JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

INDÚSTRIAS QUE FABRICAM RAÇÕES COMPLETAS PARA CÃES E GATOS PODEM PEDIR A ISENÇÃO DO IPI SOBRE ESSES PRODUTOS


Autoria:

Carlos Henrique Rodrigues Nascimento


Bacharel em Direito pelas Faculdades Integradas de Ourinhos. Advogado tributarista. Consultor jurídico.

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

Decadência no lançamento por Homologação

A extensão da norma de imunidade tributária contida no artigo 150, VI, "d" da Constituição Federal Brasileira aos chamados livros eletrônicos

A NÃO INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA SOBRE OS TEMPLOS DE QUALQUER CULTO

Imposição Tributária versus Exercício dos Direitos Fundamentais

O CONFLITO DAS NORMAS DE EXIGÊNCIA DE APRESENTAÇÃO DE REGULARIZAÇÃO FISCAL PARA FINS DE CONCESSÃO DO BENEFÍCIO DA RECUPERAÇÃO JUDICIAL NO CONTEXTO DA TEORIA TRIDIMENSIONAL DO DIREITO

JUSTIÇA PÕE RFB PARA TRABALHAR!

PRINCÍPIOS PROCESSUAIS APLICADOS AO PROCESSO ADMINISTRATIVO

DESMISTIFICANDO O LUCRO REAL NO IRPJ (II)

A COMPENSAÇÃO DE CRÉDITOS PREVIDENCIÁRIOS COM DÉBITOS REFERENTES A OUTROS TRIBUTOS FEDERAIS, E O PROJETO DE LEI DO SENADO 699/07.

Direito Tributário para as futuras gerações

Mais artigos da área...

Resumo:

Indústrias de rações completas podem pedir a isenção do IPI referente ao produto.

Texto enviado ao JurisWay em 03/03/2015.

Última edição/atualização em 20/03/2015.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

 

INDÚSTRIAS QUE FABRICAM RAÇÕES COMPLETAS PARA CÃES E GATOS PODEM PEDIR A ISENÇÃO DO IPI SOBRE ESSES PRODUTOS

 

 

A Quarta Turma do TRF3 (Tribunal Federal da 3ª Região), por unanimidade, confirmou decisão da 2ª Vara Federal de Marília que julgou procedente mandado de segurança impetrado pela empresa Manfrim Industrial e Comercial Ltda., que fabrica rações para cães e gatos. A referida decisão isentou os produtos “Special Dog”, “Dog Junior”, “Dog Gold”, “Special Dog Vegetais”, “Special Cat Carne” e “Special Cat Mix” do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) pelo fato de serem produtos completos para animais e, por essa razão, enquadram-se na Tabela do IPI no código 2309.90.10, cuja alíquota é zero.

 

 

Por meio de recurso, a União alega que tais produtos enquadram-se no código 2309.10.00, afirmando que o legislador pretendeu incluir nesse código todos os alimentos para cães e gatos desde que acondicionados para a venda a retalho (varejo), quer sejam ou não alimentos completos. A União afirma ainda que a destinação do produto também é critério distintivo na classificação.

 

 

A desembargadora Federal Monica Nobre, relatora do acórdão, explica que alimentos para cães e gatos acondicionados para a venda a retalho enquadram-se, verdadeiramente, no código 2309.10.00 na Tabela de Incidência de Produtos Industrializados e apresentam alíquota de 10% de IPI. Entretanto, a mesma tabela elenca, no código 2309.90.10, “que preparações destinadas a fornecer ao animal a totalidade dos elementos nutritivos necessários para uma alimentação diária racional e equilibrada (alimentos compostos completos) têm alíquota 0% de IPI”.

 

 

A magistrada explicou que o Brasil adota o Sistema Harmonizado de Designação e de Codificação de Mercadorias, conhecido como Sistema Harmonizado, que trata-se de “um método internacional de classificação de mercadorias baseado em uma estrutura de códigos e respectivas descrições, criado para promover o desenvolvimento do comércio internacional, assim como a comparação e análise das estatísticas”.

 

 

Além disso, afirmou que as alíquotas de IPI fazem parte da Tabela de Incidência de Produtos Industrializados, que é vinculada ao Sistema Harmonizado, observando critérios estabelecidos em convenções internacionais. A desembargadora ressaltou ainda que a regra de interpretação adotada pela tabela “estabelece que a posição mais específica prevalece sobre a mais genérica e os produtos que possam ser enquadrados em mais de uma posição específica devem ser classificados pela sua finalidade e característica essencial”.

 

 

Por assim ser, a relatora decidiu, com base em documentos juntados ao processo e relatório expedido pelo Ministério da Agricultura, que, no caso concreto, “depreende-se que os produtos citados são considerados ‘alimentos completos’ para cães e gatos”, por isso, a posição mais específica na Tabela de Incidência de Produtos Industrializados deverá prevalecer sobre a mais genérica, devendo a classificação se dar sob o código 2309.90.10, com alíquota zero de IPI.

 

 

Esse julgamento abre espaço para que as indústrias fabricantes de rações completas para cães e gatos ingressem com pedido judicial a fim de os produtos serem isentados do pagamento de IPI, economizando significativo valor no que diz respeito a tributos.

 

 

Apelação/Reexame necessário nº 0004210-60.2009.4.03.6111/SP.

 

 

Fonte: http://www.trf3.jus.br/

  

 

 

Carlos Henrique Rodrigues Nascimento

 

 

O autor é advogado tributarista e sócio do escritório de advocacia Dr. André Luiz Batista Cardoso e Dr. Carlos Henrique Rodrigues Nascimento.



Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Carlos Henrique Rodrigues Nascimento) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados