JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Vamos pensar no seu negócio ainda em 2019?


Autoria:

Gustavo Rocha


Advogado Pós-Graduado Gerente jurídico por 4 anos Membro da comissão especial de Processo Eletrônico da OAB/RS Membro da comissão especial de Fiscalização e Ética Profissional da OAB/RS Membro da comissão permanente de Acesso a Justiça do Conselho Federal da OAB Implanta gestão e softwares jurídicos desde 1997 Sócio da Consultoria GustavoRochacom, inscrita no CRA/RS 003799/O Presta exclusivamente consultoria nas áreas de gestão, tecnologia, marketing jurídico e processo eletrônico. 10 anos de consultoria direcionada em escritórios e departamentos jurídicos no Brasil e Portugal Mais de 2000 artigos publicados no portal www.gustavorocha.com Canal no Youtube (gustavorochacom) com aulas, palestras e dicas práticas Palestrante e professor convidado de universidades e cursos de Pós-Graduação pelo país nas áreas de gestão, tecnologia, marketing jurídico e processo eletrônico Contato direto: gustavo@gustavorocha.com

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Vamos pensar no seu negócio ainda em 2019?

Texto enviado ao JurisWay em 03/06/2019.

Última edição/atualização em 09/06/2019.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Alguns sequer conseguiram pensar em 2019 (planejar), quiçá executar algo em pleno meio do ano!

E como uma das formas de aprender é ver exemplos alheios, o homem mais rico do mundo atualmente – Jeff Bezos – deu 7 dicas para seus acionistas para o desenvolvimento da Amazon em 2019.

Divido os 7 pontos e comparo com a advocacia:

1. SEJA SEU PRÓPRIO CONCORRENTE 
Bezos abre o documento mostrando como as vendas de terceiros, o famoso market place, chegaram a uma fatia recorde de 58% das vendas na plataforma da Amazon. “Ajudamos os vendedores independentes a competir contra nós mesmos investindo e oferecendo a eles as melhores ferramentas que pudemos imaginar e construir”, diz. As duas principais ferramentas, segundo Bezos, foram o Fulfillment, que armazena em centros de distribuição da Amazon produtos de terceiros, e o Prime, um programa de frete grátis. Com eles, a Amazon pode não ter crescido tanto como podia como um varejista tradicional, mas trouxe a disrupção para dentro de casa.

Como é importante desenvolver o nosso eu, o nosso próprio crescimento, nos transformando em concorrentes do nosso próprio sucesso.

Precisamos construir mais nosso caminho do que ficar olhando pros lados e achando que os outros fazem melhor.

E muito importante: O que estamos fazendo para a disrupção no nosso negócio? Pensar de forma diferente?

2. OUÇA OS CLIENTES, E DEPOIS SURPREENDA-OS
Em seu negócio mais rentável, a AWS, de serviços na nuvem, a Amazon tem clientes que vão de ONGs a governo, passando por pequenas e grandes empresas. Para Bezos, o segredo para ter sucesso com um público tão diversificado é “gastar muito tempo pensando sobre o que essas organizações querem, e o que as pessoas que lá trabalham querem”. “Muito do que construímos na AWS é baseado em ouvir os consumidores”, diz. Mas isso não significa fazer o que eles pedem, diz Bezos. É preciso ser criativo para entender as demandas e, depois, surpreender a audiência. “A AWS é um exemplo. Ninguém pediu pela AWS”, diz. “Mas o mundo estava faminto por uma oferta como essa”.

Primeiro e de forma clara e direta: Escute o cliente. Converse com o cliente. Faça pesquisas com o cliente. Nos momentos da verdade (reuniões, audiências, visitas) sempre questione o seu trabalho junto ao cliente para um feedback franco.

Você só pode surpreender o que você sabe que pode mudar.

3. FAÇA COISAS DIFÍCEIS 
Quando decidiu criar a rede de lojas físicas Amazon Go, Bezos quis se livrar do que diz ser a pior parte da experiência de compra: as filas dos caixas. “Ninguém gosta de esperar”,diz. Mas chegar lá foi “tecnicamente difícil”. “Demandou os esforços de centenas de engenheiros e cientistas da computação inteligentes e dedicados ao redor do mundo”, afirma. Foi preciso desenvolver câmeras e até prateleiras novas, para que a tecnologia passasse despercebida. A recompensa, diz, vem quando os consumidores descrevem a experiência de comprar em alguma das dez lojas da Amazon Go como “mágica”.

Em bom português: Não tente o caminho mais fácil. Para dar certo precisa de investimento, suor, lágrimas e muito estudo, acertos e erros.

4. ERRE GRANDE
Uma das máximas da gestão moderna diz que, se for para errar, é melhor errar pequeno, e rápido. Mas Bezos diz que, na medida em que as empresas crescem, tudo precisa ganhar escala, até o erros. “Se o tamanho da sua falha não estiver crescendo, você não estará inventando num patamar que pode de fato mudar o rumo das coisas”, diz. “A boa notícia para os acionistas é que uma única grande aposta vencedora pode mais que cobrir o custo de muitas derrotas”. Entre os exemplos citados por Bezos está a assistente de voz Alexa, inspirada num computador da série Jornada nas Estrelas, que já vendeu mais de 100 milhões de unidades.

Se não pensarmos grande, nosso fazer será sempre pequeno.

Para criar o melhor escritório não adianta pensar no início, tens que pensar em como ele será e criar o caminho até lá.

5. NÚMEROS IMPORTAM, MAS INTUIÇÃO, TAMBÉM
Bezos afirma que desde os primeiros dias da Amazon tentou contratar pessoas versáteis que pensem como donos e criadores. E que para isso é preciso usar muita análise na hora de contratar e treinar as pessoas, mas também muita intuição. “Uma mentalidade de construtores nos ajuda a resolver grandes problemas”, diz. O caminho para o sucesso, afirma, é tudo menos reto. Por isso, é preciso continuamente reinventar, relançar, começar de novo e repetir — com base em números, mas também no feeling.

Cercar-se de pessoas mais inteligentes e capazes que o líder é um dos segredos do sucesso de qualquer negócio.

Deixe de lado a vaidade e tenha pessoas que pensam com você!

6. FAÇA A COISA CERTA 
No anos passado, a Amazon aumentou o salário mínimo de seus funcionários para 15 dólares a hora, o que beneficiou mais de 350 mil pessoas nos Estados Unidos. “Acreditamos seriamente que isso vai beneficiar nosso negócio na medida em que investimos em nossos funcionários”, diz Bezos. “Mas não foi isso que norteou a decisão”. Ele afirma que a Amazon sempre ofereceu salários competitivos. Mas que decidiu que era hora de liderar e oferecer pagamentos que vão além do competitivo. “Fizemos porque parecia a coisa certa a se fazer”, diz. Agora, Bezos incentiva seus concorrentes a igualar os 15 dólares ou ir além, oferecendo 16. “É o tipo de competição que beneficiará a todos”, diz.

Interessante, não? Valorizar equipe é um sinal de inteligencia e de criar competitividade, pois pessoas bem pagas, treinadas e com ambiente de trabalho desafiador não mudam para outros trabalhos com frequencia.

7. FORME SEUS FUTUROS EMPREGADOS
Os investimentos da Amazon não são limitados aos funcionários do presente. A empresa investiu 50 milhões de dólares para treinar a força de trabalho do futuro, incluindo a criação de um programa de engenharia que oferece educação para escolas de ensino fundamental e médio nos Estados Unidos, e também para estudantes universitários.

FONTE: HTTPS://EXAME.ABRIL.COM.BR/NEGOCIOS/AS-7-LICOES-DE-JEFF-BEZOS-DONO-DA-AMAZON-PARA-SEU-NEGOCIO-EM-2019/

Pensar nas novas gerações cria diferenciais competitivos interessantes, pois daqui a 20 anos (quando trocar de geração novamente) você continuará a ter clientes.

E destas dicas, quais fazem parte do seu negócio hoje?

O que você fará delas ainda em 2019?

Ter conhecimento e nada fazer não deve ser uma opção!

#MãosaObra

 

#FraternoAbraço

Gustavo Rocha
Consultoria GustavoRocha.com | Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos
Robôs | Inteligência Artificial | Jurimetria
(51) 98163.3333 | gustavo@gustavorocha.com | www.gustavorocha.com

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Gustavo Rocha) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados