JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

MANIFESTO ÀS MULHERES BRASILEIRAS


Autoria:

Carleial.bernardino Mendonça


Carleial.Bernardino Mendonça. Psicólogo-Clínico pela Universidade católica de Minas Gerais; Escritor e Pesquisador nas áreas da Psicobiologia e do Direito e, Bacharelando em direito da Faculdade de Direito Estácio de Sá,em Belo Horizonte-MG.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Neste artigo,Carleial conclama as Mulheres para se engajarem na luta pela ética e moral na política brasileira.Somente as Mulheres, pelo seu número,sua inteligência e poder de sedução, podem ajudar na redemocratização moral e espiritual do Brasil.

Texto enviado ao JurisWay em 29/09/2012.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

                      MANIFESTO ÀS  MULHERES  BRASILEIRAS

 

 

Este trabalho foi idealizado em vista do conhecimento de um importante e recente desabafo de um General do Exército Brasileiro. Esse insigne e corajoso militar-cidadão, sem medo do risco que o seu patriótico alerta lhe acarretará, descreveu em um importante Artigo, o que todo brasileiro sério, honesto, esclarecido e que tenha coragem igual, gostaria, também, de dizer o mesmo, em revolta contra o descalabro moral, ético, material e espiritual que estamos assistindo, omissos, há séculos. Calamos e nos omitimos por medo porque somos um povo acovardado e nos tornamos ignorantes, sem cultura, alienados e acomodados na miséria material e mental.

Sem cultura, como podemos analisar o que se passa ao nosso redor? Como podemos reivindicar sem conhecimento de causa? De que modo nos tornará um Povo civilizado, inteligente e culto, se a ignorância leva à alienação dos grandes problemas sociais e ficamos voltados para os subterfúgios condicionantes e hipnotizantes dos prazeres fúteis, vazios e superficiais, como Jogos, Bebidas, Drogas e Sexismo que afogam grande número de pessoas, principalmente de idade abaixo de 30 anos?

 

Esse valoroso General lembrou-me outro brasileiro, gigante em coragem, um Homem Verdadeiro: o Tenente Antônio João Ribeiro, que muitos sub-homens atuais, aproveitando-se da ignorância da maioria das pessoas, escondem episódios de bravura dos nossos militares, a fim de  continuarem no Poder  e se perpetuarem na pilhagem das riquezas do Brasil.

 

Quem foi o Tenente Antônio João? Esquecido pelos espertalhões que lucram com a ignorância dos feitos heróicos dos nossos antepassados, principalmente dos atos heróicos dos nossos militares (o heroísmo dos homens sábios de antigamente confronta e causa inveja aos contemporâneos ignorantes e covardes de hoje), o heróico Tenente atrasou a invasão do Exército Paraguaio ao nosso País, quando no dia 27 de dezembro de 1864, sem qualquer aviso, o exército paraguaio iniciou a invasão, através do Mato Grosso. Com quase 400 homens, os paraguaios, de início, toparam pela frente com o Tenente Antônio João Ribeiro; um Homem de verdade que o Brasil de hoje pouco possui! Sabedores que aquele nosso militar só contava com apenas 14 companheiros, intimou o bravo Oficial a se render, com a promessa de poupar-lhes a vida e a das suas famílias que viviam com eles na Colônia Militar de Dourados, no Mato Grosso. O heróico soldado brasileiro dispensou a todos, com as suas famílias, ordenando que se retirassem, informando aos subordinados que ficaria, mesmo que sozinho, para lutar contra os quase 400 soldados paraguaios. As famílias foram retiradas e salvas; porém, os seus 14 companheiros, mesmo sabendo que morreriam não se intimidaram e ficaram ao lado daquele nosso heróico antepassado. O comandante da tropa paraguaia enviou um emissário para entregar uma carta ao nosso Tenente Antônio João, pedindo-lhe que se rendesse, pois sabia que ele só dispunha de 14 homens e que seria uma loucura resistir a quase 400 inimigos bem armados e municiados. O emissário paraguaio foi muito bem recebido e tratado com respeito e cordialidade pelo nosso herói de dourados. Lido o ultimato paraguaio, o Tenente Antônio João despachou o soldado paraguaio, levando um bilhete para o seu comandante, que dizia o seguinte: “Sei que morro, mas, o meu sangue e o dos meus companheiros servirão de protesto solene contra a invasão do solo da minha pátria. Assinado: Antônio João Ribeiro”. Compare esta atitude e a personalidade desse Bravo, com as dos nossos políticos e com o comportamento da maioria dos nossos alegres e festivos rapazes de hoje, narcisistas, alienados, encharcados e afogados no sexismo, no álcool, nas drogas, na prostituição internética, na lixeira da Televisão, como novelas, “big-brother” e outros; bem como nas boates enevoadas  pela fumaça das drogas e na “pauleira” do barulho infernal da distorção sonora e no pula-pula dos  bailes fank, fenk,fink.fonk e funk !      

 

O Tenente Antônio João, para o nosso bem, foi bem diferente desse irracionalismo degradante da Espécie Humana. Ele, e os seus 14 Homens (com “H” maiúsculo) foram massacrados e mortos, após dura e tenaz resistência aos quase 400 soldados inimigos. Morto, o comandante paraguaio não deixou que lhe tirassem a espada, afirmando que “um homem assim, não se deve desarmá-lo, mesmo estando morto”! Disse, ainda, o comandante  paraguaio, diante do cadáver daquele  bravo militar brasileiro: “Se o Brasil tiver muitos Homens como este, a invasão ao Brasil não vai ser tão fácil como pensávamos”.

 

Homens assim, já não mais existem e o seu gesto heróico é ridicularizado por quase todos sub-homens dos dias atuais, que mal conhecem o que se passa além dos dois metros dos seus umbigos atravessados por grampos, ossos, paus, brincos e pregos... Enferrujados.

 

 

                                        M A N I F E S T O

 

 

Através deste Manifesto, estamos conclamando as Mulheres  do  Brasil, de todas as idades, condição social , religião e raça, para salvarem o nosso País da miséria  mental, moral, intelectual,  material   e  espiritual      em  que  se encontra, mergulhado há décadas, devido ao comportamento desonesto, amoral e imoral de muitos políticos, autoridades e governantes que traíram e traem os votos de confiança que lhes são dados pelo Povo para representá-los, com dignidade, nos mais altos postos da Nação, na esperança de honrarem a nossa fé eleitoral, promovendo o Bem social e a felicidade dos brasileiros, principalmente a dos mais necessitados. Entretanto, o que mais temos visto nesses indivíduos, depositários do nosso voto, da nossa escolha e da nossa confiança? Não é necessário muito esforço mental para verificarmos o comportamento negativo, nocivo, imoral e amoral do grande número desses nossos representantes indignos, seja na política, na governança e nos muitos altos postos de autoridade.

 

Os noticiários da televisão, a internet, as manchetes dos jornais, as reportagens  das principais revistas e tantas outras denúncias que nos chegam ao conhecimento diário, mostram-nos as diversas falcatruas e os atos imorais e amorais desses indivíduos que  colocamos à frente dos Poderes do Estado, graças ao voto inconsciente,ignorante e irresponsável da maioria dos eleitores. Elegemos pessoas desqualificados para exercerem as posições mais elevadas da República. Esses indivíduos, depois de eleitos, irão superlotar o incalculável número de cargos nos três poderes da União, nomeando para as funções da Administração Pública os seus familiares, parentes, amigos, compadres, correligionários e demais sequazes que não conseguiram se eleger ou se reelegerem na última ou penúltima eleição. Estes derrotados nas urnas, assim como os seus padrinhos, por não terem competência técnica e moral, irão, por sua vez, usurpar, furtar e dilapidar o Tesouro Nacional, fruto da arrecadação do nosso trabalho honesto, penoso e suado, através dos pesados impostos que pagamos. Suportamos nos nossos magros ombros a carga tributária mais elevada do mundo! Esse peso é porque sustentamos um quadro de políticos dos mais corruptos da Terra. Gastamos bilhões de reais pagando os salários desses contumazes figurões-sanguessugas da política nacional que furtam até a merenda escolar das famintas crianças nordestinas; desde os vereadores dos vilarejos mais pobres e miseráveis, até aos mais elevados ocupantes de cargos políticos das grandes Capitais.

 

Votamos neles para, pouco tempo depois, surrupiando sofregamente o nosso dinheiro e a nossa esperança, vão eles se esbaldar em turísticos passeios no Exterior, em meio ao luxo e  prazeres mundanos com as suas famílias e companheiros, munidos com o dinheiro, privilégios e imunidades dos cargos que lhes damos. Viajam, passeiam, usam telefones à vontade, sem nada pagarem de seus bolsos e das suas cuecas já abarrotadas de dólares do nosso Erário. Em pouco tempo aboletados no Poder, compram aviões, helicópteros, iates, mansões, fazendas e carrões; sem se preocuparem com os seus representados e nem com o Leão da Receita Federal que, para eles, é bem mais manso que para os pobres assalariados que neles votaram. Enquanto se esbaldam nos prazeres da carne, na gula nos churrascos semanais e em outros mais obscenos da “fraca carne”; morremos nas filas do INSS e nos leitos putrefatos de muitas enfermarias do SUS, onde faltam fraldas para recolher e esconder os dejetos dos pobres e infelizes trabalhadores, principalmente da Roça, que levaram uma vida inteira sofrendo e suando para produzirem o que aquelas aves de rapina consomem na opulência de seus banquetes, e em orgias nas beiras das suas piscinas, regadas com muito vinho francês, cachaça, uísque e encantadoras garotas de aluguel.

 

O salário de um homem honesto, patriota e trabalhador, mal dá para pagar os impostos que nos sobrecarregam, principalmente no início de cada ano. Pagamos cada vez mais caro para sustentarmos essa legião de contumazes velhacos corruptos que há séculos infestam a Nação, atraídos pelo voto fácil dos ignorantes e pela impunidade que os seus cargos lhes garantem. É claro que, para manter os seus eleitores na ignorância e incapazes de cobrar-lhes Ética e Moral, esses vampiros  políticos evitam-lhes dar Cultura e Saber, enganando-os com o “pão”,com o “circo” e com o anestésico cerebral mais utilizado....o Álcool! Bilhões de reais são liberados facilmente para jogos (o Circo), para uma “cesta” mensal de comida (o Pão) e no conluio com os cervejeiros, entorpecendo milhões de tolos imaturos nas calçadas sujas dos incontáveis botecos que vemos em todas as cidades do País! E, ainda, vemos prefeitos se orgulharem e proclamarem aos “quatro ventos” que as suas cidades são “Capitais da Cachaça”; enquanto a maioria dos homens deteriora o seu cérebro, diminuindo a sua capacidade de raciocinar, nos bares e botecos, de segunda a segunda, bebendo com amigos, falando do número de mulheres que “pegou” e olhando para uma tela onde homens milionários correm atrás de uma bola; ao mesmo tempo em que  as suas esposas, ficam em casa cuidando da mesma e da sua prole até o mesmo chegar embriagado em casa, muitas vezes agressivos e violentos devido ao excesso de álcool que afogou os seus, já minguados, neurônios. Muitos, ainda reclamam ( e até assassinam) quando suas esposas, cansadas e carentes de afeto, procuram em outros braços e abraços, o carinho e o amor que lhes faltam em casa.

 

Voltando aos políticos que elegemos. É tão bom e atraente o enriquecimento rápido, impune e fácil para os ocupantes dos cargos políticos que eles se tornaram os melhores empregos do mundo, com direito à roubalheira desenfreada e com a impunidade garantida por seus pares, pela imunidade e pelos maus e antiéticos advogados que, usando as famosas “brechas” da lei, mantém fora das prisões os altos figurões da delinqüência nacional. Por tal razão, a cada Eleição, repete-se o ciclo nefasto da patifaria política brasileira. Os mesmos velhacos e notórios corruptos voltam a se fantasiar de “bons meninos”, de “santos”, de inocentes cidadãos mostrando as suas castas mãozinhas, formando com os dedos, lindos e comoventes coraçãozinhos, berrando em alto-falantes pelas ruas à cata dos nossos votos a fim de se perpetuarem no Poder, sob o manto protetor que lhes garante a impunidade e para se manterem atolados no lamaçal da corrupção que, por sua vez, nos mantém na miséria material e mental em que vivemos há séculos. E, o que é pior, trazem os seus familiares como candidatos, também, a fim de garantirem para si e para eles a “mina” dos cofres públicos e à imunidade para a pilhagem da nossa poupança amealhada por anos do nosso trabalho honesto, suado e sofrido por toda a nossa vida de contribuição previdenciária, sonhando num futuro melhor para nós e para os nossos filhos. Essas velhas e oportunistas raposas que há décadas assaltam o “galinheiro” treinam as suas raposas-filhotes para continuarem a pilhagem da nossa poupança, apresentando nas épocas de Eleições, os seus sorridentes apaniguados familiares para, quando eleitos, perpetuem o costumeiro assalto aos cofres públicos (a nossa poupança); instituindo uma nova condição da Ciência Genética... a hereditariedade do furto e da roubalheira. O pior é que a maioria desses novos assaltantes-familiares é eleita pelos votos inconseqüentes da maioria dos eleitores imaturos, de maior ou menor idade cuja mente destituída de cultura e/ou deteriorada pelo álcool, drogas e pelo sexismo; perdeu, ou tem diminuída, a capacidade discernir entre o Bem e o Mal; entre o interesse individual e o social e entre o útil e o prejudicial a si, e aos demais. Daí, insistimos na confiança que temos no bom-senso do Voto Feminino e a Fé que depositamos na Lucidez, Sensibilidade  e maior Sentimento Humanístico da maioria das Mulheres. Não é exagero falarmos da magnitude do que é desviado, furtado, roubado e pilhado por eles, na ânsia do enriquecimento rápido em razão do medo de não serem reeleitos; apressando-se em se locupletarem antes que terminem os seus nocivos e inúteis mandatos. Assim, diante desse quadro político permissivo ao crime, imoral e de imoralidade crescente, não vemos alternativa senão a de CONCLAMAR AS MULHERES BRASILEIRAS a assumirem a luta (não à luta armada, pois esta é característica de imbecis arrogantes, desumanos e tolos) pela limpeza ética e moral da política brasileira.

 

Assim, suplicamos aos representantes do SEXO FEMININO que aceitem mais este desafio, porque a maioria dos homens se encontra embriagada, entorpecida e mergulhada, na ignorância, na omissão covarde e irresponsável, nas fantasias narcisísticas, egoísticas, vaidosas e do sexismo que tanto atrai e entorpece a mente masculina. Confiamos na providência feminina porque as Mulheres ainda mantêm a Graça Divina da Sensibilidade e do Humanismo, sentimentos estes que os Homens perderam, há décadas, em razão da sua brutalidade, animalidade e crescente agressividade e violência contra tudo e contra todos, principalmente contra a Mulher. Em muitos Países do mundo, principalmente na América do Sul, são as Mulheres que vão às ruas para nos libertarem da tirania e da permissividade dos políticos e demais salafrários governamentais corruptos e desumanos.

 

Mulheres pressionem os seus amigos, namorados, colegas, parentes, companheiros, amantes e maridos, através do seu poder de sedução, erotismo, sensualidade e de superior maturidade sobre eles; para que se conscientizem da real e presente calamidade social em que vivemos, lutando todos unidos a favor da salvação nacional para um futuro melhor para nós e para os nossos descendentes.

 

Termino este Apelo às Mulheres do meu País, citando o grande e culto brasileiro, Rui Barbosa que, em discurso proferido na Universidade de São Paulo, em 1920, assim disse: “Se o povo é analfabeto; somente os ignorantes estarão a lhe governar” e “Tenho receio que o Brasil seja  visto pelas outras Nações, como a mais fértil em escândalos !

 

Tinha razão o grande brasileiro que desde 1892 já lutava contra a corrupção brasileira e a omissão dos seus contemporâneos... Tal como hoje! Chegamos ao tempo em que sentimos vergonha de sermos honestos.

 

                                                      -----------------------------

Belo Horizonte, 16 de setembro de 2012.

 

Carleial. Bernardino Mendonça

Psicólogo-Clínico pela Universidade católica de Minas gerais

Bacharelando da faculdade de Direito Estácio de Sá, em Minas Gerais

Escritor e Pesquisador nas áreas da Psicobiologia e do Direito.

 

 

 

 

                                                                                           

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Carleial.bernardino Mendonça) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados