JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Cobrança de taxa para expedir certidões ato inconstitucional.


Autoria:

José Monteiro Silva Filho


Linguísta, pela Unopar- Paraná, Graduando do Curso de Direito, 9º´período - Fama-AL.

envie um e-mail para este autor

Resumo:

Após uma breve análise do texto constitucional verificamos que a obtenção de certidões em repartições públicas desde que para o fim de defesa de direitos ou esclarecimentos de situações de interesse pessoal devem ser gratuitas.

Texto enviado ao JurisWay em 14/10/2009.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Para o direito, é imprescindível considerar sempre dois fatores: o início e o fim dos fatos. Segundo o Código Civil de 2002, o inicio do nascimento com vida traz para a pessoa natural, entenda ser humano ao ver a expressão pessoa natural, a possibilidade de exercícios dos direitos inerentes a personalidade jurídica. Veja na integra o artigo supra mencionado:

Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro.

Em nossa constituição de 1988, já consagrava os direitos e obrigações dada ao homem com o surgimento da personalidade civil, o constituinte preocupou-se com a segurança do cidadão e o acesso a informação guardadas em órgãos públicos, por meio da figura do habeas datas. É de bom tom, lembrar que os direitos assegurados por ela tem como sujeito o brasileiro e o estrangeiro (art. 5º da CF/88). Dentre os direitos garantidos, encontra-se o direito de ter sem ônus certidões expedidas por instituições públicas, não vinculadas ao caráter social ou econômico do requerente, que vise informar ou esclarecer situação pessoal. Note o que diz, a carta política em seu art. 5º e os seguintes incisos:

            Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

 

(...)

 

XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas:

 

(...)

 

b) a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal;

 

            É comum, entre os Tribunais de Justiça ou em repartições públicas executivas, recolher uma taxa de serviço, cobrando das pessoas um valor ínfimo.

            O Supremo Tribunal Federal, em matéria semelhante decidiu que a obtenção de certidões em repartições públicas desde que para o fim de defesa de direitos ou esclarecimentos de situações de interesse pessoal devem ser gratuitas.

            Caminhado neste entendimento o Tribunal de Justiça de Pernambuco, baixou portarias reconhecendo a necessidade de emissão gratuita de certidões que atendem o que está contido na alínea b do inciso XXXIV do art. 5º da CF/88. (CF/88 art. 1º, II, e III);

É de clareza solar que o ato de taxa este serviço fere o ideal constitucional (ex. antecedentes criminais) que por lei deveriam ser fornecidos para o requerente sem ônus. Ao fazerem isso tornam-se sujeito ativo, ferindo os preceitos da nossa Carta Magna.

 

Referências

 

Plenário julga ADI sobre cobrança de taxa para a emissão de certidões exigida por norma amazonense
STF - 29/3/2007
EC/RN Processos relacionados : ADI-2969

TJPE regula gratuidade na emissão de certidões em cartórios
TJ-PE - 14/8/2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 011/2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 012/2008

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (José Monteiro Silva Filho) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados