JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Defesa do Consumidor
 

ANS: 20 milhões de brasileiros têm planos de saúde com avaliação ruim ou mediana

Texto enviado ao JurisWay em 15/11/2011.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Cerca de 20 milhões de brasileiros têm planos de saúde considerados ruins ou medianos em avaliação feita pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Esses brasileiros representam 45% dos usuários de planos de saúde no Brasil.

A ANS analisou, no total, 1.103 planos. Desse total, 743 tiveram pontuação inferior a 0,60, numa escala que vai até 1. Dentro desse universo, 437 planos tiveram nota entre as duas faixas mais baixas de pontuação; 306 planos registraram a pontuação média.

A avaliação foi feita de acordo com quatro quesitos: qualidade da assistência prestada ao cliente, estrutura de atendimento oferecida, situação econômico-financeira e atendimento.

Os planos foram, então, classificados pelo Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) em cinco faixas de pontuação: de 0,00 a 0,19; de 0,20 a 0,39; de 0,40 a 0,59; de 0,60 a 0,79; e de 0,80 a 1,00.

O consumidor pode descobrir a nota de seu plano no site da agência (www.ans.gov.br), acessando o link "Planos de Saúde e Operadoras" e, depois, "Informações e Avaliações de Operadoras".

De todos os planos analisados, 360 tiveram pontuação acima da média --eles correspondem a 32% do total e represetam 25,7 milhões de clientes. Entre eles, porém, só 46 planos tiveram a nota máxima.

"Em termos relativos, não houve grande melhora nessa avaliação, feita em 2010, em relação àquela feita no ano de 2009", diz o coordenador do programa de qualificação da ANS, João Matos. "Mas percebemos uma tendência de melhora ao longo do tempo, se considerarmos o resultado de 2007, por exemplo."

Em 2007, o índice de operadoras com resultados entre as duas maiores faixas de pontuação era de 11%.

O resultado apresentado ainda é preocupante, na opinião do advogado especializado em planos de saúde Julius Conforti. "É um contrassenso. O mercado de saúde privado está em plena ascensão, é rentável, a demanda é grande e o serviço é caro, mas muitas empresas têm problemas financeiros", diz.

Conforti considera que um dos principais problemas das empresas é a má gestão. "Em alguns casos, elas também tentam angariar clientes oferecendo planos por preços que não se sustentam."

Para a professora adjunta da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e especialista no mercado de planos de saúde Lígia Bahia, a qualidade das redes credenciadas tem piorado.

"Os preços dos planos aumentaram, mas o repasse para os profissionais da saúde não aumentou na mesma proporção", afirma.

O coordenador do programa de qualificação da ANS, João Matos, diz que as empresas mal avaliadas podem ser alvo de ações administrativas da agência. A ANS pode, por exemplo, nomear uma espécie de interventor para acompanhar a situação da empresa de perto.

Matos afirma que a divulgação da avaliação tem por objetivo, principalmente, ajudar o consumidor final. "O grande cliente desse serviço é o usuário. O índice pode ajudá-lo a nortear sua escolha, além de estimular a concorrência entre as empresas."

Confira 5 dicas para escolher seu plano de saúde:

1. Converse com quem já tem plano e peça informações sobre a qualidade do atendimento

2. Peça informações sobre o plano para médicos de sua confiança

3. Evite planos de empresas que já sofreram algum tipo de intervenção da ANS. A informação pode ser obtida no Disque ANS (0800-701-9656)

4. Consulte as listas de reclamações de órgãos como Procon e própria ANS

5. Opte por empresas com rede credenciada ampla e espalhada pela cidade em que você mora

Fonte : Agência Saúde


Fonte: Prontuário de notícias
Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

 
 
Copyright (c) 2006-2018. JurisWay - Todos os direitos reservados