JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Produção de Textos com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

DIREITO PENAL OU DIREITO CRIMINAL?


Autoria:

Lucio Correa Cassilla


Advogado graduado pela PUC/MG com mobilidade na Universidade de Coimbra, especialista em Ciências Criminais, doutorando em Direito pela UMSA/Argentina e Pedagogo. Sócio do escritório CRC Sociedade de Advogados. www.crcadv.com.br

envie um e-mail para este autor

Resumo:

discussão sobre a nomenclatura adequada á ciência do jus puniendi. a etimologia de direito penal e direito criminal

Texto enviado ao JurisWay em 02/07/2009.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

DIREITO PENAL OU DIREITO CRIMINAL?

 

A muito se questiona a adequada nomenclatura deste ramo do Direito.  O crime é a tipificação de um ou vários atos do ser humano, que ferem bens jurídicos de maior relevância. A pena é a resposta imposta pelo Estado ao indivíduo que age ferindo os bens jurídicos relevantes. Seja no ato tipificado ou na pena, a culpabilidade é fator primordial para punibilidade.

Nossa legislaçao utiliza a termologia Direito Penal para representar esse conjunto de normas que tratam sobre o poder de punir do Estado. Seguindo o exemplo de ordenamentos positivistas, como o caso da Alemanhã, justifica-se que nossa legislação não poderia utilizar a nomenclatura  Direito Criminal, para garantir o princípio da legalidade, já que o conceito de crime avança para um espaço distante das leis, envolvendo o ser humano e sua relação subjetiva com a sociedade. Entretanto, devemos considerar que a amplitude da palavra pena também extrapola os limites de envolvimento do Direito Penal. O Direito Admininstrativo, o Direito Civil e o Direito Processual também prevêem penas em suas atuações e essas não fazem parte dos estudos do Direito Penal, mesmo tendo caráter sancionatório e punitivo. A não interferencia do Direito Penal nessas áreas do Direito se dá pela autonomia dessas ciências e pela diferenciação de bens jurídicos que são defendidos. Como dito, o Direito Penal preocupa-se com a proteção dos bens jurídicos relevantes. As outras disciplinas do Direito protegem os bens jurídicos inerentes às suas atuações, o que não impede que esses bens também sejam relevantes para o Direito Penal e passíveis de dupla imputação punitiva por diferentes áreas do Direito.  Porém, quero chegar no fato de que os bens jurídicos relevantes, que são o foco de proteção do Direito aqui discutido, são defendidos pelos tipos penais e quando feridos, caracerizam o crime. O alvo, o foco de atenção do Direito Penal, não está em apenar o indivíduo que comete um crime, mas em evitar o crime, em proteger os bens jurídicos relevantes da sociedade. Não é a pena que proteje, mas um conjunto de instrumentos jurídicos que tem por intenção afastar o crime. Situação essa justificada pela moderna doutrina garantista de Luigi Ferraioli, seguidor do pensamento de Norberto Bobbio a entender que só existe pena quando há crime e, sabidamente, não há crime sem lei que o estabeleça.(nulla poena sine crimen, nulla crimen sine lex).  

A nomenclatura “Direito Criminal” em nada fere o princípio da legalidade, ainda mais se considerarmos que fazem parte integrante do Direito Penal, ciencias como Criminologia, Política Criminal, Psicologia Criminal, Sociologia Criminal e tantas outras que entram no subjetivo do ser humano e da sociedade à procura de respostas para a diminuição da criminalidade.

E para os contrários a tudo, temos o exemplo das medidas de segurança, que por tratarem de atos tipificados cometidos por pessoas inimputáveis, para alguns doutrinadores, afasta a culpabilidade, inexistindo assim o crime e, para outros, afasta apenas a punibilidade, exigindo tratamento especial para esses agentes. Ausente o crime ou apenas a pena, seriam incongruentes as termologias Direito Criminal ou Direito Penal respectivamente.

Em nosso entendimento, Direito Criminal seria o gênero e Direito Penal, assim como todas as outras inerentes às Ciências Criminais, espécie.

Felizmente, devemos considerar que o designativo Direito Penal ou Direito Criminal, ainda discutido pela doutrina, em nada influi para o conceito e estrutura da ciência em questão, tratando-se, tão somente, de mera nomenclatura.

 

LÚCIO CORRÊA CASSILLA

ADVOGADO DA CASSILLA & STOPPA ADVOCACIA

ESPECIALISTA EM CIÊNCIAS CRIMINAIS E PEDAGOGO

cassilla@uol.com.br

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Lucio Correa Cassilla) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados