JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Sala dos Doutrinadores - Artigos Jurídicos
Autoria:

Carlos L. R. Sarmento
Advogado, pós graduando em Processo Civil, pesquisador e estudioso no Direito Previdenciário Civil e Consumidor, livros publicados. Integrante do jurídico do escritório de advocacia Consuloria Jurídica Integrada.

envie um e-mail para este autor

Outras monografias da mesma área

EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA

O Devido processo legal (due process of law). Aspectos Relevantes

BREVES INOVAÇÕES NO PROCEDIMENTO COMUM DO CÓDIGO FUX

NULIDADE DOS ATOS PROCESSUAIS POR FALTA DE SUBSTITUIÇÃO DA PARTE FALECIDA

Breve Comentário sobre as Partes no Processo

Antecipação da Tutela, sua confirmação pela sentença e a exceção ao efeito devolutivo do recurso de apelação

Inadmissibilidade de quebra do sigilo fiscal de devedores em processos de execução mediante simples despacho deferitório de ofício à Receita Federal, sob pena de ofensa às garantias constitucionais da intimidade / vida privada e sigilo de dados

ARBITRAGEM E O DIREITO PROCESSUAL CIVIL

O desafogo da Máquina judiciaria tendo em vista as formas extrajudiciais de conflito.

A FUNÇÃO SOCIAL DA DECISÃO JUDICIAL

Todas as monografias da área...

Monografias Direito Processual Civil

Supressão de Instância - Breves comentários

Breves cometários sobre a supressão de instância, ou seja, a competência em primeiro plano para analisar fatos e provas antes do uso da via recursal.

Texto enviado ao JurisWay em 21/08/2010.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

INTRODUÇÃO
 
Trago breves comentários e exemplos sobre este tema, que muitos operadores do direito o desconhecem, espero que seja de grande utilidade para os operadores do direito.
  
 
A SUPRESSÃO DE INSTÂNCIA EM SEDE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO.
 
É comum em muitos casos o advogado interpor o recurso de Agravo de Instrumento sobre as decisões interlocutórias, principalmente em ações de alimentos em que o juízo singular concede alimentos provisórios com as informações trazidas pelo alimentado.
 
Porém isto é um equívoco, pois o Tribunal não pode analisar as provas e julgá-las sem antes de tudo o juízo singular ter o conhecimento das mesmas, sob pena de supressão de instância.
 
Vamos aqui exemplificar: O juízo singular com as informações trazidas pelo alimentado profere em sede de alimentos provisórios a quantia equivalente a 30% dos ganhos mensais do alimentante.
O alimentante antes de interpor o Agravo de Instrumento, deve levar ao conhecimento do juízo singular que não tem condições de suportar o estipulado, juntado documentos comprobatórios da sua real situação financeira, e em caso de indeferimento, aí sim poderá interpor o Agravo de Instrumento, pois cabe ao juízo singular em primeiro plano a análise dos fatos e das provas e só com o seu indeferimento que o Tribunal poderá haver a reapreciação das provas trazidas pelo alimentante que foram indeferidas pelo juízo singular.
 
 
A SUPRESSÃO DE INSTÂNCIA EM SEDE DE APELAÇÃO
 
A supressão de instância - irregularidade em que a instância superior julga matéria não examinada pela instância inferior -, afronta o princípio constitucional da ampla defesa (art. 5º, LV CF)
 
Muito embora o artigo 515 § 3º do CPC autorize o tribunal a julgar a questão, mas desde que a causa envolva somente matéria de interpretação jurídica e esteja em condições de julgamento imediato, não podendo avançar ao tema que dependam de análises de fatos e provas.
 
O adequado e correto é a anulação da sentença e o retorno dos autos a vara de origem para que sejam examinadas todas as circunstâncias em torno dos fatos e provas apresentados.
 
A SUPRESSÃO DE INSTÂNCIA EM SEDE DE HABEAS CORPUS.
 
Para que um Habeas Corpus seja impetrado é necessário conhecer a autoridade coatora. A autoridade neste caso é o Juiz de primeiro grau, mas antes da impetração o mesmo deve ser provocado, ou seja, primeiro é necessário que Juiz tenha indeferido seu pedido, sob pena de supressão de instância.
 
Exemplo: Foi decretada pelo Juiz a prisão do acusado, porém antes do advogado requerer ou provocar o juízo de primeira instância para saber o resultado de seu requerimento, recorre direito ao Tribunal com a impetração do Hábeas Corpus, ou seja, não aguarda a decisão de primeira instância. Desta forma fica o Tribunal impedido de apreciar o HC e o mesmo deve ser extinto sem análise do mérito.
 
CONCLUSÕES
 
 
Verifico que vários operadores do direito cometem este equívoco, ou seja, sempre em primeiro plano interpõe recursos, sem antes provocarem o juízo singular e ao menos obterem a decisão de indeferimento.
O Tribunal jamais pode apreciar provas e fatos antes do conhecimento do juízo singular, o Tribunal sim, pode reapreciar as provas e fatos que foram trazidas aos autos, apreciadas pelo juízo singular e negadas pelo mesmo.
Carlos Sarmento
Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br, e a autoria (Carlos L. R. Sarmento).
2 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, idéias e conceitos de seus autores.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
 

Institucional

O que é JurisWay
Por que JurisWay?
Nossos Colaboradores
Profissionais Classificados
Responsabilidade Social no Brasil



Publicidade

Anuncie Conosco



Entre em Contato

Dúvidas, Críticas e Sugestões



Seções

Cursos Online Gratuitos
Vídeos Selecionados
Provas da OAB
Provas de Concursos
Provas do ENEM
Dicas para Provas e Concursos
Modelos de Documentos
Modelos Comentados
Perguntas e Respostas
Sala dos Doutrinadores
Artigos de Motivação
Notícias dos Tribunais
Notícias de Concursos
JurisClipping
Eu Legislador
Eu Juiz
É Bom Saber
Vocabulário Jurídico
Sala de Imprensa
Defesa do Consumidor
Reflexos Jurídicos
Tribunais
Legislação
Jurisprudência
Sentenças
Súmulas
Direito em Quadrinhos
Indicação de Filmes
Curiosidades da Internet
Documentos Históricos
Fórum
English JurisWay



Áreas Jurídicas

Introdução ao Estudo do Direito
Direito Civil
Direito Penal
Direito Empresarial
Direito de Família
Direito Individual do Trabalho
Direito Coletivo do Trabalho
Direito Processual Civil
Direito Processual do Trabalho
Condomínio
Direito Administrativo
Direito Ambiental
Direito do Consumidor
Direito Imobiliário
Direito Previdenciário
Direito Tributário
Locação
Propriedade Intelectual
Responsabilidade Civil
Direito de Trânsito
Direito das Sucessões
Direito Eleitoral
Licitações e Contratos Administrativos
Direito Constitucional
Direito Contratual
Direito Internacional Público
Teoria Econômica do Litígio
Outros



Áreas de Apoio

Desenvolvimento Pessoal
Desenvolvimento Profissional
Língua Portuguesa
Inglês Básico
Inglês Instrumental
Filosofia
Relações com a Imprensa
Técnicas de Estudo


Copyright (c) 2006-2020. JurisWay - Todos os direitos reservados