JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Regulamentação das Fintechs


Autoria:

Vivian Aparecida Fabri


Advogada com mais de 15 anos de experiência em mercado de capitais, reestruturação de dívidas, project finance e private bank. Pós graduada em direito empresarial pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Breves considerações acerca da Resolução CVM n. 4.656, de 26 de abril de 2018.

Texto enviado ao JurisWay em 29/04/2018.

Última edição/atualização em 19/05/2018.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Regulamentação das Fintech


 

O Conselho Monetário Nacional (“CMN”) publicou, no último dia 26 de abril, a Resolução n° 4.656 (“Resolução 4.656”), que regulamenta o funcionamento, transferência de controle societário, reorganização societária e cancelamento de autorização das fintechs.

 

Adicionalmente, a Resolução 4.656 cria a (i) Sociedade de Crédito Direto (“SCD”), que tem por objeto a realização de operações de empréstimos e financiamento e aquisição de direitos creditórios exclusivamente por meio de plataformas eletrônicas, com utilização de recursos financeiros que tenham como única origem capital próprio; e (ii) Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (“SEP”), que tem por objeto a realização de operações de empréstimos e financiamentos entre pessoas, exclusivamente por meio de plataforma eletrônica. O funcionamento da SCD e da SPE dependem de prévia aprovação do Banco Central do Brasil.

 

Tanto a SCD, quanto a SPE devem ser constituídas na forma de sociedade anônima, de capital aberto ou fechado, com montante de capital social integralizado e patrimônio líquido mínimo de R$ 1.000.000,00. Entretanto, se houver participação de fundos de investimento no grupo de controle, o Banco Central do Brasil poderá exigir adicional de capital social integralizado e patrimônio líquido.

 

Responsabilidades da SCD

 

Entre as responsabilidades atribuídas à SCD, permitiu-se (i) a análise de crédito para terceiros; (ii) a cobrança de crédito de terceiros; (iii) a atuação como representante de seguros na distribuição de seguro relacionado com as operações realizadas por meio da plataforma eletrônica, observada a regulamentação do Conselho Nacional de Seguros Privados; e (iv) a emissão de moeda eletrônica, também observada a regulamentação aplicável.

 

Não é permitida à SCD a captação de recursos do público, exceto por meio da emissão de ações; bem como a participação no capital de instituições financeiras.

 

Responsabilidades de SEP

 

Para cumprir seu objetivo, a SEP receberá recursos financeiros dos credores e, após negociação em plataforma eletrônica, os redirecionará aos respectivos devedores. Em nenhuma hipótese, é permitida a utilização de recursos próprios da SEP para a realização de operações de crédito.

 

Da mesma forma que a SCD, a SEP poderá realizar (i) a análise de crédito para terceiros; (ii) a cobrança de crédito de terceiros; (iii) a atuação como representante de seguros na distribuição de seguro relacionado com as operações realizadas por meio da plataforma eletrônica, observada a regulamentação do Conselho Nacional de Seguros Privados; e (iv) a emissão de moeda eletrônica, também observada a regulamentação aplicável.

 

A qualificação como credor em operações intermediadas pela SEP é permitida às pessoas jurídicas não financeiras, pessoas naturais, instituições financeiras, fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC), cujas cotas sejam destinadas, exclusivamente, a investidores qualificados (conforme definido em regulamentação específica) e companhias securitizadoras que distribuam os ativos securitizados à investidores qualificados. Por outro lado, poderão ser qualificados como devedores apenas pessoas naturais ou jurídicas residentes e domiciliadas no Brasil.

 

A contratação do credor com um mesmo devedor, na mesma SEP, de operações cujo valor nominal seja superior a R$ 15.000,00 não é permitida, exceto quando o credor for um investidor qualificado.

 

Os recursos financeiros e instrumentos representativos de crédito vinculados às operações de empréstimo e financiamento não podem ser utilizados, em qualquer hipótese, de forma direta ou indireta, para garantir o pagamento de dívidas ou obrigações contraídas pela SEP.

 

Finalmente, a SEP deve observar o princípio da transparência, fornecendo informações a seus clientes e usuários acerca da natureza e complexidade das operações contratadas, de forma a permitir a vasta compreensão das operações e seus respectivos riscos.

 

Espera-se que a Resolução 4.656 aumente a competitividade do setor, permitindo que os tomadores de recursos obtenham melhores condições de financiamento.


 

Vivian Fabri

Advogada especialista em Mercado de Capitais

vafabri@hotmail.com

 

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Vivian Aparecida Fabri) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados