JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Sala dos Doutrinadores - Ensaios Jurídicos
Autoria:

Silvia De Souza Loureiro
Sou funcionaria publica ha 3 anos; graduanda no curso de Direito com previsao de termino para 2017 na instituiçao Fafram.

envie um e-mail para este autor
Monografias Direito do Trabalho

Discriminação no trabalho da mulher após afastamento

Texto enviado ao JurisWay em 20/10/2016.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Discriminação no trabalho da mulher após afastamento

 

Durante toda história da humanidade a mulher sofreu discriminação, seja no trabalho, na política, na formação acadêmica ou até mesmo no lar. Com o passar do tempo foi se traçando uma linhagem diferente e tanto homem quanto mulher são tratados de maneira igualitária e com amparo legal.

Hoje o direito brasileiro assegura à mulher vários direitos como o tratamento igualitário, resguardado pela Constituição Federal, e a CLT que embasa direitos como a licença maternidade de 120 dias;  dispensa do horário de trabalho pelo tempo necessário para a realização de, no mínimo, seis consultas médicas e demais exames complementares; dispensa de meia hora duas vezes ao dia para amamentação e também a estabilidade de 30 dias após termino da licença maternidade. Ainda existe a lei nº 9029 de 13 de abril de 1995 que proíbe a exigência de atestado de gravidez e esterilização, e outras práticas discriminatórias, para efeitos admissionais ou de permanência no emprego.

Mesmo diante de tantos dispositivos protegendo a mulher ainda é possível se deparar com práticas ilegais. Infelizmente a mulher tem percepção salarial menor que o homem, enfrenta maiores dificuldades por causa da maternidade, a idade, o assédio moral, pois a beleza ainda conta mais que a formação...

            Não é raro em entrevistas de emprego perguntas de fundo discriminatório tal como quantos filhos, qual idade e quem cuida no horário de expediente. Mais comum ainda é a situação da mulher quando retorna da licença maternidade. Ao retornar é recebida de maneira fria como se tivesse sido isolada dos companheiros de trabalho. Normalmente durante a licença é substituída por outra pessoa e ao seu retorno vai ao encontro de uma situação desagradável. Os empregadores, por sua vez, preferem permanecer com o empregado substituto e rescindir o contrato da mãe após os trinta dias de estabilidade, pela preocupação de “agora ela é mãe, sempre que o filho adoecer vai faltar”.

Na verdade, o que falta nesse país não são leis, pois como já apresentado, o ordenamento jurídico brasileiro assegura, protege e ressalta a proteção a mulher em vários dispositivos o que falta é fiscalização eficiente, uma maneira de frear essas práticas discriminatórias. E acima de tudo, falta o bom senso, não precisa de estudos, de pesquisas e de especialistas para demonstrar que uma mulher é totalmente capaz de executar um bom serviço, independente da maternidade, da beleza. ou do período em que esteve afastada, uma vez que antes do afastamento executava a função e nada mudou.

 

 

Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br, e a autoria (Silvia De Souza Loureiro).
2 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, idéias e conceitos de seus autores.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
 

Institucional

O que é JurisWay
Por que JurisWay?
Nossos Colaboradores
Profissionais Classificados
Responsabilidade Social no Brasil



Publicidade

Anuncie Conosco



Entre em Contato

Dúvidas, Críticas e Sugestões



Seções

Cursos Online Gratuitos
Vídeos Selecionados
Provas da OAB
Provas de Concursos
Provas do ENEM
Dicas para Provas e Concursos
Modelos de Documentos
Modelos Comentados
Perguntas e Respostas
Sala dos Doutrinadores
Artigos de Motivação
Notícias dos Tribunais
Notícias de Concursos
JurisClipping
Eu Legislador
Eu Juiz
É Bom Saber
Vocabulário Jurídico
Sala de Imprensa
Defesa do Consumidor
Reflexos Jurídicos
Tribunais
Legislação
Jurisprudência
Sentenças
Súmulas
Direito em Quadrinhos
Indicação de Filmes
Curiosidades da Internet
Documentos Históricos
Fórum
English JurisWay



Áreas Jurídicas

Introdução ao Estudo do Direito
Direito Civil
Direito Penal
Direito Empresarial
Direito de Família
Direito Individual do Trabalho
Direito Coletivo do Trabalho
Direito Processual Civil
Direito Processual do Trabalho
Condomínio
Direito Administrativo
Direito Ambiental
Direito do Consumidor
Direito Imobiliário
Direito Previdenciário
Direito Tributário
Locação
Propriedade Intelectual
Responsabilidade Civil
Direito de Trânsito
Direito das Sucessões
Direito Eleitoral
Licitações e Contratos Administrativos
Direito Constitucional
Direito Contratual
Direito Internacional Público
Teoria Econômica do Litígio
Outros



Áreas de Apoio

Desenvolvimento Pessoal
Desenvolvimento Profissional
Língua Portuguesa
Inglês Básico
Inglês Instrumental
Filosofia
Relações com a Imprensa
Técnicas de Estudo


Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados