JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Uma estudo geral de Pedagogia: didática e tendências pedagógicas


Autoria:

Tayson Ribero Teles


Mestrando do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu - Mestrado em Letras: Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre (UFAC). Especialista em Gestão Administrativa na Educação pela ESAB, de Vila Velha-ES (2014). Graduado, na Área de Administração, em Tecnologia em Gestão Financeira, pelo Centro Universitário Oswaldo Cruz, de Ribeirão Preto-SP (2013). Servidor Público Federal Efetivo do Ministério da Educação. Membro do Conselho Regional de Administração do Acre (CRA/AC), assentado no Registro n.º6-0079. Bem como, atualmente, é Acadêmico do 7.º Período do Curso de Direito da UFAC.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Uma análise do que seja a pedagogia e suas atuais perspectivas.

Texto enviado ao JurisWay em 16/04/2015.

Última edição/atualização em 20/04/2015.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

1 A concepção atual de Didática

 

Para Gonçalves e Clemente (2014), atualmente, a didática, como área de conhecimento da Pedagogia, constitui-se em um campo teórico-prático que ajuda o professor a compreender a complexidade do cotidiano docente e, principalmente, a refletir a respeito da sua prática, subsidiando a (re)construção desta.

A maneira como se ensina, se organiza uma aula e se interage com os alunos e com o conhecimento, bem como a concepção que se tem ou se terá com relação ao significado social da profissão docente professor são objetos de reflexão da atual didática.

Basicamente, hoje em dia, a didática tem como objetivo a direção do processo de ensinar, tendo em vista finalidades sociopolíticas e pedagógicas e as condições e meios formativos. Assim, nos dias atuais, a didática reflete e busca alternativas para as dificuldades educacionais.



2. Tendências pedagógicas/modelos de Didática

 

Tendência Tradicional : é uma concepção de educação em que prevalece a ação de agentes externos na formação do aluno, a transmissão do saber constituído na tradição e nas grandes verdades acumuladas pela humanidade e uma concepção de ensino como impressão de imagens propiciadas concomitantemente pela palavra do professor e pela observação sensorial. Tal tendência surgiu com a chegada dos Jesuítas ao Brasil Colônia e foi conservada ao longo da história educacional.

Nessa tendência, a escola tende a igualar o processo de introdução de valores e práticas para fortalecer os laços sociais, promover a coesão social, incrementar a divisão do trabalho social, conformar os indivíduos aos padrões da estrutura social. Nesse rumo, as ações de ensino estão centradas na exposição do conhecimento pelo professor. Essa tendência enxerga a didática como disciplina normativa, com um conjunto de princípios e regras que regulam o ensino.

Para essa tendência o meio principal de transmissão do conhecimento é a exposição oral. Os alunos fazem exercícios repetitivos e são recebedores da matéria. Além do que, o professor tende a encaixar os alunos num modelo ideal de homem. Quanto ao ensino prático, o material concreto é mostrado, mas o aluno não lida mentalmente com ele, não repensa, não reelabora seu próprio pensamento. Vige, basicamente a memorização.

Tendência Tecnicista: surgiu entre 1950 e 196o e foi imposta às escolas brasileiras pelos organismos oficiais ao longo de boa parte das duas últimas décadas, por ser compatível com a orientação econômica, política e ideológica do regime militar então vigente. Alberga uma didática instrumental interessada na racionalização do ensino, no uso de meios e técnicas mais eficazes. O arranjo mais simplificado dessa sequência resultou na fórmula: objetivos, conteúdos, estratégias e avaliação.

Quanto ao ensino, o professor é o administrador e executor do planejamento, o meio de previsão das ações a serem executadas e dos meios necessários para se atingir os objetivos. Nessa época, a maioria dos livros didáticos utilizados nas escolas é elaborada com base na tecnologia da instrução.

Tendência Renovada : surge a partir do fim do século XIX e busca, basicamente, a valorização da criança, dotada de liberdade, iniciativa e interesses próprios, sujeito de sua aprendizagem. Além do que, reivindica tratamento científico do processo educacional, considerando as etapas sucessivas do desenvolvimento biológico e psicológico, respeitando as capacidades e aptidões individuais; e individualização do ensino conforme os ritmos próprios de aprendizagem.

Essa tendência assume um princípio norteador de valorização do indivíduo como ser livre, ativo e social. Para tal, o centro da atividade escolar não é o professor nem os conteúdos disciplinares, mas sim o aluno, como ser ativo e curioso. Por isso, é entendida como "direção da aprendizagem", considerando o aluno como sujeito da aprendizagem.

O que o professor tem de fazer, para essa tendência, é colocar o aluno em condições propícias para que (partindo de suas necessidades e particularidades) possa buscar por si mesmo conhecimentos e experiências. Ou seja, o professor incentiva, orienta, organiza as situações de aprendizagem, adequando-as às capacidades e características individuais dos alunos.

Tal tendência oferta importância aos métodos e técnicas como o trabalho em grupo, atividades cooperativas, estudo individual, pesquisas, projetos, experimentações. O professor ajuda o aluno a aprender. Portanto, o centro da atividade escolar não é o professor nem a matéria, é o aluno ativo e investigador.

Tendência Libertadora: tem sido empregada com muito êxito em vários setores dos movimentos sociais, como sindicatos, associações de bairro, comunidades religiosas. Por isso, é muito utilizada com adultos que vivenciam uma prática política e onde o debate sobre a problemática econômica, social e política pode ser aprofundado com a orientação de intelectuais comprometidos com os interesses populares.

Em relação à escola fundamental, não foi organizada uma orientação pedagógico-didática. Basicamente, não há uma Didática explícita. O professor se põe diante de uma classe com a tarefa de orientar a aprendizagem dos alunos. A atividade escolar é centrada na discussão de temas sociais e políticos.

O ensino está centrado na realidade social, em que o professor e os alunos analisam problemas e realidades do meio socioeconômico e cultural, da comunidade local, com seus recursos e necessidades, tendo em vista a ação coletiva frente a esses problemas e realidades. Nesse processo em que se realiza a discussão, os relatos de experiências vividas, a pesquisa participante, o trabalho em grupo, vão surgindo temas geradores que podem vir a ser sistematizados para efeito e consolidação de conhecimentos.

É uma didática que busca desenvolver o processo educativo no interior dos grupos sociais e, por isso, o professor é o coordenador ou animador das atividades que se organizam sempre pela ação conjunta dele e dos alunos.

Tendência Crítico-Social dos Conteúdos: segundo essa tendência, o que importa é que os conhecimentos sistematizados sejam confrontados com as experiências socioculturais e a vida concreta dos alunos, como meio de aprendizagem e melhor solidez na assimilação dos conteúdos.

O ensino significa a tarefa de proporcionar aos alunos o desenvolvimento de suas capacidades e habilidades intelectuais, mediante a transmissão e assimilação ativa dos conhecimentos. O objeto de estudo é o processo de ensino nas suas relações com a aprendizagem. Além do que, a didática tem como objetivo a direção do processo de ensinar, tendo em vista finalidades sociopolíticas e pedagógicas e as condições e meios formativos. Portanto, é uma didática que reflete e busca alternativas para as dificuldades educacionais.

 

3. A Tendência/concepção atual de Didática mais utilizada

 

Após a compreensão de todas as fases por que passou a didática, parece indubitável que, hodiernamente, este campo do saber represente a área da pedagogia responsável por estudar o processo de ensino e a aprendizagem dos alunos aprendentes de determinada área.

Nesse rumo, atualmente a didática tem como escopo, basicamente, orientar os professores à produção de uma aprendizagem voltada para a formação de cidadãos conscientes politicamente falando e capazes de racionar, pensar e intervir na realidade social, seja ativamente, por meio da reivindicação de direitos, seja passivamente, por meio do exercício de um trabalho de execução de alguma incumbência prática-social, como uma profissão por exemplo.


4. Contribuição da atual concepção de Didática para a prática do professor

 

Basicamente, sabendo que, atualmente, didática é a forma como o professor exala ao aluno o conteúdo ensinável, relacionando-o com os aspectos socioculturais desse aluno aprendente, bem como, lembrando que o objeto da didática é o processo de ensino e a aprendizagem, várias são as contribuições desta área da pedagogia para a prática docente.

Como exemplo, podemos remorar as ideias do filósofo do século XVI João Amós Comênio, e dizer que a didática oferece ao professor: a) possibilidade de organizar a forma como será ensinado o conteúdo e o que será ensinado; b) factibilidade de mostrar ao aluno as aplicações práticas do que lhe é ensinado; c) possibilidade de normatizar e controlar o lapso de ensino, garantindo que tudo será ensinado em seu devido tempo, para, assim, auferir-se a compreensão dos princípios gerais e das especialidades de determinado assunto; d) possibilidade de respeitar as diferenças entre as culturas, os assuntos e os alunos e suas histórias de vida, adequando, desse modo, a forma de ensino.

 

Referências

 

 

 

 

GONÇALVES, Juliana Brassolatti; CLEMENTE, César. Metodologia do ensino de matemática /Batatais, SP : Claretiano, 2014. 154 p. 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Tayson Ribero Teles) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados