JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Produção de Textos com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO


Autoria:

Alessandra Cristina De Souza


Estudante em direito,na instituição FDSM-faculdade de direito do sul de minas

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

O ASSÉDIO MORAL DECORRENTE DA DISCRIMINAÇÃO PATRONAL AO EMPREGADO PORTADOR DO VÍRUS DA AIDS

O TRABALHO ESCRAVO, JÁ FORA ERRADICADO DO BRASIL?

O empregado que exerce cargo de confiança com amplos poderes de mando e gestão pode ficar impossibilitado de prestar depoimento na condição de testemunha

Direitos dos bancários

TERCEIRIZAÇÃO TRABALHISTA E TRABALHO TEMPORÁRIO PRINCIPAIS ASPECTOS E IMPACTOS DA LEI 13.4292017

A responsabilidade subsidiária e a ADC 16 (STF)

Não incidência de imposto de renda sobre juros de mora decorrente de Condenação Judicial Trabalhista

"Cheque sem fundos" - No caso do empregado receber um cheque sem fundo, pode o empregador descontar de seus salário este valor?

Liberdade Sindical e a não recepção da Convenção Nº 87 da OIT

Dos direitos dos Empregados Contratados por Prazo Determinado

Mais artigos da área...

Resumo:

Será descrito como o assédio moral vem se tornando cada vez mais praticado no ambiente de trabalho, pois as empresas no intuito de lucrar e sobressair perante a concorrência, exigem cada vez mais de seus empregados,levando-os ao extremo.

Texto enviado ao JurisWay em 25/06/2018.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

O assédio moral mesmo sendo uma prática inserida no ambiente de trabalho em tempos remotos, sua importância veio a aflorar no início desta década, quando o assunto passou a ganhar forças no meio empresarial, identificando de maneira corriqueira os malefícios que esses atos reiterados ocasionam ao indivíduo e suas famílias. Essa prática se instaura no ambiente de trabalho de forma a prejudicar a vítima, tornar seus dias na empresa mais exaustivos, com baixa expectativa e pouco rendimento no manuseio de suas funções. (HIRIGOYEN, 2003, p. 65)

Diante de tais circunstâncias é possível perceber que ao sofrer o assédio, a pessoa inicialmente se porta de maneira a aceitar, conformar com a situação vivenciada, não dando a atenção devida ao fato, e guardar para si a insatisfação, com receio de denunciar e o acontecimento vir a público, tornando-o motivo de chacotas entre seus colegas. No entanto, ao calar-se, a vítima passa a sofrer e aumentar ainda mais o problema, ensejando desta forma distúrbios psicológicos que só tendem a aumentar, pois, diante de tais acontecimentos a vítima se torna vulnerável, passando a se isolar e sofrer com as atitudes alheias.

O assédio moral tornou-se uma prática bastante discutida nos últimos anos, exercendo grande relevância tanto na área jurídica como nas demais áreas humanas. Esse assunto tem ganhado espaço cada vez mais, devido aos relacionamentos estabelecidos no ambiente de trabalho, onde muitas vezes o preconceito, a inveja e a competitividade se firmam como fator determinante aos interesses das partes envolvidas.

Dessa forma a Constituição Federal de 1988, em seu artigo 5º, inc. X, estabelece que “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação. ” Assim, com o propósito de assegurar os direitos e garantias atinentes ao ser humano, a Carta maior estabelece limites, que devem ser respeitados e assegurados pela lei.

Ao tratar de aspectos ligados ao desenvolvimento no âmbito do trabalho, torna-se necessário analisar medidas que fazem com que a empresa se sobressaia perante as demais e para que isso seja realmente valorado é preciso que uma série de fatores sejam apreciados, na intenção de alavancar os negócios e os profissionais que ali se encontram.

Na proporção em que o assédio moral se intensifica no local de trabalho, algumas precauções devem ser observadas, de modo a precaver a empresa e assim se estabelecer perante a concorrência. Vale destacar que esse assédio se forma à medida que condutas abusivas, com duração estendida e repetitivas se instauram no local, dando margens ao chamado nexo de causalidade entre os comportamentos alheios à sua vontade e o dano suportado.

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Alessandra Cristina De Souza) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2018. JurisWay - Todos os direitos reservados