JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

A DEFENSORIA PÚBLICA QUE O POVO ESPERA NO ANO DE 2015


Autoria:

Carlos Eduardo Rios Do Amaral


MEMBRO DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

envie um e-mail para este autor

Resumo:

A DEFENSORIA PÚBLICA QUE O POVO ESPERA NO ANO DE 2015

Texto enviado ao JurisWay em 09/11/2014.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

A DEFENSORIA PÚBLICA QUE O POVO ESPERA NO ANO DE 2015

 

Por Carlos Eduardo Rios do Amaral

 

Diz o Art. 134 da Constituição Federal: “A Defensoria Pública é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe, como expressão e instrumento do regime democrático, ‘fundamentalmente’, a orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados, na forma do inciso LXXIV do art. 5º desta Constituição Federal” (destaquei).

 

Como se vê, a expressão “fundamentalmente” não guarda nenhuma relação com o que seja exclusivo, singular ou insular. O Dicionário Eletrônico Priberam assim define o advérbio “fundamentalmente”: “1. De modo fundamental; 2. Na maioria; na maior parte. 3. Em relação ao que é mais importante; no que é fundamental. 4. Essencialmente”.

 

Destarte, o texto constitucional optou por definir de antemão o que seja precípuo às finalidades da Defensoria Pública: a tutela dos necessitados. Conferindo ao Congresso Nacional, em sede de legislação infraconstitucional, a incumbência de estabelecer as atribuições legais daquela Instituição para além daquela já estabelecida na Constituição (e de modo fundamental).

 

Claro que o Parlamento brasileiro deverá conferir à Defensoria Pública atribuições extraídas a partir dos fundamentos e objetivos da República Federativa do Brasil, enquanto Estado Democrático de Direito, já expressamente consignados nos Arts. 1º e 3º da Constituição. E não apenas em sede judicial, prestigiando-se a atuação extrajudicial da Defensoria Pública como fator de alívio e desobstrução do Poder Judiciário.

 

E a sociedade contemporânea reclama por esse maior alcance e plasticidade da Defensoria Pública. A tutela do meio ambiente (fauna e flora), o combate à corrupção e à improbidade em todas as esferas de governo, a proteção dos usuários de serviços públicos direta ou indiretamente prestados pelo Poder Público, a questão da homofobia, o auxílio às manifestações de massa nas ruas etc, devem permear e sensibilizar Deputados Federais e Senadores no Ano de 2015, na elaboração de leis que outorguem à Defensoria Pública legitimidade para esses anseios populares.

 

O fortalecimento das Defensorias Públicas Estaduais e da União tem sido a tônica do primeiro mandato da Senhora Presidenta Dilma Rousseff. A resposta do povo veio das urnas, que a reelegeu para um próximo mandato. Próximo mandato esse que poderá consagrar de uma vez por todas a Defensoria Pública como uma Instituição ímpar na defesa dos direitos humanos e do Estado Democrático de Direito.

 

_____________

 

Carlos Eduardo Rios do Amaral é Defensor Público do Estado do Espírito Santo

 

 

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Carlos Eduardo Rios Do Amaral) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados