JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Benefícios Previdenciários com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Caso Nardoni: Uma condenação necessária?!


Autoria:

Daniel Bruno Caetano De Oliveira


Daniel Bruno Caetano de Oliveira, defensor público criminalista em Espírito Santo, especialista em Ciências Penais pelo Instituto Luiz Flávio Gomes, professor de Direito Penal e Processual Penal

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

MAUS-TRATOS CONTRA ANIMAIS

ANÁLISE DA EUTANÁSIA E ORTOTANÁSIA: À LUZ DA RESOLUÇÃO Nº. 1995/2012 DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA E DO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL: Uma Análise aos Projetos de Emendas à Constituição

O QUE PREVALECE É A IMPUNIDADE PARA QUEM PRÁTICA O CRIME DE FURTO

Impossibilidade da liberação do uso de drogas para consumo próprio.

A cobrança de período pelos estacionamentos privados: breve análise sobre a ilicitude de tal conduta

DEFENSORIA PÚBLICA CONFERE APLICABILIDADE À GARANTIA DA RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO EM JULGAMENTO DE HABEAS CORPUS

Inaplicabilidade das Garantias Constitucionais e Assistência Religiosa ao Preso

DIREITO PENAL DO INIMIGO AO LONGO DA HISTORIA E AS CIRCUNSTÂNCIA DEMOCRÁTICA DE DIREITO

A Responsabilidade de Sócios, Diretores e Administradores nos Crimes Contra as Relações de Consumo

Mais artigos da área...

Resumo:

O perigo da influência que a mídia gera no inconsciente coletivo da população brasileira nos mais importantes casos criminais brasileiros

Texto enviado ao JurisWay em 15/04/2010.

Última edição/atualização em 14/05/2015.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Caso Nardoni: uma condenação necessária?!

 

Em março de 2008 foi veiculada em toda a mídia nacional o trágico caso Nardoni em que Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá foram indiciados e, posteriormente, denunciados pela prática de homicídio triplamente qualificado cuja vítima foi a própria filha de Alexandre, a infante Isabella Nardoni.

À época, lembro-me que eu era paciente de uma clínica fisioterápica e, como não tinha escolha, era obrigado, enquanto sofria as torturas dos exercícios para reabilitação de um ombro luxado, a assistir na televisão da clínica, durante aproximadamente trinta dias subsequentes, às investigações policiais sobre o caso que eram pormenorizadamente veiculadas nos programas jornalísticos matutinos.

Realmente me vi diante de uma verdadeira mini-série  com direito inclusive a capítulos.

Como operador do Direito, sem adentrar na justiça ou injustiça do julgamento dos acusados que posteriormente foram condenados pela prática de homicídio triplamente qualificado, me atenho ao fator mídia em relação aos casos criminais históricos brasileiros:

Primeiramente, não se pode negar que o sensacionalismo, sem sombra de dúvidas, é um fator extremamente pernicioso no âmbito do Direito Penal.

Quando os operadores do Direito se deparam com casos como  Nardoni, Von Richthofen, Daniela Perez, se deparam inexoravelmente com o apelo midiático dos casos.

Sabe-se que a Lei n. 8072/90( Lei de crimes hediondos) , lei esta tão criticada pelos grandes juristas brasileiros, eclodiu após o caso Daniela Perez. É de conhecimento público também que este caso ( Perez)  foi reiteradamente veiculado na mídia nacional por longos períodos.

Somente após quinze anos da vigência da Lei n. 8072/90 que o STF julgou pela inconstitucionalidade da Lei de Crimes Hediondos no que concerne à impossibilidade de progressão de regimes por afrontar o princípio da Individualização da pena .

Em suma, todos têm direito a progressão de regime, pois tal progressão é um estímulo para o bom comportamento carcerário e ressocialização do apenado.

 Especificamente no caso Nardoni, toda uma passionalidade em relação ao caso, passionalidade esta que indubitavelmente prejudica o julgamento da causa com isenção, principalmente pelos jurados leigos, foi motivada consciente ou inconscientemente pela imprensa.

 

Como qualquer outro caso ainda mais complexo e grave que é submetido todos os dias ao alvedrio do Poder Judiciário, diversas teses de defesa poderiam ser aventadas.  Entretanto, a influência da mídia, preocupada com os índices de audiência, com certeza determinou o deslinde da causa e comprometeu inexoravelmente o julgamento pelos jurados.

 

O sentimento de indignação pela prática do crime, totalmente justificável e compreensível, transformou-se, ao longo do julgamento do caso Nardoni, em sentimento de vingança privada já banida de todos os ordenamentos jurídicos ocidentais desde o Império Romano da Antiguidade, que trouxe para si o poder-dever de aplicar a pena pública.

Afinal para que serve todo o sensacionalismo em relação a estes casos emblemáticos?  Seria uma justificativa para demonstrar que a Justiça efetivamente ‘funciona’?

Mas será que esta seria a real missão da Justiça, qual seja, se justificar?  Ou seria aplicar a lei dentro dos limites impostos por um Estado Democrático de Direito fundamentado na dignidade da pessoa humana, como já reconhecido pelo E. Supremo Tribunal Federal?

Eis a reflexão.

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Daniel Bruno Caetano De Oliveira) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Comentários e Opiniões

1) Ciro (20/04/2010 às 22:22:16) IP: 201.26.15.205
Parabéns pelo artigo Dr. Mto bom mesmo!
2) Ruth (21/04/2010 às 01:51:48) IP: 187.89.47.228
Bom Dia!Dr. Daniel ,concordo em número, gênero,e grau,até porque a Rede Globo é como um "câncer" principalmente,quando ele se transforma em "metástase",enquanto houver algum orgão do corpo humano em funcionamento,ela,corrói sem dó nem piedade,falo da Globo,pois ela é o maior veículo de transmissão deste País e,parece que todos tem "medo"dela por ser o carro "chefe".
3) Rodolpho (21/04/2010 às 11:49:02) IP: 187.51.39.26
Parabéns pelo texto!
Compartilho do mesmo pensamento que o seu Drº Daniel Bruno Caetano De Oliveira, pois a mídia só quer polemizar os fatos para alavancar sua audiência.
4) Elayne (21/04/2010 às 16:23:05) IP: 201.14.72.138
Infelizmente no julgamento do casal Nardoni os jurados não puderam exercer seu papel com seu livre convencimento. Muitos foram influenciados pela população que encontrava-se indignada com o crime ocorrido.Justiça foi feita? creio que sim ( de acordo com as provas apresentadas) porém, faltou o requisito mais importante, que é a imparcialidade e o livre convencimento.
5) Rodrigo (21/04/2010 às 18:05:28) IP: 189.93.221.69
Sou bacharel em direito e policial militar em Pernambuco, concordo em grau e gênero com sua opinião, quando os grandes juristas irão se impor à frente destas barbaridades que a mídia executa em relação ao Direito Penal,a manipulação é tão absurda que vemos grandes juristas enraizados nas opiniões criadas pela mídia,o estado democrático de Direito deve estar acima de qualquer vaidade televisa na busca de audiência. Legisladores, magistrados, doutrinadores, enfim o juristas em geral devem se impor
6) Helino (21/04/2010 às 22:04:23) IP: 187.43.103.92
Concordo plenamente com o nobre colega. Parabéns pelo ponto de vista imparcial e correto. Como advogado de defesa já passei por situações semelhantes.
7) Josemara (22/04/2010 às 11:14:57) IP: 189.105.15.230
Concordo plenamente, e parabéns por expor sua opinião como operador de Direito e reiterar que infelizmente creio que a população se quer tenha ideia do que seja um Estado Democratico de Direito. A Mídia se prevalece da falta de conhecimento criando um "Direito paralelo" pelo jornalismo e muitas vezes até dão informações equivocadas a cerca de alguns institutos juridicos. Creio que as pessoas deveriam conhecer mais a estrutura do poder judiciario.
8) Hélio (22/04/2010 às 17:43:57) IP: 189.27.18.65
Parabéns pelo artigo. Minha opinião como um simples estudante de direito é que a lei deveria proibir a divulgação de crimes e investigações até sua finalização. Creio que tal proibição não fere o direito de imprensa pois a mesma poderia fazer a cobertura total dos fatos após sua conclusão.
A imprensa brasileira alerta o próprio criminoso quando solto fazendo que o mesmo escape tendo conhecimento das investigações e ENSINA MARGINAIS AMADORES A SEREM PROFISSIONAIS.TODOS APRENDEMOS COM A TV E ETC
9) Aparecido (22/04/2010 às 19:05:37) IP: 200.250.55.253
Boa noite a todos.
A divulgação da noticia de forma a aumentar a audiencia chega ao extremo, contaminando aformacao de opiniao de jurados sim
O que devemos atentar é que, no Brasil as pessoas envolvidasnos julgamentos ou até mesmos profisionais que buscam o "estrelismo" comentam sobre determinados casos em que, sao seria oportuno falar.
Acredito que os operadores de direito e envolvidos diretamente, inclusive o Judiciario deveria ter mais cautela nas entrevistas.

10) Selma (22/04/2010 às 21:47:29) IP: 201.43.159.121
NEM TANTO,QUE A MIDIA É A RESPONSSAVEL PELO DESFECHO OCORRIDO.INFELIZMENTE QUANDO UMA BARBARIE DESTE PESO VEM A TONA,NÃO SOBRA PEDRA SOBRE PEDRA,O PUBLICO QUER ~SABER QUER VER RESULTADOS CHEGA ATÉ TOMAR A DOR A TRISTEZA QUE FOI ESTE PESAR POR TODOS .E A MIDIA LEVOU O QUE O POVO QUERIA SABER ,VER TUDO ESCLARECIDO. E FOI SÓ ATRAVEZ DESTE ,QUE OUVE JUSTIÇA.POIS VOCE BEM ACOMPANHOU O CASO COMO TODOS,QUE O PAI DO RAPAZ QUERIA E QUER AINDA HOJE SAFAR O FILHO E NORA DE RESPONDEREM PELOS PROPRIOS ATOS.
11) Selma (22/04/2010 às 21:59:25) IP: 201.43.159.121
CONTINUANDO ,CADA UM TEM SUA MANEIRA E DIVERGE UNS DOS OUTROS CADA QUAL VÊ E ENTENDE AQUILO QUE QUER.E SALVE AS DIFERENÇAS.SEU PONTO DE VISTA É SEU PONTO DE VISTA E MAIS DESSES OUTROS PESSOAL QUE POSTARAM CONCORDANCIA CONTIGO . MEU PONTO É OUTRO VEJO POR OUTRO LADO O QUE INFELIZMENTE OCORREU.COMO VOCE CITOU UMA LEMBRANÇA DO CASO DANIELA PERES ,MESMO COM A MIDIA EM CIMA O RESULTADO DE JUSTIÇA NÃO FOI O ESPERADO POR MUITOS QUE ACOMPANHARAM O CASO POIS O PUBLICO FICOU MEIO DE FORA DAS INVESTIGAÇÕES
12) Dr.joao (22/04/2010 às 22:15:15) IP: 189.63.241.182
Na minha opinião, por tratar-se da area criminal, eu tenho certeza que antes do julgamento, eles ja estavam condenados, pelo povo, pelo juiz, pela opinião pública, mas que não existe prova contundente material, isso não tem mesmo, digo tratando se de direito nossa pericia não é confiável, deviam ter chamado peritos americanos, como sempre fazem, e na duvida prevalece a liberdade, com absoluta certeza.
13) Mariana (22/04/2010 às 23:05:36) IP: 201.77.188.64
sou estudante de direito , confesso que fiquei envergonhada
de pensar que pessoas são presas e soltam fogos , achei uma violação a dignidade dos reus, em contrapartida para mim o que mais ridicularizou foi todos querendo se promover pois como sabemo o promotor foi a missa realizada pela mae da menina e foi aplaudido e considerado um "deus" achei super anti ético sua posição , sem contar que inumeras falhas da defesa -3 º pessoas e outros pontos que fortaleceu a investida da midia ...
14) Sandra (23/04/2010 às 00:11:16) IP: 189.100.160.244
Ainda, tem gente que defende esse lixo?Será que essa defesa toda é porque é filho de advogado?Os Srs sabem quantos pobres miseraveis estão na cadeia porque levou do supermercado uma lata de ervilha?tem coisa mais importante pra se tratar nesse nosso Brasil!Lixos devem ficar no ATERRO!!!
15) Romario (23/04/2010 às 07:11:47) IP: 189.127.190.163
Excelente! Dr.
Bom se as pessoas nao tivessem um sentimento punível,
ao ponto de desejar a morte ao próximo.!
16) Marco (23/04/2010 às 09:19:25) IP: 189.38.249.156
sem sombra de duvida, que em razao da grande invasao por parte dos meios de comunicaçao deste Pais, principalmente a Rede Globo, que tem praticamente o monopolio, claro que houve, uma grande imparcialidade ao que se refere ao julgamento do caso nardone
17) Ademir (23/04/2010 às 10:36:13) IP: 189.88.240.158
Concordo com o Dr. Daniel Bruno. Os jurados, como toda a sociedade foram condicionados por vários meses pela mídia. Pelos dados técnicos fornecidos pela perícia não possível saber precisamente quem fez o quê. Isso impossibilita a individualização da pena, visto que cada um dos réus não teve exatamente a mesma participação no crime. Outra coisa que me pareceu estranha foi o juiz se solidarizar com a mãe da Isabela pelo desconforto de ficar confinada como testemunha, até o fim do julgamento.
18) Cilço (23/04/2010 às 11:35:33) IP: 201.25.215.93
Dr. Daniel:
Parabens!
Já estava muito aborrecido com a reportagem sobre a castração quando li a sua, também compatilho das suas idéias, sou penalista, defendo tese neste sentido no mestrado, com o tìtulo : A OBSERVÂNCIA O PRINN. CONT. DA PRESUNÇÃO DE INOC. E SUFICIENTE ÀS GARANTIAS INDIVIDUAIS ?
Meus respeitos a nobre colega.Espero conhecê-lo um dia .
19) Sueli (23/04/2010 às 12:07:25) IP: 189.66.180.85
Opinião de leiga: desde o primeiro dia em que soube do bárbaro assassinato dessa menina, e quando as suspeitas recaíram sobre o pai e a madrasta, achei que eles eram os autores. E eles tiveram pelo menos 4 advogados de defesa, que nada conseguiram provar a seu favor. Não fui influenciada pela mídia, porque nem precisava, diante de tantas evidências, principalmente a cronologia dos fatos. Se não foram eles, quem foi então?
20) Sheila (23/04/2010 às 12:22:36) IP: 187.89.178.114
Parabens Dr. Daniel!
Concordo com sua imparcialidade, quando no Brasil se fizer justiça respeitando este principio, ai sim poderemos acreditar num estado de democracia, ou seja, direitos iguais para todos.
21) Eduardo (23/04/2010 às 12:54:29) IP: 200.149.126.152
Achei interessante o ponto de vista do Dr. Daniel, suas acertativas são convincentes e atestam a verdade do nosso cotidiano.A imprensa no intuito de conseguir audiência tentam consiguir as 'verdades' antes mesmo do jugalmento e trazem para a população informações nem sempre verídicas que influencia a maneira de pensar de muitos.Parabéns pelo artigo.
22) Egleice (23/04/2010 às 13:36:51) IP: 187.42.199.253
Parabéns pelo artigo!
Infelizmente no julgamento do casal Nardoni os jurados não puderam exercer seu papel com seu livre convencimento.
23) Marlucia (23/04/2010 às 13:38:54) IP: 189.74.39.244
Dr.Daniel, parabens pelo artigo nas suas palavras dizem tudo o que as pessoas pensam a respeito de um caso como esse requer,o clamor publico influenciado pela midia .Parabens pelo comentario.
24) Marlucia (23/04/2010 às 13:41:34) IP: 189.74.39.244
Dr.Daniel parabens pelo artigo o sr. está correto em sua palavras, a midia condena a pessoa nem nenhuma chance de defesa. Devemos combater esse tipo de sensacionalismo.É isso que a população chama de justiça?
25) Lopes (23/04/2010 às 14:38:07) IP: 201.76.140.246
Inquestionável o poder da mídia em qualquer contexto, principalmente quando é direcionada a inflamar ânimos de pessoas que já se encontram propensas a explosão natural em face de tamanha barbaridade feita com uma criança.

Por outro lado, penso ser devaneio a "exclusividade" de culpa-indução à mídia, uma vez que não há como sair incólume ao ocorrido no caso Nardoni e, sobretudo, disfarçar o anseio por justiça diante de inúmeros casos impunes.

A mídia é forte, mas não como a Justiça.
26) Regina (23/04/2010 às 15:48:14) IP: 187.21.199.241
Sou advogada e peço licença para discordar dos comentários dos internautas que aqui deixaram suas opiniões, mas o que voces queriam que acontecesse com aquele casal de "anjinhos"? Os pobrezinhos que jogaram a pobrezinha da menina pela janela toda machucada sem ninguém para confortá-la na hora da morte? A TV não tem nada com isso. O fato foi tão cruel que poderia ter sido passado de boca a boca entre o povo como na idade média. Só que com uma diferença. Na idade média a pena seria a forca.
27) Creusa (23/04/2010 às 21:02:30) IP: 187.3.139.95
EU NÃO SOU BACHAREL EM NADA E EM COISA NENHUMA,MAS,EU PENSO
QUE,O QUE ESTAVA SENDO JULGADO ERA UM CRIME BÁRBARO CONTRA
UMA CRIANÇA INDEFESA,E O PROMOTOR EXPÔS CLARAMENTE TODAS AS PROVAS,DEIXANDO A SITUAÇÃO BEM CLARA PARA OS JURADOS. A MÍDIA FAZ A PARTE DELA.E O QUE PRECISAMOS É DE DEFENSORES HONESTOS QUE FAÇAM VALER ESSAS LEIS QUE SÓ FAVORECEM OS CULPADOS. E AS VÍTIMAS E/OU PARENTES DAS MESMAS,É QUEM PAGAM POR TEREM SOFRIDO TODOS OS TIPOS DE AGRESSÕES.VAI PELA MÍDIA QUEM NÃO TEM OPINIÃOPRÓPRIA
28) João (23/04/2010 às 23:52:51) IP: 187.19.165.207
Não concordo com o douto jurista,pois não acho que os jurados tenham sido influenciados pela mídia e julgaram mediante os fatos relatados no processo do Tribunal do Juri. Se as evidências apresentadas pela perícia e o trabalho excelente apresentado pelo Promotor, de forma bastante convinscente, não havia como a defesa refutá-las. Portanto, não vamos culpar a mídia ou tentar uma forma de minimizar tal brutalidade com crítica às penas que foram imputadas. Pena total. Trabalho interno. Educação, OK
29) Karin (24/04/2010 às 10:15:29) IP: 189.26.151.145
Parabéns Dr., pelas colocações e principalmente por enfatizar que o todos tem o direito de serem tratados igualmente, seja na área criminal ou outra área.Porém, infelizmente a mídia usufrui do seu direito de liberdade em muitas vezes colocar um capuz diante dos olhos do leigo, fazendo com que este se influencie e responda conforme alguém estiver manipulando diretamente ou indiretamente.
30) Fernanda (24/04/2010 às 19:01:36) IP: 187.58.243.2
Isso é o que ocorre quando as exigências sobre aqueles que mais impactam a opinião pública caem cada vez mais... O individualismo só pode ser combatido se a qualidade SOCIAL do Brasil fundado pela Constituição de 1988, Estado Social e Democrático de Direito, for implementada. Ações de prestação positiva (direitos de 2ª geração) por parte do Estado para preparar o cidadão para viver (pensar!) em sociedade. Na contramão, recentemente retirou-se a exigência de curso superior para jornalistas!!?
31) Willileans (25/04/2010 às 00:46:07) IP: 189.71.135.188
Parabens pelo comentario Dr Daniel, respeito mas discordo, pois acredito que apesar do sensacionalismo da TV Globo em tentar influenciar no resultado do julgamento, o profissionalismo dos Policiais, Promotor, Juiz, Jurados, Advogados dos Reus, todos desenvolveram seus trabalhos com o maximo de perfeição possivel e cada um independente, vejo que foi feito justiça.
32) Charles (25/04/2010 às 14:31:23) IP: 187.58.80.202
Muito bom.. Concordo, pra mim eles já entraram no julgamento condenados. Com que imparcialidade um júri nesses casos é capaz de decidir? Eu acho que com nenhuma..
33) Marcos (25/04/2010 às 22:36:39) IP: 201.3.255.145
Concordo plenamente, infelizmente isso é a mais pura verdade.
34) Raquel (25/04/2010 às 23:07:02) IP: 187.89.251.94
Olá, Dr. Daniel! Concordo com o seu ponto de vista. A influência da mídia é mt grande e perigosa... Tomemos cuidado ao receber essas informações que nos fazem repetidores de uma verdade imposta. Mas para isso é necessário pensar, criticar, discutir... E isso requer disposição e vontade para não nos tornarmos mais um alienado dentre milhares ou milhões!
35) Edmilson (26/04/2010 às 09:32:08) IP: 201.55.6.187
Caro professor, concordo com muita das coisas que esta contida em seu comentário sobre a midia e sua influencia,
principalmente quando se trata da Rede Globo, entretanto, no caso especifico dos Nardoni, ou qualquer outro crime que seja contra á vida, temos que nos ater que, o referido crime é de competencia do juri popular e, assim, nada mais justo e democratico que o proprio povo julgue, caso contrario nao seria "juri popular" e sim "julgamento técnico".
36) Waldir (26/04/2010 às 09:54:20) IP: 189.15.140.123
Sou bacharel em direito e policial militar em Minas Gerais, concordo totalmente com sua opinião, e acrescento que a mídia é nociva ao direito penal e aos bons costumes, visto que mostra somente a parte que lhe interessa ou dá audiência, não dá direito à defesa, e quase sempre só acusa. O povo também é culpado por tais afrontas ao direito e a liberdade de expressão, defensores da condenação manifestavam suas opiniões livremente e quando alguém manifestava pela defesa era xingado e intimidado.
37) Daniel (26/04/2010 às 15:38:27) IP: 201.79.170.233
Prezados leitores,
Gostaria deixar meu comentário de alegria em relação às opiniões apresentadas, sejam convergentes, sejam divergentes. O importante é a discussão do tema. Apenas volto a frisar que não estou discutindo a justiça ou a injustiça da sentença, mas alertando sobre o poder da mídia em relação à formação de opinião do cidadão brasileiro.
Isso sim é extremamente perigoso!
Saudações,
Daniel Bruno
38) Jose (26/04/2010 às 20:22:49) IP: 187.126.4.130
Concordo em parte com o douto colega, a mídia tem o interesse de vender seu produto.
Sou daqueles que acham que para casos como os Nardonis, não deveria haver progressão da pena. São dois adultos que tiveram bastante tempo para refletir sobre aquele crime bárbaro e o mais agravante ainda é o aval do avô da criança.
Também sou pai e avô.
Critico com os pés no chão.
39) Sueli (27/04/2010 às 17:09:06) IP: 189.66.178.175
O que a mídia fez de errado foi explorar o assunto, pois eles querem IBOPE. Não foi a mídia que esteve lá espancando a menina e jogando-a pela janela. A defesa não tinha argumentos que convencessem.
E a cronologia dos fatos tão bem apresentada pelo promotor, não conta como prova? E os inúmeros depoimentos contraditórios?
É patético dizer que os jurados votaram pela condenação porque foram influenciados pela mídia.
40) Alcir (28/04/2010 às 09:59:24) IP: 187.107.73.115
Prezado Dr. Bruno e leitores:
Sem discutir o mérito da questão, mesmo porquê muito já se discutiu; mas, quero demonstrar, também, a minha indignação pelo trabalho da perícia e investigação. No meu modo de entender, apesar de leigo e somente estudante de direito, faço a seguinte indagação: Como pode, um crime ter acontecido, rapidamente a policia ter chegado, não ter havido premeditação,e não se conseguir deixar clara a autoria, para que fosse indubitável a sua conclusão?
41) Ricardo (28/04/2010 às 11:04:00) IP: 200.178.85.21
Dr.Daniel Bruno,também acredito que a mídia dá um realce mais elevado de acordo com os intesses próprios dando até o entendimento que amídia subjetivamente seria um quarto poder. Quanto a progressão da pena não tenho muito a explanar por ser um tema muito louvado por uns e odiados por outros.
Abraços a todos, respeitosamente.
42) Luciana (29/04/2010 às 22:13:24) IP: 187.36.64.167
Talvez, Dr. Daniel, quando a sua família sofrer com um crime bárbaro dessa magnitude, o senhor consiga compreender que o clamor popular por uma legislação criminal mais severa não condiz apenas com a política de leis baseadas no "pão e circo".
É muito fácil dizer que os réus sofreram violações dos seus direitos, quando a uma mãe foi negado o direito de ver sua filha crescer.
Os direitos que o senhor cita cabe somente aos condenados. Ninguém se preocupa com a dignidade dos parentes das vítimas.
43) Claudinei (30/04/2010 às 11:02:29) IP: 201.14.26.57
DEVEMOS SABER IDENTIFICAR O QUE É LIBERDADE DE IMPRENSA OU SIMPLES SENSACIONALISMO. É EVIDENTE QUE O CASO NARDONI É DE REPERCUSÃO NACIONAL E DE EXTREMA CRUELDADE, CONTUDO VARIOS OUTROS QUE OCORREM TODOS OS DIAS TAMBEM O SÃO. POREM NÃO TEM A MESMA ATENÇÃO DA IMPRENSA, SOCIEDADE E JUSTIÇA. SERÁ QUE VIVEMOS UMA NOVA ERA DO DIREITO, ONDE O "IUS PUNIENDI" É FEITO POR AMOSTRAGEM???
ONDE FICA O DIREITO DE IGUALDADE E DIGINIDADE ELENCADOS NA CF. CLAUDINEI PLASSE. ACADÊMICO DE DIREITO.
44) Luis (25/03/2011 às 11:21:03) IP: 200.252.231.60
Esse texto foi escrito por uma pessoa que provavelmente nunca perdeu um ente querido com tal brutalidade. Não vamos ser hipócrita a ponto de dizer que um caso desse não nos deixa com sede de ver o réu condenado. Faremos um plebiscito quanto à pena de morte ou prisão pérpetua. Quem vencerá essa batalha? Boa pergunta, não acham ?
45) Fabiano (19/06/2012 às 13:32:38) IP: 189.95.3.115
Fico admirado em ler um artigo com tal manifestação de saber.
Em todos os escritos do ilustre Dr. Daniel Bruno tenho visto, assim como os demais frequentadores do JurisWay, a excelência do prezado e douto representante da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo que, além de tudo, é professor!
Parabéns!!!
.'.


Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados