JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Agora é Lei, o Consumidor deve saber o quanto paga de imposto.


Autoria:

Nelson Vinicius Brittes Da Silva


Advogado em São Paulo. Especialista em Direito Tributário pela Rede de Ensino LFG. MBA em Gestão Estratégica de Negócios pela Universidade Anhanguera/Uniderp. Site: www.organizacaonsilva.jur.adv.br Contato: vinicius.brittes@live.com

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

Considerações Tributárias acerca do aumento do IPTU no Município de São Paulo.

O ESTADO E O PODER DE TRIBUTAR

Princípio no Direito Tributário

Hipótese de incidência

O CONFLITO DAS NORMAS DE EXIGÊNCIA DE APRESENTAÇÃO DE REGULARIZAÇÃO FISCAL PARA FINS DE CONCESSÃO DO BENEFÍCIO DA RECUPERAÇÃO JUDICIAL NO CONTEXTO DA TEORIA TRIDIMENSIONAL DO DIREITO

DA DEDUTIBILIDADE DOS JUROS PAGOS À EMPRESA SITUADA NO EXTERIOR

STF RATIFICA FUNRURAL FAVORÁVEL AOS CONTRIBUINTES

COFINS E PIS: DECISÕES IMPORTANTES MUDAM CONCEITO DE INSUMOS E ABREM OPORTUNIDADE PARA EMPRSAS RECUPERAREM CRÉDITOS NOS ÚLTIMOS 5 ANOS

INDÚSTRIAS QUE FABRICAM RAÇÕES COMPLETAS PARA CÃES E GATOS PODEM PEDIR A ISENÇÃO DO IPI SOBRE ESSES PRODUTOS

COFINS E PIS: GOVERNO RECONHECE EMBRÓLIO DO SISTEMA NÃO COMULATIVO E PROMETE MUDANÇAS PARA 2013 E CONTRIBUINTES PRECISAM AGIR PARA REAVEREM VALORES PAGOS INDEVIDAMENTE.

Mais artigos da área...

Resumo:

A Lei n.º 12.741/2012 rege sobre a obrigatoriedade da divulgação do peso dos impostos na Nota Fiscal, isso traduz grande avanço quanto a transparência legislativa e induz o consumidor a avaliar melhor o preço das mercadoria e o peso dos impostos.

Texto enviado ao JurisWay em 17/07/2013.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Começa a valer a Lei n.º 12.741/2012, que trata da divulgação do valor dos impostos no preço final das mercadorias e serviços, agora poderemos saber qual o peso dos tributos no custo de vida do brasileiro, e assim, teremos mais consciência em fiscalizar para onde vai o nosso dinheiro. Isso representa uma vitória para os consumidores que aguardaram 6 anos pelo tramite do projeto de iniciativa popular no congresso nacional.

De acordo com a nova lei, a partir de 10 de junho de 2013, o consumidor deverá ser informado por meio da Nota Fiscal, ou por painéis e cartazes nas lojas e na internet, sobre o preço de sete impostos (Entre eles ICMS, ISS e COFINS) embutidos no preço final das mercadorias e serviços.

Agora será de conhecimento de todos o peso dos impostos no custo de vida do brasileiro. Vejamos alguns exemplos:

Se gastamos em média R$ 20,00 por um almoço fora de casa, o custo dos tributos é de R$ 5,44 (27,20%), ou seja, o mesmo almoço custaria R$ 14,56 sem o imposto.

Para os importados, a aliquota quase se equipara ao preço da mercadoria. É o caso do Ipad, que custa em média R$ 1.300,00, sendo que 49,45% ou R$ 642,85 são impostos, o valor do aparelho seria de R$ 657,15.

Para quem gosta daquela cervejinha gelada, o custo do imposto é de 55,60%, isto é, mais da metade do preço, se uma lata de cerveja custa R$ 2,00 o preço sem imposto seria de R$ 0,89.

Os impostos incidentes no exemplo acima, tratam-se daqueles de natureza indireta, ou seja, aqueles que devem ser pagos pelo fabricante ou revendedor e são repassados no preço da mercadoria para o consumidor.

Devemos lembrar que além dos impostos suportados em cada mercadoria, há também aqueles que são calculados com base na folha de pagamento e faturamento das empresas, que são classificados como custos de produção, e são repassados ao consumidor.

Para as empresas o peso dos impostos retarda o crescimento, atrapalha a competitividade, e implica na adoção prática de melhores ferramentas para o planejamento do cálculo e pagamento dos tributos, como a Governança Tributária.

Já para o consumidor, fica a sensação de desamparo em suportar o preço e não ter a contra prestação necessária do Estado principalmente com a evidente falta de segurança, educação e saúde para a população.

Muito se discute sobre a destinação de tais impostos, já que se tratando de tributos, possuem natureza não especifica, ou seja, não são destinados a cobrir uma despesa em especial, e sim a máquina estatal como um todo.

Contudo, com o avanço da sociedade da informação, surgem cada vez mais projetos e iniciativas louváveis, visando que o cidadão possa acompanhar o repasse dos impostos e o custo do sistema como um todo. Cabe a nós "consumidores pagadores" fiscalizarmos onde o nosso dinheiro esta sendo gasto.

*Artigo redigido em linguagem simples em apoio a "Campanha pela simplificação da linguagem jurídica" promovida pela Associação dos Magistrados do Brasil.

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Nelson Vinicius Brittes Da Silva) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados