JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Defesa do Consumidor
 

Passageiros de Belém já pagam mais caro pela corrida de táxi

Fonte: Diário On Line 18/5/2012

Texto enviado ao JurisWay em 21/05/2012.

indique está página a um amigo Indique aos amigos



Os usuários de táxi de Belém estão desembolsando um pouco mais na hora de pagar a corrida desde a última quarta-feira, quando entrou em vigor o reajuste de 15,18% aprovado pelo conselho municipal de transporte.

Os novos valores compreendem a inflação acumulada no período de agosto de 2009 a fevereiro deste ano, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC/IBGE). A bandeirada, que até a semana passada custava R$ 4,15, passou agora para R$ 4,78; já a bandeira 1, que era cobrada a R$ 2,19, está sendo cobrada a R$ 2,52 e a bandeira 2, que era cobrada a R$ 2,63, está custando R$ 3,03.

O reajuste pegou de surpresa muitos consumidores que, desatentos, tentavam compreender os novos valores. “Acontece que nossos taxímetros ainda não foram aferidos, mas temos a tabela de valores circulando em todos os nossos táxis. Quando um cliente solicitar uma corrida, a bandeirada é cobrada de acordo com o taxímetro, mas na hora do pagamento é mostrado quanto vale o trecho de acordo com o reajuste”, explica o diretor do Sindicato dos Taxistas de Belém, Francisco Neto.

REPERCUSSÃO
Nas ruas, era possível ver consumidores reclamando, mas sempre acabavam entendendo os novos valores depois de saber que o último reajuste foi em 2009, quando a tarifa aumentou 9%. “De lá para cá, os impostos só cresceram, assim como a gasolina e os gastos com a manutenção do carro. Acho justo e espero que nossos clientes entendam. Até agora todos estão aceitando normalmente”, contou Rui Guilherme Pereira, que roda como taxista há cerca de 14 anos.

A secretária executiva Ana Luiza Trindade, 32 anos, utiliza o serviço de táxi praticamente todos os dias. Por não saber dirigir e temer andar de carro no trânsito de Belém, ela optou por buscar uma cooperativa de táxi para conduzi-la até o seu local de trabalho. “Só não vou de táxi quando consigo carona. Não vou sentir tanto no meu bolso esse reajuste porque tenho desconto, sou cliente. Mas, sei que se precisar pegar táxi na rua vou ter que pagar um valor ‘amargo’”, destacou.

O diretor da Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel), Paulo Serra, informou que a categoria só deverá deixar de apresentar a tabela com os novos valores após a aferição, pelo Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Inmetropará), de todos os taxímetros. “Só depois disso a nova tarifa será cobrada sem a apresentação da tabela. Todos estão autorizados a cobrar este valor e já podem explicar ao cliente que é definitivo”.




Nossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação.
Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

 
 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados