JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Defesa do Consumidor
 

Sites na mira da Polícia

Ofertas duvidosas de compras pela Internet são alvo de inquérito em delegacia do Rio

Texto enviado ao JurisWay em 30/11/2011.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

POR VANIA CUNHA

Rio - Quando viu em site de compras coletivas um pacote de viagem para Orlando, na Flórida, a atriz Paula Coelho, 27 anos, não pensou duas vezes: convenceu três amigos a embarcar na aventura rumo aos EUA. Mas assim que pagaram a oferta, eles viram as tão sonhadas férias se transformarem em pesadelo. Além de não conseguir agendar a reserva para a data desejada, tiveram o serviço alterado pela agência de viagens.

Reclamações desse tipo aumentam nos órgãos de defesa do consumidor, à medida em que sites de compras proliferam na Internet e chegam o fim do ano e as compras de Natal. O caso de Paula e seus amigos virou alvo de investigação da Delegacia do Consumidor e ação na Justiça.

“Fiquei muito frustrada. Primeiro, passei dois meses tentando fazer a reserva. A agência me culpou por ter demorado a agendar e alegou que só tinha quarto para quatro pessoas, quando paguei por dois quartos duplos. Achei um absurdo. Comecei a pesquisar diretamente com os fornecedores e vi que o preço que paguei pelo pacote (R$ 3.541,60), na verdade, não tinha desconto como o site anunciou. Comparado a algumas agências de viagens, saiu até mais caro”, reclamou a consumidora.

Além de mover uma ação judicial, a jovem denunciou o caso à delegacia, que já vinha fazendo levantamento de outras promoções de sites de compras coletivas. A delegada Patrícia Aguiar abriu inquérito para investigar esse e outros sites que causam problemas para o consumidor.
“Juntamos ofertas sobre as quais desconfiamos que há propaganda enganosa. Estas promoções influenciam as pessoas, que passam a definir viagens de férias, por exemplo, de acordo com o pacote oferecido”, diz Patrícia.

Sites se defendem, mas são monitorados pelos Procons

O site Peixe Urbano esclareceu que faz rigoroso processo de seleção dos estabelecimentos que promove, além de oferecer treinamento e orientações para prepará-los para receber a grande demanda de clientes. No caso da oferta comprada por Paula, ressaltou que, ao identificar que consumidores tiveram problemas, trabalhou junto com a agência, que aumentou os meios para atender aos novos clientes.
 
Mas não somente sites de vendas coletivas dão dor de cabeça. Compras em lojas que vendem pela Internet também podem causar problemas. Nesta semana, o Procon-SP determinou que Americanas.com, Submarino e Shoptime ficassem fora do ar por 72 horas, até a regularização da entrega de produtos aos clientes.

Cuidados

- Advogada do Procon, Camile Linhares dá dicas aos internautas para que as compras feitas pelos sites sejam bem-sucedidas. Confira:
- Ler com atenção as informações sobre as ofertas e a promoção.
- Observar os prazos de validade e evitar comprar itens com prazos que se esgotam rápido.
- Ligar para fornecedores e marcar uma visita antes de usar o serviço. Conheça o local antes de aproveitar a oferta.
- Verificar se a forma de pagamento é segura.
- Observar os comentários de outros clientes.
- O Procon-RJ recebe denúncias pelo site (www.procon.rj.gov.br) ou pelo telefone 151. A ligação é gratuita.



Fonte: O Dia Online
Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

 
 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados