JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

TABELA PRICE E A CAPITALIZAÇÃO DE JUROS NO SISTEMA FINANCEIRO DE HABITAÇÃO


Autoria:

Gabriella Carias


Estudante de direito, aspirante a jurista, cursando na Universidade Positivo e lutando por um direito mais justo e universal para todas as classes.

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

Contratos bancários e o Código de Defesa do Consumidor

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ELEMENTO NECESSÁRIO NAS EDIFICAÇÕES ECOLÓGICAMENTE SUSTENTÁVEIS:A EDUCAÇÃO COMO TÉCNICA DE CONTROLE DA PUBLICIDADE "VERDE" ENGANOSA.

Os lucros cessantes decorrente de erro médico

O direito de arrependimento à luz do CDC

AÇÃO DECLARATÓRIA DE INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL

1ª PARTE - ESTUDO DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR * INTRODUÇÃO * LEI 8.078 DE 11 DE SETEMBRO DE 1990

Protesto de títulos fora do prazo ou prescritos são ilegais

O DIREITO DE INFORMAÇÃO E A APLICABILIDADE NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

Estado Liberal ou Estado Social? A realidade brasileira das instituições bancárias e financeiras aos consumidores

A quantificação do dano moral na relação de consumo

Mais artigos da área...

Resumo:

Os contratos do sistema financeiro de habitação, realizados por bancos com consumidores, muitas vezes, desatentos, trazem um grande problema: a capitalização de juros através da Tabela Price.

Texto enviado ao JurisWay em 28/09/2015.

Última edição/atualização em 06/10/2015.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Por se tratar de direito constitucional, o direito à moradia é tão essencial quanto ao direito à vida. Logo, os contratos que permeiam a respeito deste direito devem apresentar grande facilidade a seu acesso.

O direito a moradia é de suma importância pois o ser humano necessita, para a sua sobrevivência, de um ponto fixo de localização, certo e conhecido por todos, para centrar suas atividades, realizar suas necessidades mais básicas, ter privacidade, construir sua família e guardar seus bens, enfim, ter uma referência. No entanto, o perfil dos contratos de compra de habitação e do próprio consumidor brasileiro apresentam obstáculos para o efetivo cumprimento do direito à moradia.

Primeiramente, ao analisar o perfil do tradicional consumidor brasileiro observa-se que ele gasta muito além do que ganha, e pior, gasta todo salário antes do fim do mês. Além disso, as compras com pagamento a prazo são muito comuns, o que aumenta as despesas cotidianas, e as a dificuldade de compra à vista de bens de valor elevado. Tal cenário, consequentemente, dificulta que o consumidor guarde dinheiro para comprar um imóvel à vista.

Ainda pode-se verificar que a baixa escolaridade e o elevado índice de analfabetismo funcional dificultam a compreensão sobre os custos e riscos da utilização do crédito, o que minimiza a possibilidade de decisão racional e ponderada sobre o custo-benefício das operações de crédito, aumentando o risco de superendividamento.

E não diferente de outros setores, no mercado imobiliário o consumidor também se endivida para adquirir sua casa própria e a prestação mensal decorrente do contrato celebrado passa a ser dívida constante na vida familiar.

A partir da reflexão que consiste no difícil acesso aos bens de elevado valor, vislumbra-se então que os contratos bancários no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação devem ser considerados, portanto, a principal ferramenta de acesso ao direito à moradia, tendo em vista que a maioria da população brasileira não tem a cultura de poupar para firmar contratos de grande monta com pagamento à vista.

Existem diversos sistemas de amortização para pagamento de contratos bancários. Hoje, no Brasil, majoritariamente utiliza-se a Tabela Price como sistema de amortização nos contratos do Sistema Financeiro de Habitação, o qual causa grande prejuízo aos consumidores que dele se utilizam, como será demonstrado.

Os contratos do sistema financeiro de habitação são regidos pelo CDC, e é certo que suas cláusulas têm o dever de serem claras e transparentes, possibilitando ao consumidor o entendimento pleno acerca das obrigações assumidas. A vulnerabilidade inerente ao consumidor deve ser sopesada de modo a evitar desequilíbrio nas relações de consumo.

Nesse tocante, a tabela Price é um método usado em amortização de empréstimo cuja principal característica é apresentar prestações (ou parcelas) iguais, no entanto, nessas parcelas estão inclusos os juros dos contratos de forma capitalizada.

Considerando essa vulnerabilidade inerente nas relações de consumo, o legislador pactuou no inciso III do art. 6º do CDC, ora transcrito:

 

Art. 6º São direitos básicos do consumidor:

[...]

III - a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem;

 

Conclui-se que a pactuação dos juros capitalizados devem ser clausula CLARA e EXPRESSA nos contratos de adesão. Não bastam instruções em letras minúsculas ou em folhetos ilegíveis, devendo as informações e advertências ser prestadas com clareza. As informações devem ser prestadas em linguagem de fácil compreensão, enfatizando-se, de forma especial, as advertências em torno de situações de maior risco.

O que não se observa nos casos em tela, pois os contratos geralmente são impressos em fonte pequena, com clausulas quase ilegíveis, onde há a previsão de juros remuneratórios capitalizados mas consta escrita em uma linguagem que não é facilmente entendida por leigos. Portanto deve ser considerada abusiva.

Portanto a controvérsia existente nos contratos do Sistema Financeiro de Habitação ocorre pois, por se tratarem de contratos que devem aumentar o acesso à população mais carente, deveriam ser os contratos com a menor capitalização de juros no Sistema Financeiro brasileiro, o que não verifica, pois, se os contratos imobiliários são os contratos de maior duração na vida dos brasileiros.

E nestes contratos, por possuírem uma vida muito longa, apresentam a maior aplicação de juros capitalizados, pois ao adotar a composição de juros, quanto maior o período de duração do contrato, maior é a disparidade entra a taxa nominal (ao mês) e a taxa efetiva (que compreende à taxa nominal, capitalizada por determinado período).

Logo, mesmo que o mutuário manifeste boa-fé e intenção de pagar o contrato, a capitalização de juros por muitas vezes, inviabiliza seu cumprimento integral e fere o equilíbrio contratual, ante a onerosidade excessiva gerada ao mutuário. Pois a redução do saldo devedor contratado é muito lenta, decorrente do fato de que, na primeira metade do contrato, pouco se amortiza da dívida, pois os juros mensais consomem parte substancial da prestação, paga pelo mutuário.

Diante disto, demonstra-se que a Tabela Price, é prejudicial ao acesso à moradia, pois é o sistema de amortização que mais capitaliza juros em todo o sistema bancário brasileiro e fortalece ainda mais as instituições financeiras.

 

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Gabriella Carias) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados