JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Resumo de aula - IED II


Autoria:

Janiere Portela Leite Paes


Técnica Judiciária do TRE-AL, acadêmica do curso de Bacharelado em Direito pela FG(Bahia).

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Trata-se de resumo elaborado para auxiliar os estudos da disciplina IED II.

Texto enviado ao JurisWay em 24/07/2011.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

I.E.D II – RESUMO

  JURNATURALISMO X POSITIVISMO

 

DIREITO NATURAL: DA ORIGEM AO DECLÍNIO

 

ANTIGA

         GRÉCIA (NATUREZA HUMANA: SÓCRATES, PLATÃO E ARISTÓTELES);

         ROMA (RETA RAZÃO: CÍCERO)

 

MEDIEVAL

 

         SÃO TOMÁS DE AQUINO (LEI ETERNA; LEI NATURAL E LEI HUMANA);

         SANTO AGOSTINHO (CONTESTA A DOUTRINA DE SÃO TOMÁS DE AQUINO, INICIO DO PENSAMENTO POSITIVISTA);

          HUGO GRÓCIO (1583-1645) : ANTROPOCENTRISMO, DIREITO É PRODUTO DA RAZÃO HUMANA; ESCOLA CLÁSSICA DO DIREITO NATURAL;

          TOMAS HOBBES (1588-1679): ABSOLUTISTA E LIBERAL; HOMEM É UM SER ANTI-SOCIAL;

          JOHN LOCKE (1632-1704): ESTADO DE NATUREZA; PRECURSOR DO CONTRATO SOCIAL;

 (PROTESTANTISMO / RACIONALISMO: LEVA O DIREITO NATURAL AO DECLINIO)

          ROSSEAU (1712-1778): CONTRATUALISTA; VONTADE COLETIVA; INSPIROU A REVOLUÇÃO FRANCESA;

 
 

CRÍTICAS AO DIREITO NATURAL: ENQUANTO O DIREITO POSITIVO É UM CONJUNTO DE NORMAS POSTAS, O DIREITO NATURAL É UM CONJUNTO DE IDEIAIS DE JUSTIÇA QUE NÃO PODEM SER APLICADOS COMO LEI, MESMO QUANDO EXISTEM LACUNAS NA LEI  E CABE AO JUIZ A FACULDADE DE DECIDIR SEGUNDO A EQUIDADE;

 

A TENDÊNCIA CONTEMPORANEA É CONSIDERAR O DIREITO NATURAL COMO UM CONJUNTO DE PRINCÍPIOS E NÃO COMO DIREITO NORMATIVO, TRAÇANDO AS LINHAS MESTRAS PARA CONDUZIR O HOMEM EM SOCIEDADE.

 

DIREITO POSITIVO

 

CONCEITO: CONJUNTO DE NORMAS VIGENTES EM UM PAÍS, EM DETERMINADA ÉPOCA, CRIADAS PELO SER HUMANO E POSTAS PELO ESTADO; NEGA A EXISTÊNCIA DE JUÍZOS DE VALOR.

 

APOGEU: FINAL DO SÉCULO XIX E INICIO DO SÉCULO XX, MAS HOJE ENCONTRA-SE EM DECADÊNCIA; INICIO DO NEOPOSITIVISMO;

 

 

ESCOLAS:

 

RACIONALISTA

 

         IMANUEL KANT (1724-1804): FIM DO NATURALISMO E INICIO DO POSITIVISMO;

 

ESCOLA HISTÓRICA (NASCIMENTO DA MODERNA CIÊNCIA JURÍDICA)

 

         HEGEL (1770-1831);

         SAVIGNY;

 

ESCOLA SOCIOLÓGICA

 

         IHERING (PROGRESSO SOCIAL; EVOLUÇÃO E PLURALISMO POLÍTICO);

 

ESCOLA POSITIVISTA (NÃO ACEITA VALORES DA VIDA HUMANA P/ O DIREITO)

         HANS KELSEN (1881-1973): NORMA FUNDAMENTAL; PIRAMIDE HIERÁRQUICA;  

         ALF ROSS (1899-1979);                                                                                      

         HERBERT HART (1907-1992);                                                                          

                                                                                                                                     

 

CRÍTICAS AO POSITIVISMO: TODAS ESSAS TEORIAS POSITIVISTAS NAUFRAGARAM NO FINAL DO SÉCULO XX, EM DECORRÊNCIA DO TOTALITARISMO E DITADURAS.

 

NEOPOSITIVISMO

 

         NOBERTO BOBBIO

  

TEORIA TRIDIMENSIONAL : FATO SOCIAL / VALOR E NORMA

– MIGUEL REALE-

 

   


                                               FATO SOCIAL



                             

                                VALOR                                        NORMA

 

  

SÍNTESE: AO FATO SOCIAL ATRIBUI-SE UM VALOR (PRINCÍPIOS), AO QUAL SE TRADUZ EM NORMA; CUJA INTERPRETAÇÃO VARIA DE ACORDO COM O CONTEXTO SOCIAL E HISTÓRICO À ÉPOCA DOS FATOS.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Janiere Portela Leite Paes) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados