JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

O Papel dos Agentes Públicos na Sociedade


Autoria:

Julianna Santos


Julianna Santos, advogada.

envie um e-mail para este autor

Outros artigos do mesmo autor

COLISÃO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS E TÉCNICAS DE SOLUÇÃO
Direito Constitucional

Outros artigos da mesma área

OS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA COMO INSTRUMENTO DEONTOLÓGICO NO SERVIÇO PÚBLICO

A LEI COMPLEMENTAR Nº 100, SUA INCONSTITUCIONALIDADE E REPERCUSSÃO NO FUNCIONALISMO PÚBLICO DE MINAS GERAIS

O EQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

POR QUE MANTER A GUARDA MUNICIPAL

Fraudes de Licitações e Contratos Administrativos

EFEITOS DA SENTENÇA PENAL NA ESFERA ADMINISTRATIVA DISCIPLINAR

Rescisão Unilateral de Contrato fundada no Interesse Público: Manutenção da Confiança Pública na Probidade da Administração e em sua Capacidade de Desempenho.

A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO COMO FUNDAMENTO PARA A REVISÃO CONTRATUAL E A POSSIBILIDADE DE UTILIZAÇÃO DO INSTITUTO DA REPACTUAÇÃO PELAS ENTIDADES DO SISTEMA "S"

A ORGANIZAÇÃO SOCIAL COMO ALTERNATIVA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PÚBLICO

CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA E A CONFIGURAÇÃO DE ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Mais artigos da área...

Resumo:

Qualquer cidadão almeja um serviço público eficaz e para isso exige que os agentes públicos trabalhem de forma responsável. Portanto, vale ressaltar a importância dos que executam esse serviço à sociedade.

Texto enviado ao JurisWay em 03/11/2013.

Última edição/atualização em 19/01/2016.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

 

Julianna Maria dos Santos, advogada.

  

SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. O Papel dos Agentes Públicos na Sociedade. 3. Conclusão. 4. Referência Bibliográfica.

 

RESUMO: Partindo do princípio da importância da Administração Pública para a sociedade vê-se a importância do agente público, já que o mesmo tem a função de prestar serviço para mesma. Qualquer cidadão almeja um serviço público eficaz e para isso exige que os agentes públicos trabalhem de forma responsável. Portanto, vale ressaltar a importância dos que executam esse serviço à sociedade.

 

PALAVRAS-CHAVE: Agentes; sociedade; Administração Pública. 

 

1. INTRODUÇÃO

 

Segundo Maria Sylvia Zanella Di Pietro, “agente público seria toda pessoa física que presta serviços ao Estado e às pessoas jurídicas da Administração Indireta”.

A Lei 8.429 de 2 de junho de 1992 conceitua agente público em seu artigo 2º: “Reputa-se agente público, para os efeitos desta lei, todo aquele que exerce, ainda que transitoriamente ou sem remuneração, por eleição, nomeação, designação, contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nas entidades mencionadas no artigo anterior.”

De forma sucinta, entende-se como agente público, toda pessoa que presta um serviço público, seja temporário ou permanente, remunerado ou voluntário.

 

2. O PAPEL DOS AGENTES PÚBLICOS NA SOCIEDADE

 

            É considerado servidor público o empregado de uma administração estatal, sendo, dessa forma, uma definição geral, já que engloba qualquer indivíduo que mantenha vínculo de trabalho com alguma entidade governamental.

Entretanto, designação de agente público é mais abrangente já que engloba os seguintes cargos:

- Agentes Políticos: São aqueles que exercem sua função por meio de cargo eletivo, em forma de mandatos transitórios.

- Servidores públicos: Compreendem os agentes permanentes particulares em serviço da Administração Pública.

- Servidores particulares em atuação colaboradora: O Código Penal traz tal definição em seu artigo 327, §1º: “Equipara-se a funcionário público quem exerce cargo, emprego ou função em entidade paraestatal, e quem trabalha para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada para a execução de atividade típica da Administração Pública.” Um exemplo disso seria o estagiário de Direito que atua em um órgão público, como a Defensoria Pública.

O agente público, ao iniciar a sua carreira, recebe a sua função pública, que é o conjunto de atribuições que serão desempenhadas por ele, podendo ser assim agente honorífico (não possui vínculo funcional com o Estado), agente delegado (empregados particulares contratados pela Administração Pública) ou agente credenciado (recebe da Administração Pública a incumbência de desempenhar atividade específica, remunerada pelo Poder Público).

Levando em consideração a importância do agente público para o desenvolvimento da Administração Pública, não pode ser ignorada a questão referente a ineficiência de tal Administração, que tanto é discutida nos meios de comunicação e redes sociais. Deve o agente público obedecer de forma fiel os princípios da Administração, expressos na Constituição federal, em seu artigo 37, quais sejam: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

A omissão do agente público a qualquer dos princípios anteriormente citados pode resultar num ato de improbidade administrativa, que segundo o jurista Calil Simão é “o ato ilegal ou contrário aos princípios básicos da Administração Pública, cometido por agente público, durante o exercício de função pública ou decorrente desta.” Fato este de extrema importância, haja vista que, a Administração Pública é movida pelo objetivo de atender o interesse público.

 

3. CONCLUSÃO

 

Dessa forma, observa-se que o agente público tem função basilar para o funcionamento do regime jurídico, que compreende o conjunto de regras que estabelecem a relação existente entre a Administração Pública e seus agentes. O agente público não é somente um funcionário que possui estabilidade, ele é muito mais que isso, é por meio dele que é assegurada a continuidade e eficácia dos serviços da Administração Pública.

 

4. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

 

ALEXANDRINO, Marcelo e PAULO, Vicente. Direito Administrativo Descomplicado.

São Paulo: Método, 2008.

 

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. São Paulo: Malheiros

Editores, 2008.

 

MELLO, Celso Antônio Bandeira De. Curso de Direito Administrativo. São Paulo:

Malheiros Editores, 2010. 

PIETRO, Maria Sylvia Zanella Di. Direito Administrativo. São Paulo: Editora Atlas,

2009. 

SIMÃO, Calil. Improbidade Administrativa - Teoria e Prática. São Paulo: Editora J. H. Mizuno, 2011.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Julianna Santos) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados