JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Não ao exame de ordem


Autoria:

Frei Fernancio Barbosa Carneiro


Graduado em filosofia (UECE), Administrador(Instituto Camilo Filho) de RH, Teólogo (ITEP), Filosofo Clinico (Instituto Packter), Pós-graduado em Adm. Escolar. Bachael em Direito (Faete). Dr. em Teologia. Mestre em Gestão - isg - Portugal

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

A influência do Neoconstitucionalismo no Brasil e no Mundo

A questão dos precatórios e a construção da democracia

COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA DO JURISTA PAULO BONAVIDES "DO PAÍS CONSTITUCIONAL AO PAÍS NEOCOLONIAL: A DERRUBADA DA CONSTITUIÇÃO E A RECOLONIZAÇÃO PELO GOLPE DE ESTADO INSTITUCIONAL"

A JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE EM FACE DO PRINCÍPIO DA ISONOMIA

O ADICIONAL NOTURNO E SUA COMPATIBILIDADE COM O SUBSÍDIO: RESPEITO AOS PRINCÍPIOS REITORES DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

Aplicação da teoria do fato consumado no precatório

A moralidade nos atos administrativos

O parcelamento dos salários dos servidores públicos em Minas Gerais - Retenção dolosa e interdição intransponível ao pagamento de tributos

O POVO NÃO AGUENTA MAIS ESPERAR

Novos Códigos, Novas Leis. E o Acesso à Justiça?!!

Mais artigos da área...

Resumo:

precisa urgente acabar o exame de ordem para ordenar o direito no Brasil, com os profissionais desempregados, os bacharéis em direito.

Texto enviado ao JurisWay em 27/07/2011.

Última edição/atualização em 29/07/2011.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Realmente a luta está começando sobre o exame de ordem. Este debate na net tem proporções mundiais, pois milhões de pessoas estão sabendo que o Brasil pode se tornar o País com maior número de advogados do mundo. Portanto uma potência jurídica. Mas para isto precisa de apoio do STF, e do congresso nacional, além de nas próximas eleições ter maior apoio de juristas na luta contra o EO. Mas creio que o combate tem sido feito, com alguns contra o EO, mas a grande maioria é a favor do não EO, porque se houvesse um plebiscito na internet, sobre o assunto, poderia obter resultado favorável as prerrogativas constitucionais, contra o EO. O Sub procurador da República opinou, e isto é apensa uma voz que clama pelo não EO. Aos poucos vamos ter mais opiniões diferenciadas sobre o assunto do EO. Basta provocar debates e congressos regionais, nacional e internacionais, para fazer as coisas irem se articulando com força e vigor, possibilitando na organização dos bacharéis em Direito, com criação jurídica de sua entidade, pesquisando em outros países com funciona as organizações dos advogados. É preciso ir também construindo a propostas de colocar os bacharéis em direito como advogados das pequenas causas, para os bacharéis , ou paradvogados (denominação nos estados unidos), ajudarem os pobres, voluntariamente num primeiro momento, depois de dois anos entrarem para a Nova Ordem dos Advogados do Brasil, ou mesmo o IAB, que pode ser fortalecido com órgão representante dos bacharéis em direito, ou mesmo com parceria com o movimento dos bacharéis em direito do Brasil. O debate está sendo construído e o STF deve optar pela população que clama por justiça, pois o numero de advogados na atualidade não supre a demanda. Parabéns a esta luta que está sendo observada pelo mundo inteiro, pois quem tem méritos é o Brasil, um País que falta muito o debate da justiça do direito dos povos negros e nativos! Precisa-se colocar em prática o direito constitucional de exercer a profissão de advogado sem passar pelo exame de ordem.
Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Frei Fernancio Barbosa Carneiro) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2022. JurisWay - Todos os direitos reservados