JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Será o fim do JurisWay?
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

A ESCOLA PSICANALÍTICA E O DIREITO PREVIDENCIÁRIO


Autoria:

Everson Alexandre De Assumpção


EVERSON ASSUMPÇÃO Doutorando em Direito pela Universidad Argentina J.F.Kennedy Estudante regular do curso preparatório para o Doutorado UBA- Universidad de Buenos Aires Mestrando em Direito da Seguridade Social pela OISS/Madrid/Espanha em parceria com a Universidad de Alcalá Arbitro em Direito registrado na Ordem da Justiça Arbitral no Brasil sob nº OJAB/0744 Conciliador formado pelo Conselho de Justiça Federal Especialista em Direito Previdenciário pela ESMAFE/RS Especialista em Direito Previdenciário pela UCAM/RJ Especialista em Direito Penal e Processual Penal Pós Graduando em Direito Civil Pós Graduando em Direito Processual Civil Pós Graduando em Direito de Família Pós Graduando em Direito e Processo do Trabalho Pós Graduando em Filosofia e Sociologia Pós Graduando em Psicologia Jurídica Bacharel em Direito/UCS Diretor da Aposenti Gerente do Grupo de debates sobre Direito Previdenciário no Linkedin

envie um e-mail para este autor

Outros artigos do mesmo autor

John Kenneth Galbraith y el Estado de Bienestar Social
Direito Previdenciário

CONCLUÍ MINHA TESE DOUTORAL
Direito Previdenciário

LA TEORIA TRIALISTA DEL DERECHO
Filosofia

EL PACTO DE TOLEDO
Direito Previdenciário

SÍNDROME DE GUILLAIN BARRÉ
Desenvolvimento Acadêmico

Mais artigos...

Resumo:

Relação entre as doenças psiquiátricas e o profissional previdenciário.

Texto enviado ao JurisWay em 19/02/2018.

Última edição/atualização em 21/02/2018.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

                                          A ESCOLA PSICANALÍTICA E O DIREITO PREVIDENCIÁRIO


O MODELO PSICANALÍTICO CRIADO POR SIGMUND FREUD ( 1856-1939), médico neurologista que atuava em Viena, Áustria.

 

A escola psicanalítica de Freud inovou a maneira e o modo de pensar da sociedade moderna.
Freud foi o precursor da escola psicanalítica, digo isso porque o seu método é adotado até hoje por estudiosos das doenças psíquicas, doenças essas que ocupam quase que uma pessoa por cada família, sendo também elas a grande causa das ações previdenciárias, por depressão, esquizofrenia, insumos de substâncias psicoativas, etc.


A teoria de Freud reflete os movimentos e as transformações sócio-econômicos decorrentes de valores morais da sociedade da época e pelo declínio da religião.
A origem dos problemas psicológicos encontra respaldo na tentativa do indivíduo não conseguir controlar seus impulsos de natureza sexual e agressiva, considerados inaceitáveis para o padrão de uma sociedade cultural.
Vários são os problemas graves que podem nos levar a uma das então chamadas neuroses ou psicoses, que são derivados de: uma doença grave, stress pós traumático, ou até mesmo relacionados ao trabalho e desemprego.


Freud passou a considerar como o que ele chamou de fenômeno social toda atitude de um individuo em relação ao outro. No Direito chamamos: “ que estamos em grau de subjetividade em relação ao fatos do cotidiano”.

Assim como Freud, Lacan também descreve em dado momento que o ser humano é dotado de um limitador, e é ele o responsável por limitar as relações sociais, ou seja, é esse limitador que insere o indivíduo na sociedade cultural, embora Lacan não separe esse dois elementos, ou seja, o sujeito e a cultura, digo, não podem ser vistos de forma separados, Lacan descreve que o sujeito é um ser cultural.


Já Freud detalhadamente explica na 1ª tópica que somos dotados de INCONSCIENTE, PRÉ-CONSCIENTE E CONSCIENTE, e na 2ª tópica explica que  somos dotados do ID, EGO e SUPEREGO.

ID: está localizado na zona inconsciente da mente. Age por estímulos instintivos caracterizados de “amoral”.

EGO: é a parte consciente da mente. Atua como mediador entre o ID e o SUPER EGO. É esse limitador que não permite que a pessoa extravase todas suas angústias ou magoas, e consiga viver inserido numa sociedade cultural.

SUPEREGO: é o componente inibidor da mente. Age segundo valores morais e regras de condutas.


ANSIEDADE


Para Freud a ansiedade nada mais é do que uma pressão do ID e do SUPER EGO, sobre o EGO, ou seja um sinal de ALERTA OU PERIGO ( ansiedade objetiva, neurótica ou moral). O entendimento da realidade pelo ego esta sendo ameaçado.


Essas pressões se não forem aliviadas a tempo, podem levar o individuo a desenvolver uma das psicoses ou neuroses, doença tida pela medicina como crônica, estabilizada, porém sem cura definida (tratamento medicamentoso).


O ego é em outras palavras um mediador que denuncia esses tropeços ocasionais causados pelos infortúnios de nossas relações e não deixa como dito alhures que o ser humano extravase sua angústia há muito guardada dentro de si, a ponto de explodir. O EGO no DIREITO, é a razão do ser humano, ou a própria Lei. Se tivermos uma Lei temos que respeitar.

 

Freud aponta para 3 interditos que dificultam que os humanos extravasem plenamente suas angústias na busca pela felicidade plena:
1- o poder superior da natureza
2- a fragilidade de nossos próprios corpos ao lidar com determinadas situações
3- as Leis, ou regras, que temos que nos ajustar para que possamos viver numa sociedade cultural.


Dito isso, significa dizer que se o ser humano der total vazão a sua angústia, deliberadamente estará desrespeitando as leis da natureza, e colocando em risco seu convívio sócio-cultural em relação a outro ser humano e a toda sociedade.

 

MELMAN


Já na visão critica de Melman, se referindo a subjetividade do individuo, Melman vai além e refere uma cultura baseada nos desejos, desejos estes que muitas vezes os humanos não tem condições de alcançar, “ daí deriva as suas frustrações e raivas “, que por muitas vezes extravasam para o mundo exterior, é a chamada cultura das neuroses, cultura esta que aceita a livre expressão e também a perversão. É uma cultura nova que transcende as nossas escolhas, que se fundem com nossos valores de moral e ética, maneiras de pensar, se relacionar com outros indivíduos,  inclusive muda o conceito sobre matar ou morrer. Acredito que na visão critica de Melman ou nos seus desdobramentos sob a subjetividade do sujeito em relação a sociedade cultural, aparece a chamada violência, extravasão da angústia que o individuo tem guardado dentro de si e a exterioriza. 
“ O excesso se tornou norma” palavras ditas por Melman enquanto esteve no Rio de Janeiro participando de um seminário, sobre laços conjugais na modernidade.


Para Freud e Lacan, da escola psicanalítica, ainda existe um limitador que impõe regras ao individuo, a Lei, o consciente , um mediador entre o que é certo e o que é errado, o que é moral e ético, que possibilita aos sujeitos viverem em harmonia com a sociedade cultural, na visão critica de Melman esse limitador é superado pela subjetividade do sujeito que muitas vezes busca no outro aquilo que ele não tem, dando ênfase ao recalque de seus desejos, neuroses, e exteriorizando para o mundo sua violência.


O ponto onde quero chegar é justamente esse, ”se dermos vazão as nossas mágoas ou angústias, poderemos colocar em risco nosso convívio social (Freud e Lacan), se vivermos deliberadamente, e desrespeitarmos nosso limitador e a Lei, poderemos não mais estarmos protegidos e daremos oportunidade para tentar buscar aquilo que não nos pertence, (Melman) ou seja exteriorizar , descarregar nossa raiva , extravasar nossa angústia através da violência.”

 

O profissional previdenciário deve ter uma noção clara e exata, sobre as mais variadas doenças psiquiátricas, a diferença entre doença e incapacidade, (profissional, multiprofissional e omniprofissional), sua reação e tratamento, bem como fazer uma análise completa do caso concreto e também da situação social, para poder conduzir o processo e manter uma boa relação interpessoal com seu cliente, razão pela qual me motivou a re-escrever este pequeno artigo.

 

 

EVERSON ASSUMPÇÃO é Mestrando e Doutorando em Direito da Seguridade Social, possui 2 especializações e mais de 60 cursos em Direito Previdenciário.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Everson Alexandre De Assumpção) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados