JurisWay - Sistema Educacional Online
 
Kit com 30 mil modelos de petições
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Análise do texto: "Administração pública (tributária) e baixa constitucionalidade: ou de como um ato administrativo vale mais do que a Constituição para a administração pública (tributária)"


Autoria:

Luísa Rasquinha Da Silva


Luísa Rasquinha da Silva, estudante de Direito no Centro Universitário Univates, localizado em Lajeado/RS.

envie um e-mail para este autor

Texto enviado ao JurisWay em 14/06/2017.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

Ao ler o texto “Administração pública (tributária) e baixa constitucionalidade: ou de como um ato administrativo vale mais do que a Constituição para a administração pública (tributária)”, percebi que um dos maiores problemas da administração pública é o de não se preocupar tanto com sua vinculação com a Constituição Federal. Verifica-se que esta observa a cobrança de tributos de forma hierárquica, medievalmente compreendida como “uso de poder”, uma vez que tal ato deve ser compreendido como uma função constitucional.        
          A chamada “Baixa Constitucionalidade” visa respeitar menos a Constituição Federal e valorar mais uma norma, e a exemplo dessa afirmativa, temos o Ato Declaratório Interpretativo – ADI RFB nº 42, de 15 de dezembro de 2011, visando que as empresas deveriam contribuir à alíquota de 20% sobre o valor resultante das competências anteriores à dezembro de 2011 e do décimo terceiro devido aos segurados empregados. Observa-se que, com isso, a Receita Federal, por ato administrativo, pretendeu modificar a necessidade da existência de lei para estabelecer base de cálculo e de fato gerador de tributo, desrespeitando, assim, o princípio da legalidade.

  Dessa forma, ao analisar todo o contido no texto, compreendo que há necessidade de readequação na cobrança de tributos frente à nova sociedade, bem como da situação econômica de cada indivíduo.

 Por fim, é necessário que a Constituição Federal e a Legislação Tributária andem juntas, e a partir do momento em que esta começar a se preocupar menos com a arrecadação e focar mais na sociedade e no indivíduo, àquela voltará a ter sua força, tendo-se assim, os princípios da igualdade e da legalidade valorizados.

 

 

Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Luísa Rasquinha Da Silva) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados