JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

No que consiste o segundo processo, na visão do autor Márcio Túlio Viana no artigo O SEGUNDO PROCESSO?


Autoria:

Cristiano Lopes De Oliveira


Estudante de Direito 10p. Faculdade Izabela Hendrix - Belo Horizonte

envie um e-mail para este autor

Outros artigos do mesmo autor

Direito dos Índios
Direito Constitucional

EUTANÁSIA
Direito Penal

Resenha do filme Justiça para Todos
Estatuto da OAB/Código de Ética

Resumo:

Opinão sobre o artigo O SEGUNDO PROCESSO de Márcio Túlio Viana

Texto enviado ao JurisWay em 31/05/2016.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

 

No que consiste o segundo processo, na visão do autor Márcio Túlio Viana no artigo O SEGUNDO PROCESSO?

Também devem relatar uma experiência profissional ou pessoal, que esteja relacionada com o que o autor descreve como sendo o Segundo Processo.

 

 

O segundo processo é como um julgamento pessoal. As pessoas normalmente julgam umas às outras o tempo todo e esse julgamento é muito difícil de se alterar. Ao conhecer uma pessoa que fala errado, por exemplo, nós já colocamos essa pessoa como um estereotipo de falar errado. E ali já julgamos se a pessoa serve ou não para ser do nosso “meio”.

No caso do segundo processo exposto pelo autor, esse julgamento num processo formal jurídico interfere na decisão do juiz, ou na forma como o advogado, partes e até testemunhas se portaram no processo. A simples expressão corporal, maneira de falar, ou de vestir, o curriculum da pessoa, tudo é uma base para ser julgado internamente pela outra pessoa. E isso pode interferir na sentença.

Posso citar como exemplo pessoal e acredito que de muitas pessoas a situação de atravessar uma rua pelo simples fato de alguém mal vestido vir na nossa direção. São muitos exemplos simples no nosso dia a dia.

Uma possível solução para isso é nos colocarmos no nosso devido lugar perante a Deus. E assim entendermos que não somos nada. Fazendo isso seremos menos(ou nada) julgadores alheios.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Cristiano Lopes De Oliveira) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados