos da terra e preservando as espécies, desenvolvendo ao mesmo tempo a economia e resguardando um melhor futuro, mantendo equilíbrio entre sociedade, economia e meio ambiente.

Pensar no próximo é pensar em criar algo novo, e jogar fora não o lixo, mas o velho modelo de sustentabilidade, abrindo a mente para novas ideias e para um futuro promissor.

 

Kássia S. Siqueira

7º período de Direito Matutino - UNIVC

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Kássia S. Siqueira) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Comentários e Opiniões

1) Franklin (11/10/2012 às 10:26:49) IP: 200.214.53.166
Muito boa reflexão sobre o tema.
Parabéns.


Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados