JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Animais ainda sem voz!


Autoria:

Carolina Salles


Mestre em Direito Ambiental

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

DEGRADAÇÃO AMBIENTAL: A VISÃO DOS MORADORES DAS MARGENS DO RIO DOS COCHOS

IMPOSIÇÃO DE MULTA POR CORTE DE ÁRVORES SEM AUTORIZAÇÃO: ANÁLISE CRÍTICA DA JURIDICIDADE DAS AUTUAÇÕES REALIZADAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO

A evolução da legislação ambiental brasileira

SOLIDARIEDADE, RESPONSABILIDADE E PARTICIPAÇÃO PARA O MEIO AMBIENTE IDEAL

Atrás das grades. A apreensão de um cavalo em Sergipe?

O Meio Ambiente na Constituição Federal de 1988

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO SOLUÇÃO JURÍDICA DE PREVENÇÃO AOS DELITOS ECOLÓGICOS

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E OS RECURSOS HÍDRICOS

Responsabilidade Social: O Novo Papel das Empresas

NORMA NBR ISO 14.001: CONCESSÃO MEDIANTE A OBSERVÂNCIA DOS INSTRUMENTOS LEGAIS DE PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE, PRESENTES NA LEI Nº 6.938/81 (LEI DE POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE)

Mais artigos da área...

Resumo:

Esse artigo é uma reflexão sobre o direito dos animais e a liberdade de expressão religiosa

Texto enviado ao JurisWay em 14/04/2015.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Acesso as notícias e custo a acreditar no que leio. Mas infelizmente é verdade! Os animais foram sentenciados ao abuso, a barbárie e tiveram seus direitos rasgados no Rio Grande do Sul. Isso mesmo! Agora, a pretexto de rituais religiosos, os animais poderão ser vítimas de maus tratos, torturados e mutilados e, pasmem, tudo isso sem anestesia, a sangue frio, olho no olho com seus carrascos e sem direito a defesa.

E por falar em defesa, a mesma já foi negada aos animais na votação do projeto de lei do deputado Edson Portilho, que teria o seu projeto de lei apresentado para votação em julho e na verdade o apresentou em medida de urgência, avisando somente os deputados que apoiavam o seu projeto e sabem o motivo? Assim o deputado evitou a manifestação dos ativistas animais, que são as vozes do que não tem vozes e dos parlamentares que votariam contra tal medida

A comunidade religiosa que, pratica rituais com animais gostou da aprovação do projeto de lei 282/2003 de autoria do referido deputado que justificou que tal medida visa a garantir o direito de expressão livre de credo e que o sacrifício dos animais não constitui crueldade.

Como católica e ativista animal, acredito que toda a religião tem como seu pilar o amor ao próximo e venera o direito de todos os seres vivos, sem exceção e o maior direito que todos tem é o direito a vida!

A aprovação dessa lei pela assembléia do estado do Rio Grande do Sul é um retrocesso para o direito dos animais e para a raça humana.

E penso que a declaração universal dos direitos animais é desrespeitada continuamente e, pelos mais diversos motivos e assim os animais vão sendo explorados e sofrendo maus tratos por aqueles que deveriam protegê-los, os humanos, os racionais.

Os únicos rituais que os animais merecem são o do amor e do respeito. Como dizia Mahatma Gandhi: "A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados".

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Carolina Salles) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2022. JurisWay - Todos os direitos reservados