JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Eu Legislador

Outras Leis do
Eu Legislador

Nova Carteira
Lei Complementar

Carga Horaria Servidores
Emenda Constitucional

Eutanásia
Lei Ordinária

Abandono de animais
Lei Ordinária

CPMF Inteligente
Lei Complementar

Veja mais ...

Lei de Anistia

Anistia de Multas

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Proposta de Lei Complementar

 
Concede anistia de multas fiscais decorrente de ampliação de imóveis residenciais sem autorização da Prefeitura, e dá outras providências.
 
PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR


Art. 1º - Fica o Prefeito Municipal autorizado a conceder anistia de multas fiscais ajuizadas ou não, os contribuintes que ampliaram a área construída de seus imóveis residenciais sem autorização da Prefeitura Municipal, até a data da publicação desta Lei Complementar.

Parágrafo único - Para efeitos desta lei, considera-se ampliação as obras realizadas que acarretaram aumento da metragem da área construída prevista no cadastro imobiliário do imóvel para fins de incidência de tributos municipais.


Art. 2° - Para ter direito a anistia prevista nesta lei, o contribuinte deve apresentar, no Protocolo da Prefeitura, requerimento solicitando à Prefeitura Municipal a atualização do cadastro imobiliário, mediante a apresentação de cópias dos seguintes documentos.

I - identidade e CPF do contribuinte;
II - carnê do IPTU;
III - título de propriedade do imóvel;
IV - planta do imóvel assinada por profissional competente.

§1° - Os pedidos de concessão de anistia serão encaminhados à Dívida Ativa para manifestar-se sobre a existência ou não de débitos, e à Secretaria Municipal da Receita para manifestação e juntada da Ficha de Cadastro Imobiliário.

§2° - A concessão da anistia fica condicionada à aprovação da planta do imóvel ampliado, pela a Secretaria Municipal de Obra, observada as normas urbanísticas e ambientais.


§3° - Após o deferimento do pedido de anistia, o processo administrativo será encaminhado à Secretaria Municipal da Receita que adotará as providências necessárias à atualização do cadastro imobiliário, e a certidão de regularização da obra.

§4° - Observado o disposto neste artigo, a Procuradoria Geral do Município e a Dívida Ativa adotarão os procedimentos necessários ao cancelamento dos débitos e a baixa das execuções fiscais ajuizadas.


Art. 3° - O disposto nesta lei não autoriza o contribuinte iniciar qualquer obra, reforma ou ampliação de imóveis com inobservância da legislação municipal, e sem o competente licenciamento do órgão competente.


Art. 4° - Compete à Secretaria Municipal de Planejamento adotar os procedimentos necessários ao atendimento das disposições previstas na legislação orçamentária, e na Lei de Responsabilidade Fiscal, especialmente o previsto no artigo 14, inciso II, da Lei Complementar n° 101, de 04/05/2000.


Art. 5° - Esta lei complementar entra em vigor na data da sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.


Câmara Municipal, 28 de março de 2011.















Justificação / Exposição de Motivos

 
MENSAGEM Nº 001/2011.


Senhor Presidente,

Pela presente, tenho a honra de submeter a elevada consideração desta Egrégia Casa Legislativa o anexo Projeto de Lei, que concede anistia aos contribuintes pessoas físicas que ampliaram a área construída de seus imóveis residenciais sem prévia autorização da Prefeitura.

Além do alto alcance social que o cancelamento dos débitos trará aos contribuintes, além de desafogar as máquinas administrativas e judiciais, o projeto em causa visa possibilitar a atualização do cadastro imobiliário dos imóveis residenciais permitindo a Municipalidade atualizar a base de cálculo do IPTU e do ITBI, o que certamente resultará em aumento da arrecadação da receita tributária municipal.

O projeto atende as disposições previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal, e a compensação da renúncia de parte da receita municipal é evidente com a atualização da base de cálculo dos tributos municipais que é baseado na metragem do imóvel e do seu valor venal, que servem para a incidência do IPTU e do ITBI.

No projeto, há previsão de a Secretaria Municipal de Planejamento, em observância ao inc. II, do art. 14, da Lei Complementar n° 101/2000, apresentar o demonstrativo do impacto financeiro e orçamentário de modo a demonstrar que a renúncia dessa diminuta receita não afetará as metas fiscais.


Na esperança de que V.Exa. e seus ilustres pares examinem e aprovem, o presente projeto de Lei Complementar, com o que estarão prestando relevantes serviços a nossa Comunidade, apresento meus sinceros protestos de elevada estima, distinta consideração e respeito.

Câmara Municipal , 24 de março de 2011.

Vereador

Importante:
1 - Todas as propostas de lei podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados