JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

MANIFESTO CONTRA O PREÇO DO COMBUSTÍVEL.


Autoria:

Eric Anderson Meira Cavalcanti


Eric Cavalcanti, Graduando em Direito.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Caros bacharéis do MP basta darmos uma volta pela cidade para constatarmos o óbvio: que estes embusteiros estão achando graça da inércia dos nobres colegas.

Texto enviado ao JurisWay em 10/07/2011.

Última edição/atualização em 12/07/2011.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

MANIFESTO CONTRA O PREÇO DO COMBUSTÍVEL.

Após refletir, por diversas vezes, sobre o que nós estudamos nos bancos das universidades, emano inquirindo se o que meus ilustres docentes e por que não proferir catedráticos, afirmam que, na área jurídica, apenas os juízes adotavam o principio da inércia, ou seja, deveriam ser provocados para poder tomar determinada atitude. Todavia na contemporaneidade, não entendo isso, ou melhor, eu não creio que só os nobres magistrados são inertes, acredito que os senhores procuradores do Ministério Público não estão achando nada errado, melhor dizendo, eles não estão procurando, pois, até um cego, percebe o que está acontecendo em Natal: a máfia do combustível anda assombrando o povo potiguar, isso para não dizer assaltando, na cara limpa. Nós aqui não temos cartel, temos quadrilha! Aqui está pior do que no tempo da alta inflação, quando você não sabia quanto pagaria por algum produto dentro de poucas horas porque, naquela época, a inflação girava em torno de 80% ao mês enquanto hoje o governo afirma que não chega a 5% ao ano. Será que os nobres colegas do MP estão reivindicando para si o principio da inercia que outrora pertencia aos juízes togados?

Caros bacharéis do MP basta darmos uma volta pela cidade para constatarmos o óbvio: que estes embusteiros estão achando graça da inércia dos nobres colegas. Ao trafegar por todos os bairros de Natal averiguamos que o preço da gasolina era R$ 2,99 em quase todos os postos, porém após o @BoicoteRNBrasil ir às ruas, o preço decaiu para R$ 2,85. Indago: Se um posto centrado na Av. Roberto Freire, que emprega no mínimo oito funcionários e atende vinte quatro horas, tem os mesmos custos que um posto situado na Av. Xavantes, na Cidade Satélite, com apenas dois funcionários e fecha às vinte e duas horas? Alguns são grandes postos outros, todavia, médios ou pequenos, porém os preços praticados são os mesmos por todos eles, independentemente do bairro em que estejam situados.

Você não precisa ir muito longe para ver que o que comentamos aqui é verídico: na vizinha Paraíba, no ano de 2007, a Policia Federal desarticulou o CARTEL formado pelos proprietarios de postos, onde a margem de lucros era a mesma praticada em Natal, qual seja R$ 0,507 (quinhentos e sete milésimos de real), como aparentemente, hoje na Paraíba não existem cartéis, constatamos preços de gasolina de R$ 2,35 (dois reais e trinta e cinco centavos) á R$ 2,82 (dois reais e oitenta e dois centavos). E vejam que eles compram a mesma gasolina que as súcias do Rio Grande do Norte.

Falando um pouco do etanol (álcool): se este combustível tivesse sido desenvolvido por nosso não tão vizinho EUA, seria muito melhor aproveitado, por se tratar de combustível renovável e menos poluente que a gasolina. Mas, infelizmente, foi desenvolvido pelo brasil (com b minúsculo mesmo) e, os usineiros, que sempre se mancomunaram com o poder, ao perceberem que o consumo de etanol estava aquecido, começaram a subir o preço demasiadamente, não se importando com o bem estar do planeta, ignorando que, se você usa etanol você polui menos o ambiente.

Passemos agora para o GNV[1] que é um combustível altamente ecológico, pois sua queima, por ser mais completa, libera uma quantidade menor de poluentes, beneficiando o meio ambiente. Temos também uma menor probabilidade de combustão por ser mais leve do que o ar, possibilitando assim uma dispersão mais rápida, tornando-o menos perigoso que o etanol e a gasolina, pois sua queima é a 620ºC, tendo um risco de combustão de até 322% menor que de outros combustíveis. Em se tratando de GNV, que é menos poluente que a gasolina e o etanol, em Natal é um dos mais caros do mundo, não tem incentivo do governo nem de ninguém, muito pelo contrario, quem tem carro movido a GNV paga caro para colocar o KIT, para abastecer, e ainda tem que pagar mais caro pelo seguro, pelo CRLV, sem contar que anualmente tem que fazer uma inspeção veicular.

Falando em inspeção, para completar os governantes inventaram uma revisão veicular para controlar os gases poluentes que emanam de nossos veículos. Todavia estes não estão se importando tão somente com o nosso meio ambiente, mas sim com suas arrecadações, cada vez mais milionárias, pois se estivessem interessados em melhorar o ar que respiramos, dariam incentivos para a produção e consumo de álcool combustível que, além de ser renovável, é menos poluente que a gasolina, e adotaria uma postura em favor do consumo de GNV que é muito menos poluente do que os demais combustíveis, ao invés de penalizar com taxas extras, quem utiliza esse combustível.

A população indignada e cansada de ser estuprada por este CARTEL manifestou-se nas redes sociais tendo em vista que ninguém fazia nada por elas tomaram a iniciativa de pôr a cara à tapa e ir às ruas em busca de seus direitos de constituinte, por combustível mais barato já, por um combustível de qualidade e com preço justo. Todavia me aparecem os pulhas donos de postos de combustíveis alegando que o @BoicoteRNBrsail não passa de um palanque eleitoral, na realidade eles estão querendo desacreditar a movimentação perante a sociedade civilizada, todavia o @BoicoteRNBrasil está simplesmente querendo que o SINDPOSTO abaixe o preço do combustível, o que é um direito do constituinte - pagar por um combustível de qualidade boa por um preço justo. E, nós realmente temos apoio de entidades politicas, entretanto pluripartidárias, quão também temos o apoio de entidades estudantis, sindicatos, redes sociais, centrais trabalhistas, e de toda a população indignada, que também está insatisfeita com os preços cobrados em Natal.

 

Eric Cavalcanti


Bibliografia

Sites visitados

 

<http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/L9478.htm> Acessado em 29/04/2011

<http://www.fullgasgnv.com.br/o-que-e-gnv.php> Acessado em 29/04/2011;

<http://www.paraiba.com.br/108127/cidades/procon-quer-combater-cartel-da-gasolina-em-joao-pessoa.htm> Acessado em 29/04/2011;

<http://www.catolenews.com.br/plugins/p2_news/printarticle.php?p2_articleid=119> Acessado em 29/04/2011;

<http://www.anp.gov.br/?pg=48186&m=&t1=&t2=&t3=&t4=&ar=&ps=&cachebust=1304097527074> Acessado em 29/04/2011;

<http://tribunadonorte.com.br/noticia/cai-preco-para-distribuidoras/179174> Acessado em 29/04/2011;

<http://acertodecontas.blog.br/economia/cartel-lucrava-r-16-milhoes-com-esquema-diz-pf/> Acessado em 29/04/2011;

<http://www.suportepostos.com.br/modules/news/article.php?storyid=5682> Acessado em 29/04/2011.



[1]O Gás Natural Veicular (metano) é um combustível "limpo" por não apresentar impurezas e resíduos da sua combustão. Outro ponto favorável para a sua utilização é o fato de não ser corrosivo nem produzir depósitos de carbonos nas câmaras de combustão. Além disso, o GNV não contém aditivos.

A mistura ar-combustível é perfeita com qualquer temperatura e a sua combustão é mantida por mais tempo do que os demais combustíveis, o que se transforma em benefícios para a vida útil do motor.

O armazenamento do GNV é realizado em cilindros de aço especial, no qual o gás é comprimido sob uma pressão de 200 bar. A maioria dos carros convertidos para gás natural podem ser chaveados e voltar a utilizar o combustível original.

A questão de segurança é outro diferencial. O GNV é mais leve do que o ar, o que possibilita uma dispersão mais rápida, enquanto que sua temperatura de ignição é de 620ºC, bem acima das atingidas por álcool (300ºC) e gasolina (200ºC).

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Eric Anderson Meira Cavalcanti) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados