JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Defesa do Consumidor

Últimos artigos

Dilma publica MP para que sanções da lei da nota fiscal comecem em 2015
06/06/2014

Controle emocional evita uso excessivo do cartão de crédito
22/05/2014

Prefeitura do Rio proíbe fretados e venda de bebidas perto do Maracanã na Copa
05/05/2014

Consulta pública em maio receberá sugestões para regulamentação de alimentos alergênicos
30/04/2014

MEC muda regras do ProUni e Fies
10/03/2014

Supermercados já vendem panetones a partir de R$ 3,99
16/10/2013

Preço médio do metro quadrado chega a R$ 7.000 pela 1ª vez no Brasil; veja valor na sua cidade
03/10/2013

ONU: países repudiam violência contra população LGBT
27/09/2013

Brasileiros atingem nível mais alto de endividamento dos últimos dez anos
05/09/2013

Preparação para concursos de 2014 deve começar agora
02/09/2013

Mais artigos...

 

Inmetro debate segurança de produtos

Texto enviado ao JurisWay em 02/09/2013.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Inmetro debate segurança de produtos
2/9/2013
imagem transparente

Evento na Confederação Nacional do Comércio vai apresentar práticas de regulamentação e vigilância adotadas nos EUA, na Europa e no Brasil
 
RIO — De hoje até sexta-feira, o Inmetro promove um workshop sobre a segurança de produtos de consumo, na Confederação Nacional do Comércio, no Centro do Rio. O evento é destinado a profissionais do instituto e da Receita Federal.

O professor Josep Tous, da Universidade Pompeu Fabra, de Barcelona, na Espanha, apresentará as práticas de regulamentação e vigilância de mercado dos Estados Unidos, da Europa e do Brasil. Segundo ele, o Inmetro já tem prestígio internacional na área de segurança de produtos de consumo e a intenção é trazer experiências do exterior para ampliar a atuação do instituto.
 
“Para isso, mostraremos dois modelos. O primeiro, adotado há 40 anos nos EUA, e o europeu, que tem duas décadas. A ideia é dar subsídios para o Brasil e apresentar seus maiores desafios para que não sejam cometidos aqui os mesmos erros que foram cometidos nesses países, e que se desenvolva um sistema mais eficiente, que se encaixe no perfil do país”, informou Tous, que atua no Sistema de Alertas Rápidos para Produtos Não-Alimentícios (Rapex), da União Europeia.

Vigilância globalizada
Segundo Paulo Coscarelli, da diretoria de Avaliação da Conformidade, e um dos responsáveis pela iniciativa no Brasil, considera que este é o momento ideal para aprimorar a atuação na segurança de produtos de consumo:

“Diante de um cenário de economia globalizada, o tema ganhou relevância na comunidade internacional e tornou-se um dos principais focos de atuação de regulamentadores e autoridades de vigilância de mercado”, ressaltou.

A adoção no Brasil de práticas de consumo seguro, pode servir de exemplo para o ingresso de outros países do Mercosul, na avaliação do professor Josep Tous:

“O Brasil tem toda a estrutura para implementar as práticas de consumo seguro, como o sistema de alerta rápido de produtos perigosos. É preciso, porém, que cada ator faça a sua parte. Em dois a cinco anos, será possível notar uma significativa mudança no registros de acidentes no país, por exemplo, boa parte deles com base nos registros em hospitais. Podemos evitar cerca de 80% dos acidentes de consumo”, concluiu.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/defesa-do-consumidor/inmetro-debate-seguranca-de-produtos-9784126#ixzz2dkCXcIfO
© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.


Fonte: O Globo - Online
Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

 
 
Copyright (c) 2006-2020. JurisWay - Todos os direitos reservados