JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

5 mudanças na CLT que afetarão a vida do trabalhador


Autoria:

Lucas Otávio P. Rezende


Lucas Otávio P. Rezende Advogado - OAB 184558 - MG Proprietário do Escritório Rezende Advocacia Formado em Direito pelo Centro Universitário de Lavras - Unilavras

envie um e-mail para este autor

Resumo:

A Lei 13.467 de julho de 2017 alterou substancialmente a CLT. Assuntos como férias, remuneração, plano de carreira e jornada de trabalho foram alterados. Neste texto buscarei explicar, com 5 tópicos, como essa reforma atingirá a vida do trabalhador.

Texto enviado ao JurisWay em 26/03/2018.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

1º - “Posso ser mandado (a) embora?!” – Não raras vezes, sabemos de pessoas que buscam ser mandadas embora justamente para fazer um acordo informal com o empregador. Ocorre que, com a Reforma Trabalhista, ficou expressamente permitido que empregado e empregador ponham fim no contrato de trabalho, não havendo mais que se falar em ilegalidade nesse acordo “informal”.

2º - “Ah como eu gostaria de trabalhar em casa!” – O HomeOffice ou, também, teletrabalho, ficou regulamentado no Capítulo II-A da CLT. Entende-se por teletrabalho “a prestação de serviços preponderantemente fora das dependências do empregador”, sendo que nesse caso utilizarão tecnologias de comunicação, como Skype e Whatsapp.

3º - “Imposto sindical, é o fim?” – O Art. 578 da CLT agora prevê que o recolhimento do imposto sindical deve ser prévia e expressamente autorizado, ou seja, o trabalhador sindicalizado não é mais obrigado a pagar referido imposto, ou seja, é o trabalhador que decide se quer ou não pagar o imposto para o sindicato.

4º - “Vou cochilar após o almoço!” – Antes da reforma trabalhista a intrajornada – conhecida como pausa para o almoço, era de, no mínimo, 1 (uma) hora. Com a reforma trabalhista, esse período pode ser reduzido através de um acordo individual ou convenção coletiva, sendo certo que deve respeitar o mínimo de 30 (trinta) minutos. O período “economizado” seria descontado no final da jornada de trabalho, permitindo ao trabalhador deixar o serviço mais cedo.

5º - “Quero tirar um pouco de férias agora e um pouco depois, posso?!” – Com a Reforma Trabalhista o “fatiamento das férias” se tornou possível em até 3 “fatias”. Através de um acordo entre empregador e empregado, essa nova modalidade de férias é viável. Cumpre ressaltar que um dos períodos não pode ter menos que 14 (quatorze) dias corridos e os demais não poderão ter menos que 5 (cinco) dias corridos, cada. Ademais, passa a ser proibido o início de férias antes de 2 (dois) dias que antecede o feriado ou dia de repouso semanal remunerado.

E ai, alguma dessas mudanças já afetaram o seu trabalho? Comente e compartilhe...

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Lucas Otávio P. Rezende) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados