JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Due Diligence e Compliance Trabalhista, os "BFF" (Best Friend Forever) do Direito Preventivo


Autoria:

Nicole Lara De Pinho Ramalhoso


Advogada, graduada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Direito Internacional pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP). Atua com Meios Extrajudiciais de Solução de Conflitos (Conciliação, Mediação e Arbitragem) em matérias de Direito Societário, M&A, Contratos e Compliance.

envie um e-mail para este autor

Outros artigos da mesma área

Salário e Remuneração

A IMPORTÂNCIA DOS PRINCÍPIOS NO DIREITO DO TRABALHO

Da Estabilidade Gestante no Contrato de Experiência

EQUIPARAÇÃO SALARIAL NO SERVIÇO MILITAR ESTADUAL - DIFERENÇA SALARIAL POR EXERCÍCIO DE FUNÇÃO SUPERIOR

A Normas sobre Duração do Trabalho e os Impactos de sua Flexibilização na Saúde do Trabalhador

A igualdade salarial, sob o pálio doutrinário e jurisprudencial

USO IMODERADO DO CELULAR, DO WHATSAPP, REDES SOCIAIS EM GERAL E A JUSTA CAUSA

A empresa pode Demitir Trabalhador Portador de AIDS?

Encarregada de limpeza de banheiros de cemitério em SP consegue adicional de insalubridade, conforme Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho

JUSTIÇA DO TRABALHO: PRESTAÇÃO JURISDICIONAL RÁPIDA, PORÉM, DENTRO DA LEGALIDADE

Mais artigos da área...

Resumo:

O artigo aborda a importância da Auditoria e do Compliance Trabalhista como ferramentas de Direito Preventivo para as empresas.

Texto enviado ao JurisWay em 29/04/2019.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Antes de tudo, vamos esclarecer o seguinte: Due Diligence (ou Auditoria) e Compliance Trabalhistas não são “a mesma coisa”, mas, sim, são ações que se complementam!

                                                                                                       

A Auditoria Trabalhista é uma FERRAMENTA do Compliance Trabalhista. Trata-se do levantamento e investigação da rotina da empresa em relação aos seus colaboradores, bem como a fiscalização das normas trabalhistas com base em verificações pontuais.

 

Compliance é o termo de origem inglesa (“to comply”) que significa “em conformidade” e, assim, corresponde à implementação de instrumentos com a intenção de manter a empresa em conformidade com a legislação vigente, ainda que, para tanto, seja necessário fazer mudanças na Cultura Organizacional (e aqui entra o papel essencial da equipe e departamento de Gestão de Pessoas - RH).

 

Por meio de um Programa de Compliance Trabalhista, a empresa garante a regularidade de suas normas com a legislação trabalhista vigente, aumenta a sinergia entre seus colaboradores, economiza recursos (uma vez que evita os riscos de passivo trabalhista) e fortalece sua marca no mercado, alcançando maior solidez em seus objetivos estratégicos.

 

São alguns exemplos de instrumentos desenvolvidos por meio da união da Auditoria e do Compliance em âmbito Trabalhista:

 

Ø  Pesquisa periódica de Clima Organizacional

Ø  Criação de Diretrizes da empresa

Ø  Implementação de Treinamentos

Ø  Criação e Aplicação de Códigos de Ética e Conduta

Ø  Elaboração de Regulamento Interno

Ø  Desenvolvimentos de Estratégias de Remuneração e Benefícios

Ø  Adequação de Contratos

Ø  Implementação de um Canal de Denúncias Anônimo

 

Nesse sentido, genericamente falando, os maiores erros cometidos pelas empresas e que, implicam em risco de passivo trabalhista, concentram-se no ato de admissão, na remuneração e no procedimento de demissão:

 

Na fase de admissão há o risco de indenização por dano moral pré-contratual, pois muitas empresas geram expectativa de contratação que posteriormente são frustradas pela não contratação do candidato, bem como por apresentar a descrição da vaga deixando pontos obscuros, omissos e ou que geram dúvidas.

 

No que se refere à remuneração, há uma série de situações que colocam em risco a própria saúde financeira da empresa, em especial, com o advento da Reforma Trabalhista que trouxe uma gama de possibilidades de alteração do Contrato de Trabalho e novas maneiras de contratar e, por conseguinte, remunerar os colaboradores. Os erros cometidos pelas empresas nesse âmbito são, na grande maioria dos casos, por falta de observância e adequação à legislação vigente e às Convenções Coletivas de Trabalho. Por isso, é de fundamental importância a adoção de formas e Política de Remuneração, de modo a reduzir ou impedir as irregularidades.

 

Por fim, os erros cometidos no momento da demissão são, sem dúvida, os que geram maior risco para as empresas, uma vez que a simples FORMA como se demite um colaborador pode vir a se tornar o gatilho para uma Reclamatória Trabalhista.

 

A adoção de um procedimento adequado para demissão de funcionários é o ponto central para uma empresa que busca credibilidade e ausência de passivo trabalhista.

 

É sempre importante recordar que uma empresa não se define apenas por um número no CNPJ, uma série de atos e contratos constitutivos e planilhas de faturamento, lucros e prejuízos. Uma empresa é um conjunto de pessoas, colaboradores e funcionários, que a representa, que a faz crescer ou a leva ao demérito no Mercado.

 

Foi-se o tempo em que as empresas apenas procuravam por um advogado quando “o caos já estava instaurado”!

 

A saúde (em especial, a financeira) de uma empresa depende muito mais de PREVENIR do que de remediar! Assim como a nossa, não é verdade?!

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Nicole Lara De Pinho Ramalhoso) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2020. JurisWay - Todos os direitos reservados