JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Benefícios Previdenciários com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Judicialização dos direitos sociais começa na Defensoria Pública


Autoria:

Carlos Eduardo Rios Do Amaral


MEMBRO DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Judicialização dos direitos sociais começa na Defensoria Pública

Texto enviado ao JurisWay em 09/11/2015.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Judicialização dos direitos sociais começa na Defensoria Pública

 

Por Carlos Eduardo Rios do Amaral

 

Não é novidade ou surpresa para o leitor que a cada dia aumenta a demanda popular pela efetividade da prestação de serviços públicos em geral. Principalmente nas áreas da saúde, educação e moradia.

 

Mais do que uma obrigação do Poder Público, a prestação de serviços públicos essenciais, com pontualidade e excelência, se constitui em garantia fundamental do cidadão. Talvez essa seja a viga mestra da razão de ser do Estado.

 

O inadimplemento dos direitos sociais por parte do Estado provoca verdadeiro abalo à ordem pública, atingindo a credibilidade e aceitação do Administrador Público frente a seus súditos.

 

A garantia do mínimo existencial, a manutenção da dignidade da pessoa humana e o respeito aos direitos fundamentais não pode sofrer qualquer espécie de mitigação ou abrandamento por parte do Agente Público.

 

A tarefa de administrar a máquina e o orçamento públicos deve sempre ter como regra maior a de que os direitos sociais sempre gozarão de prioridade e preferência frente a quaisquer outras ações estatais.

 

Quando o Poder Público falha na sua missão de conferir quaisquer dos direitos sociais ao indivíduo ou à sua família a Defensoria Pública deve recorrer ao Poder Judiciário para remediar a falta do serviço público.

 

O sagrado papel da Defensoria Pública como sentinela dos direitos sociais do cidadão traduz-se, em última análise, com a única esperança do cidadão frente a omissão, desídia ou mesmo corrupção estatais que afetam diretamente o bom funcionamento dos serviços públicos essenciais.

 

A Constituição Federal de 1988 conferiu apenas à Defensoria Pública essa missão de promoção dos direitos humanos e defesa dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados. Para tanto, conferiu-lhe autonomia funcional e administrativa e a iniciativa de sua proposta orçamentária.

 

Quanto mais for assegurada sua autonomia funcional e administrativa, quando suficiente e digno seu orçamento, a Defensoria Pública poderá continuar zelando pela consecução dos direitos sociais do cidadão.

 

Atingir a Defensoria Pública seja conferindo-lhe minguado ou vil orçamento, seja tolhendo sua autonomia, é atingir o povo. A judicialização dos direitos sociais começa na Defensoria Pública.

 

A quem interessa enfraquecer a Defensoria Pública? Direitos sociais para quem?

 

_________________ 

 

Carlos Eduardo Rios do Amaral é Defensor Público no Estado do Espírito Santo

 

 

 

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Carlos Eduardo Rios Do Amaral) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados